Bernard Cornwell

(Redirecionado de Crônicas Saxônicas)

Bernard Cornwell OBE (Londres, 23 de fevereiro de 1944) é um dos mais importantes escritores britânicos da atualidade. Já publicou mais de 40 livros e teve obras traduzidas para mais de 16 idiomas.[1]

Bernard Cornwell
Nome completo Bernard Cornwell
Pseudônimo(s) Susannah Kells (pseudônimo da esposa)
Nascimento 23 de fevereiro de 1944 (76 anos)
Londres, Reino Unido
Nacionalidade britânico
norte-americano
Ocupação escritor
Gênero literário Romance, Histórico, Fantasia
Magnum opus Série As Aventuras de Sharpe
Trilogia As Crônicas de Artur
Saga Crônicas Saxônicas
Página oficial
bernardcornwell.net

O autor é um apaixonado pela história em geral e da Inglaterra em especial, o que se reflete em seus romances históricos, que retratam conflitos ocorridos em território inglês, como na série A Busca do Graal, situada durante o período de conflito entre Inglaterra e França conhecido como Guerra dos Cem Anos, ou ainda em crônicas como as do Rei Artur, onde Cornwell, com sólida base histórica, dá uma versão muito pessoal ao senhor da guerra.

Cornwell tem seus livros publicados, no Brasil, pela editora Record. Sua série mais extensa, As Aventuras de Sharpe, é formada por mais de 20 livros e foi adaptada para a televisão na Inglaterra, com histórias protagonizadas pelo aclamado ator inglês Sean Bean. Atualmente estão em fase de tradução as obras sobre Sharpe e as Crônicas Saxônicas, onde já foram publicados os 11 livros da saga. Entretanto, a série terá mais livros, ainda não publicados pelo autor.

Cornwell raramente admite que já finalizou as histórias sobre seus personagens. Há várias declarações, inclusive em seus livros, onde admite a possibilidade de retomar as histórias no futuro. Também já admitiu que tem algum interesse em escrever sobre a Guerra das duas Rosas.

BiografiaEditar

Bernard Cornwell nasceu em Londres em 1944, durante a Segunda Guerra Mundial. Seu pai, William Oughtred, era um aviador canadense[2] e sua mãe, Dorothy Cornwell, trabalhava como auxiliar da Força Aérea Britânica. Ele foi adotado com o nome de Bernard Wiggins por Joe e Marjorie Wiggins. A família morava em Essex, e pertencia à seita extremista cristã chamada Peculiar People (Pessoas Peculiares, e, segundo o autor, eram mesmo[3]), hoje extinta, que proibia todo tipo de frivolidade, chegando a banir oficialmente a medicina até os anos 1930.[4]

Criado em um lar conflituoso com outras quatro crianças adotadas, Bernard nunca acreditou na religião, e cresceu um ateu convicto. Seu pai adotivo batia neles acreditando em uma passagem bíblica, chegando a espancar Cornwell por ler A Ilha do Tesouro.[5] Conforme ele ganhou interesse por assuntos militares, isso criou outro ponto de conflito com as crenças seita, que era pacifista.[6] Ele tentou se alistar três vezes, mas foi recusado por sua miopia.[7] Desde os sete anos, Bernard visitava o porto com frequência, e se fascinou pelos barcos de pescadores de camarão. Como os pescadores não podiam pagar pela gasolina, eles deixavam os motores desligados e usavam as velas, só gastando combustível em emergências. Bernard conta que não poderia ter crescido sem saber velejar.

Bernard fez o curso de história na Universidade de Londres[8] de 1963 a 1966[9], onde leu livros de teologia para rebater os argumentos religiosos em discussões com seus pais. Depois de se formar, trabalhou como professor na universidade. Assim que seu pai adotivo, Joe, morreu, ele mudou o sobrenome para o de sua mãe biológica, Cornwell. Com 50 anos, no início dos anos 2000, ele conheceu seus pais biológicos, e ficou fascinado pelo passado da família paterna, que pode ser rastreado até a Britânia do século 6. Um dos elos mais antigos encontrados é Eider the Flamebearer (Eider o Portador do Fogo), um saxões invasor que conquistou o que é hoje o castelo de Bamburgh.[6]

Não ficou muito tempo como professor, e foi para a rede de televisão BBC, onde trabalhou por 10 anos. Começou como um pesquisador no programa Nationwide e terminou como Chefe de Assuntos Televisivos Atuais da BBC na Irlanda do Norte.[7]

