Abrir menu principal

Wikipédia β

Clima mediterrânico

Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade(desde março de 2013). Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Zonas com o clima mediterrânico.
Clima mediterrânico de Valência, Espanha.
Olival em Granada, Espanha.

Clima mediterrânico é a designação dada em climatologia e geografia a um tipo de clima temperado com estação seca no verão. Ocorre nos extremos norte e sul da África, na Europa meridional, no sudoeste da Austrália, na Califórnia e no centro do Chile. O verão nessas regiões é quente e seco, e o inverno é instável e úmido.

Na Classificação climática de Köppen-Geiger é classificado como tipo "Cs" e "Ds".[1][2]

Índice

PrecipitaçãoEditar

Na classificação climática de Köppen-Geiger, a segunda letra indica o padrão de precipitação. Neste caso, para o clima mediterrânico, a letra "s" indica verões secos: A média do mês mais seco com menos de 40 mm de precipitação e menos de um terço da precipitação do mês de inverno mais chuvoso.[1]

Os diferentes climas mediterrânicosEditar

Quanto a temperaturaEditar

Na classificação climática de Köppen-Geiger o clima mediterrânico possui dois sub-tipos:

  • Csa - clima com temperatura no mês mais frio abaixo de 18 °C; nos três meses mais frios maiores que -3 °C; no mês mais quente maior ou igual a 22 °C;[1]
  • Csb - clima com temperatura no mês mais frio abaixo de 18 °C; nos três meses mais frios maiores que -3 °C; no mês mais quente entre 10 °C e 22 °C;[1]
  • Dsa - clima com temperatura no mês mais frio abaixo de -3 °C; no mês mais quente maior ou igual a 22 °C;[1]
  • Dsb - clima com temperatura no mês mais frio abaixo de -3 °C; no mês mais quente entre 10 °C e 22 °C.[1]

Quanto à influênciaEditar

  • Mediterrânico com influência continental

Nem todas as zonas mediterrânicas do mundo são iguais. Por exemplo, a meseta norte da Península Ibérica, tem essencialmente um clima mediterrânico, mas com vários elementos do clima continental, como as amplitudes térmicas pronunciadas, tanto diárias como anuais, com Verões quentes e Invernos severos com algumas precipitações de neve e com temperaturas que podem chegar a -20 °C. Geralmente, os máximos de chuvas estão associados ao solstício de Inverno, que é quando se retiram os potentes anticiclones subtropicais. Apesar disso, nos lugares com menor influência oceânica, não é no Inverno que ocorrem as maiores chuvas.[porquê?] Estas ocorrem na Primavera e no Outono.[porquê?]

  • Mediterrânico com influência oceânica

O sudoeste da Austrália, na Península Ibérica e o centro do Chile são o paradigma do primeiro caso comentado, onde a influência oceânica dá lugar a chuvas concentradas no Inverno. Apesar de tudo, como a Austrália são influenciadas por ciclones tropicais, no Verão pode ocorrer mais precipitação.[porquê?]

FloraEditar

A vegetação, na sua forma original, era caracterizada sobretudo por árvores. Contudo, devido à intervenção humana e problemas ambientais, as árvores foram substituídas por arbustos, especialmente arbustos esclerófitos, aparecendo, ainda, ervas aromáticas, gramíneas e claro árvores.

 
Distribuição potencial de oliveiras na bacia do Mediterrâneo. A oliveira é um indicador biológico da região do Mediterrâneo. (Oteros, 2014)[3]

Esta vegetação é predominante, de folha persistente e apresenta folhas espessas e pequenas, o que ajuda a reduzir as perdas de água por evapotranspiração. Algumas plantas podem também ter espinhos, o que as protege dos animais, pois evita que sejam comidas.

As árvores são, normalmente, de pequeno porte. Possuem cascas grossas e duras e grandes ramificações. Predominam os carvalhos: carvalho português, carvalho-negral, sobreiros, carrasco e azinheiras. Outra árvore muito comum nas regiões de clima mediterrâneo é a oliveira. Em algumas regiões aparecem ainda pinheiros (como o pinheiro manso).

Nas áreas com menor precipitação, as plantas adaptaram-se às condições secas, sendo as suas folhas pequenas e por vezes, tão reduzidas que se assemelham a agulhas, o que lhes permite conservar a água. Outras têm as folhas cobertas por uma película cerosa e noutras as folhas reflectem a luz do sol.

Algumas plantas desenvolveram, ainda, adaptações que lhes permitem resistir aos fogos frequentes que ocorrem na estação seca: reproduzem-se rapidamente a partir das raízes, depois da parte aérea arder; a resina que reveste as pinhas derrete durante o incêndio permitindo aos frutos abrir e espalhar as sementes; noutras ainda as sementes que têm condições para viver durante muito tempo germinam após o fogo. A Floresta Temperada de folhas caducas ocupa as áreas mais frias ou/e úmidas do clima temperado mediterrânico, como o norte da Península Ibérica, grande parte da Itália e o extremo sul da França.

FaunaEditar

A fauna é muito variada e também se encontra adaptada às condições ambientais. Os animais são normalmente pequenos, necessitam de pouca água e têm hábitos nocturnos.

Vivem coelhos, javalis, ratos do campo, veados, texugos, diversos tipos de répteis, uma grande variedade de aves (sobretudo migratórias) e insectos.

Referências

  1. a b c d e f Kottek, Markus; Grieser, Jürgen; Beck, Christoph; Rudolf, Bruno; Rube, Franz (2006). «World Map of the Köppen-Geiger climate classification updated» (PDF). Meteorologische Zeitschrift. 15 (3): 259–263. doi:10.1127/0941-2948/2006/0130. Consultado em 27 de fevereiro de 2011 
  2. Peel, M. C.; Finlayson, B. L.; McMahon, T. A. (2007). «Updated world map of the Köppen-Geiger climate classification» (PDF). Hydrology and Earth System Sciences. 4 (2): 439–473. doi:10.5194/hessd-4-439-2007. Consultado em 27 de fevereiro de 2011 
  3. Oteros Jose (2014) Modelización del ciclo fenológico reproductor del olivo (Tesis Doctoral). Universidad de Córdoba, Córdoba, España Link
  Este artigo sobre geografia (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.