Abrir menu principal

Corpo de Estrangeiros

O Corpo de Estrangeiros foi uma divisão do Exército Brasileiro, criada em 18 de janeiro de 1822, constituído inicialmente de imigrantes suíços de Nova Friburgo e de estrangeiros de passagem ou morando no Rio de Janeiro. Foi depois reforçado por mercenários alemães recrutados pelo major Georg Anton von Schäffer na Europa.

Em 1827 o major William Cotter foi enviado à Irlanda para recrutar mercenários. Por volta de 2 700 pessoas se voluntariaram, alguns com suas famílias. Foram acomodados em nove navios e chegaram ao Rio de Janeiro a partir de janeiro de 1828. Alguns destes, recusando-se a juntar ao Exército Brasileiro, foram enviados com suas famílias para Taperoá na Bahia, onde iniciaram a colônia de Santa Januária, de curta duração.

O Corpo do Estrangeiros era constituído de dois batalhões de caçadores alemães e dois batalhões de granadeiros que foram divididos entre duas brigadas do Exército.

  • Primeira Brigada - Granadeiros de 1ª Linha - comandante: Francisco da Costa de Sousa Macedo
    • 1.º Batalhão, do Imperador – destacado em Montevidéu
    • 2.º Batalhão, de Alemães – comandante: coronel Luís dall’Hoste. Aquartelado no Rio, no mosteiro de S. Bento.
    • 3.º Batalhão, de Alemães – comandante: major Eduardo von Ewald. Aquartelado no Rio de Janeiro.
  • Nona Brigada - Caçadores de 1ª Linha - comandante: General Francisco de Paula Massena Rosado
    • 25.º Batalhão, Periquitos – Aquartelado na Praia Vermelha.
    • 26.º Batalhão, de Alemães – comandante: Major Thiele. Aquartelado em Pernambuco.
    • 27.º Batalhão, de Alemães – comandante: Major Wood Yeathes. Aquartelado no Rio de Janeiro.

O 26.º Batalhão lutou no final da Confederação do Equador de 1824. Na Guerra da Cisplatina participaram o 27.º Batalhão e os Lanceiros Imperiais, que representaram 10% dos efetivos brasileiros.

O Batalhão de Granadeiros e dois batalhões de caçadores alemães foram responsáveis pela Revolta dos Mercenários que aterrorizou o Rio de Janeiro em junho de 1828. Após esta revolta os irlandeses foram enviados para os Estados Unidos, Canadá e a maioria de volta para a Irlanda.

O 26.º Batalhão foi depois transferido para o Rio Grande do Sul, onde mudou sua denominação para 28.º Batalhão de Caçadores Alemães. Combateu na Batalha do Passo do Rosário junto com os Lanceiros Alemães, organizados entre os colonos alemães em São Leopoldo pelo major Otto Heise. O 27.º se revoltou em Pelotas no Natal de 1828 devido ao atraso de seus vencimentos.

Estas revoltas foram um dos motivos que levaram à dissolução do Corpo de Estrangeiros pelo Decreto de 20 de dezembro de 1830. O 28.º Batalhão foi dissolvido em Santa Maria, enquanto o 27.º foi desmobilizado em Porto Alegre.

Participantes do Corpo de EstrangeirosEditar

Fizeram parte do Corpo de Estrangeiros, entre outros:

Referências

  1. Barão de Teffé, militar e cientista, Biografia do Almirante Antônio Luiz von Hoonholtz. escrito por Tetra de Teffé von Hoonholtz. Editado e publicado pelo Centro de documentação da marinha brasileira.