Foi enquanto trabalhava na cidade irlandesa de Belfast que ele conheceu Judy, uma americana que estava visitando o país, e por quem se apaixonou.[10] Judy não podia se mudar para a Inglaterra por questões familiares, então Bernard foi para os Estados Unidos onde lhe foi recusado o Green Card. Ele decidiu ganhar a vida como escritor, ofício que não necessitava de permissão do governo dos EUA. Bernard e Judy se casaram em 1980, permanecem casados e vivendo nos Estados Unidos.[1]

CarreiraEditar

Quando decidiu virar um escritor, Cornwell disse que não havia dúvidas sobre o que iria escrever, ele iria fazer ficção histórica, pois era o que gostava de ler. Quando criança, Cornwell amava os livros de C S Forester, que narravam as aventuras do fictício oficial naval britânico Horatio Hornblower durante as guerras napoleônicas. Ele ficou surpreso que não haviam romances similares acompanhando as campanhas terrestres de Lord Wellington, portanto ele mesmo as escreveu. Ele criou seu principal protagonista envolto nas maiores batalhas das guerra peninsular, tomando o nome do jogador de rugby Richard Sharp.[11][12]

Cornwell queria começar a história com o cerco a Badajoz, mas ao invés disso decidiu começar com alguns romances de "aquecimento". Esses foram A Águia de Sharpe e O Ouro de Sharpe, ambos de 1981.[13] A história de Badajoz veio em A Companhia de Sharpe, em 1982. Quando começou a escrever, seu editor, Toby Eady, recusou o romance, dizendo que "ninguém quer ler sobre o exército britânico". Ele conseguiu um acordo de sete livros com a HarperCollins, após acertar com seu editor.[6]

Cornwell e sua esposa Judy co-escreveram uma série de romances publicados sob o pseudônimo de "Susannah Kells": A Crowing Mercy de 1983, Fallen Angels de 1984 e Coat of Arms (também conhecido como The Aristocrats) em 1986, nenhum deles publicado no Brasil. A rígida educação protestante de Cornwell faz o pano de fundo de A Crowing Mercy, que toma lugar durante a guerra civil Inglesa. Ele também publicou Redcoat em 1987, um romance sobre a revolução americana na Filadélfia durante a ocupação britânica de 1777.

O autor foi procurado por uma produtora interessada em adaptar os primeiros oito livros da série de Sharpe para a televisão. Eles pediram que ele escrevesse um romance de fundo para que pudessem ter um ponto de partida para a série, e também que a história tivesse um amplo elenco de personagens espanhóis, a fim de assegurar co-financiamento da Espanha. O resultado foi Os Rifles de Sharpe, publicado em 1987 e retrata quando os ingleses recuaram de Corunha até a chegada de Wellesley na Espanha. Também resultou em uma série de televisão com Sean Bean.[14]

Após isso se seguiu uma série de suspenses modernos com veleiros de pano de fundo e temas comuns: Wildtrack publicado em 1988, Sea Lord (ou Killer's WakeI) em 1989, Crackdown em 1990, Stormchild em 1991, e o suspense político Scoundrel em 1992. A série também não foi lançada no Brasil.

Cornwell escreveu dois livros por ano por um longo período, diminuindo para um livro ao ano quando passou dos sessenta.[3] Sua idéia de ficção histórica é apresentar uma história grande nos eventos históricos e histórias menores na ficção. Patrick O'Brien escreveu a série de aventuras históricas Aubrey-Maturin passadas na era Napoleônica, e ele disse que havia "história demais, estilo de vida de menos" nos romances tanto de Cornwell quanto de C. S. Forester. Cornwell aceitou isso como um elogio e uma avaliação precisa da diferença entre seus estilos, agradecendo a comparação favorável com Forester.[6]

Com o sucesso da série de Sharpe, Cornwell começou a escrever sobre outros períodos e eventos da história Britânica e Americana, tanto em séries quanto em Romances solo. Azincourt foi publicado no Reino Unido em Outubro de 2008. O protagonista é um arqueiro que participa da Batalha de Agincourt, uma derrota devastadora que os franceses sofreram durante a Guerra dos Cem Anos. Em 2004, ele lançou O Último Reino, iniciando as histórias Saxônicas centradas no protagonista Uhtred de Bebbanburg, e contando como a nação da Inglaterra foi formada sob o governo de Alfredo o Grande. O décimo segundo romance foi publicado em 2019 sob o título Sword of Kings. Ele percebeu que poucos na Inglaterra sabiam como o país começou, diferente dos americanos que têm uma data muito clara do início de sua nação - portanto essa foi sua grande história. Seus próprios ancestrais lhe providenciaram a história pequena no protagonista Uhtred.[6][15][16]

Cornwell têm tido um sucesso considerável em sua carreira de escritor, vendendo 30 milhões de livros em 2015 em várias séries e romances solo, e continua a escrever novos.

