Abrir menu principal

Carmelinda Pereira

política portuguesa
Carmelinda Pereira
Nome nativo Carmelinda Maria dos Santos Pereira
Nascimento 1948 (71 anos)
Assentiz
Cidadania Portugal
Alma mater Instituto Politécnico de Lisboa
Ocupação política, professor, sindicalista, revolucionária

Carmelinda Maria dos Santos Pereira (Assentiz, 1948)[1] é uma professora aposentada e política portuguesa[2].

Terminou o Curso do Magistério Primário, frequentou o Instituto Superior de Psicologia Aplicada e obteve o Curso de Qualificação em Comunicação Educacional e Gestão de Informação, pelo Instituto Politécnico de Lisboa. Iniciou a sua vida profissional em Santarém, passando depois para o Colégio da Cidadela, em Cascais.

Militante do Partido Socialista em 1974, foi deputada à Assembleia Constituinte, entre 1975 e 1976, e à Assembleia da República, entre 1976 e 1979[3].

Em 1977, em ruptura com a Comissão Política de Mário Soares, foi expulsa do PS, passando à condição de deputada independente[3]. Regressou ao ensino e fundou, com Aires Rodrigues, o Partido Operário de Unidade Socialista (POUS)[4], de inspiração trotskista lambertista.

Foi directora e coordenadora da biblioteca da Escola EB1 de Algés e aposentou-se como professora da Escola EB1 Amélia Vieira Luís.

Foi pré-candidata às eleições presidenciais de 2006, tendo sido excluída por não apresentar o número mínimo de assinaturas. Foi cabeça-de-lista do POUS às eleições parlamentares europeias de 2009, na qual o partido defendeu a ruptura com a União Europeia, os seus tratados e instituições[1].

Ligações externasEditar

Referências

  1. a b «Nota Bbiográfica de Carmelinda Pereira, cabeça-de-lista do POUS». Comissão Nacional - Ruptura com a União Europeia. 4 de junho de 2009. Consultado em 6 de março de 2019 
  2. «Europeias: professores e candidatos». tvi24. 10 de abril de 2014. Consultado em 6 de março de 2018 
  3. a b «Biografia - Carmelinda Pereira». Assembleia da República. Consultado em 6 de março de 2019 
  4. «Carmelinda Pereira do POUS: "Não vamos desaparecer"». 31 de agosto de 2015. Consultado em 6 de março de 2019