Abrir menu principal
Carlinhos de Pilares
Informações pessoais
Nome completo Carlos Miguel Marques
Data de nasc. 1942
Local de nasc. Rio de Janeiro,  Brasil
Falecido em 2005
Local da morte Rio de Janeiro
Informações profissionais
Escolas de samba
Anos Escolas
19751988
1979
1986
1988
1989
1990
19911992
1991
1993
1994
1995
1996
1996
1997
19982000
2000
2001
2002
20032004
Caprichosos
Lins Imperial
X-9
Flor da Vila Dalila[1]
Jacarezinho
Santa Cruz
Caprichosos
Leandro
Reino Unido da Liberdade
Unidos da Tijuca
Portela
Caprichosos
Praiana
Dendê
Santa Cruz
União Imperial (apoio)
Tom Maior
Lins Imperial
Rocinha

Carlos Miguel Marques, mais conhecido como Carlinhos de Pilares, (Rio de Janeiro, 21 de junho de 1942 - Rio de Janeiro, 07 de Julho de 2005[2]) foi um intérprete de sambas-de-enredo brasileiro, que ficou conhecido por cantar os sambas da escola de samba Caprichosos de Pilares nos anos 70 e 80.

TrajetóriaEditar

Foi autor do samba enredo "Moça Bonita não Paga" que levou a Caprichosos de Pilares em 1982 ao Grupo Especial do Carnaval carioca.[3]

O samba de 1985 "E Por Falar em Saudade..." de sua autoria ao lado de Almir Araújo, Marquinhos Lessa e Hércules Corrêa é considerado uma obra prima da gênero.[4] Com esta parceria, venceu ainda os sambas de 1984 e 1986 na azul e branco de Pilares, onde cantou de 1975 até 1988.

Sua primeira experiência no carnaval paulista é na X-9 Pioneira em 1986 no qual foi junto com Almir Araújo compositor do samba-enredo além de ser o intérprete da escola. No ano de 1988 foi intérprete da Flor da Vila Dalila. Regressaria à folia paulista novamente em Santos pela União Imperial, em 2000, e Tom Maior, em 2001.

Após desentendimentos com a diretoria da escola, foi contratado pela Unidos do Jacarezinho, que regressava ao Grupo Especial em 1989. No carnaval seguinte, foi para a Santa Cruz, onde regressaria em 1998.

Volta à Caprichosos para o carnaval 1992 e ruma a Manaus, em 1993, para cantar no Reino Unido da Liberdade. Em 1994, desfila como intérprete da Unidos da Tijuca e na Portela, como intérprete de apoio de Rixxa, em 1995.

Em 1996, sua derradeira passagem pela Caprichosos, canta em dupla com Luizito, seu antigo companheiro de carro de som na azul e branco, desde os anos 80. Também compunham a equipe de intérpretes Zé Paulo Sierra e Jackson Martins. No mesmo ano, interpreta o samba da Praiana, em Porto Alegre.

Entre 1997 e 2000, canta na recém-promovida Dendê e na Santa Cruz. Passou ainda pela Lins Imperial, em 2002 e na Acadêmicos da Rocinha, nos dois anos seguintes.

MorteEditar

O intérprete morreu em 07 de julho de 2005, vítima de câncer.

PrêmiosEditar

  • S@mba-Net: Melhor intéprete: 2002 (Grupo B - Lins Imperial)[7]

Referências

  1. http://dicionariompb.com.br/carlinhos-de-pilares/dados-artisticos
  2. Terra (27 de julho de 2005). «Morre o intérprete Carlinhos de Pilares». Consultado em 15 de junho de 2013 
  3. «Morre no Rio o sambista Carlinhos de Pilares». Estadão. 7 de julho de 2005. Consultado em 19 de dezembro de 2011 
  4. Edmundo Barreiros e Pedro Só (1985). 1985, o ano em que o Brasil recomeçou. 1 1 ed. [S.l.]: Ediouro. p. 40. 210 páginas. ISBN 850001847X. Consultado em 19 de dezembro de 2011 
  5. «Estandarte de Ouro». Apoteose.com. Consultado em 19 de dezembro de 2011. Desde 1972, o jornal O GLOBO premia os melhores das escolas de samba do Rio de Janeiro com o Estandarte de Ouro. A Mangueira é a escola mais premiada até hoje. Logo atrás vem o Salgueiro, e depois o Império Serrano. 
  6. «Estandarte de Ouro - Melhor Intérprete». Academia do Samba. Consultado em 19 de dezembro de 2011 
  7. «Vencedores 2002». S@mba-Net. Consultado em 19 de dezembro de 2011 
  Este artigo sobre um(a) cantor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.