Obras do autor[17]Editar

As Aventuras de um Soldado nas Guerras NapoleônicasEditar

 Ver artigo principal: Richard Sharpe

A primeira série de romances históricos de Cornwell retrata as aventuras de Richard Sharpe, um soldado britânico durante as guerras Napoleônicas, especialmente a Guerra Peninsular, desde que o duque de Wellington, Arthur Wellesley, foi enviado para liderar a campanha contra as forças de Napoleão na Península Ibérica. Os primeiros 11 livros publicados detalham as aventuras de Sharpe em várias campanhas da Guerra no decorrer de sete anos, começando com Os Fuzileiros de Sharpe e terminando com Sharpe em Waterloo.

Subsequentemente, Cornwell escreveu O Tigre de Sharpe, O Triunfo de Sharpe, A Fortaleza de Sharpe, Sharpe em Trafalgar, e A Presa de Sharpe, retratando aventuras anteriores de Sharpe sob o comando de Wellington na Índia, incluindo sua promoção duramente conquistada ao corpo de oficiais, seu retorno à Britânia e sua chegada à nonagésima quinta brigada de fuzileiros; ele também escreveu a sequência O Diabo de Sharpe, que se passa seis anos após o fim da guerra. A Batalha de Sharpe toma lugar durante a Batalha das Fontes de Onor. Desde 2003, ele escreveu "aventuras perdidas" ocorridas durante a era da Guerra Peninsular, baseado em grandes batalhas dessa longa campanha, num total de 24 romances nessa série.

O canal britânico ITV adaptou os livros para uma série de televisão estrelada por Sean Bean.[18]

Livros da Série As Aventuras de um Soldado nas Guerras Napoleônicas publicados
Período

Retratado

Título no Brasil[19] Título Original[20] Primeira

Publicação

1809[21] A Águia de Sharpe Sharpe's Eagle 1981
1810[22] O Ouro de Sharpe Sharpe's Gold 1981
1812[23] A Companhia de Sharpe Sharpe's Company 1982
1812 Sharpe's Sword 1983
1812[24] Sharpe's Enemy 1984
1813 Sharpe's Honour 1985
1813 Sharpe's Regiment 1986
1814 Sharpe's Siege 1987
1809[25] Os Fuzileiros de Sharpe Sharpe's Rifles 1988
1814 Sharpe's Revenge 1989
1815 Sharpe's Waterloo 1990
1820 Sharpe's Devil 1992
1811[26] A Batalha de Sharpe Sharpe's Battle 1995
1799[27] O Tigre de Sharpe Sharpe's Tiger 1997
1803[28] O Triunfo de Sharpe Sharpe's Triumph 1998
1803[29] A Fortaleza de Sharpe Sharpe's Fortress 1999
1805[30] Sharpe em Trafalgar Sharpe's Trafalgar 2000
1807[31] A Presa de Sharpe Sharpe's Prey 2001
1812[32] Sharpe's Skirmish 2002
1809[33] A Devastação de Sharpe Sharpe's Havoc 2003
1814[34] Sharpe's Christmas 2003
1810[35] A Fuga de Sharpe Sharpe's Escape 2004
1811[36] A Fúria de Sharpe Sharpe's Fury 2006

As Crônicas de ArthurEditar

 Ver artigo principal: Crônicas de Artur

Uma trilogia contendo uma recriação de Cornwell da Britânia Arturiana. A série coloca que a Britânia pós-Roma foi um tempo difícil para os Bretões Nativos, sendo ameaçados por invasões dos Anglo-Saxões no leste e dos Irlandeses no oeste. Ao mesmo tempo, eles sofriam de brigas internas entre reinos menores e atritos entre a antiga religião Druida e o recém chegado Cristianismo. O autor já afirmou com frequência que essas são suas histórias favoritas, "Eu devo confessar que de todos os livros que eu escrevi esses três são meus favoritos."[37]

Livros da Série As Crônicas de Arthur
Período

Retratado

Título no Brasil[38] Título Original[39] Primeira

Publicação

480[40] O Rei do Inverno The Winter King 1995
495[41] O Inimigo de Deus Enemy of God 1996
525[42] Excalibur Excalibur 1997

A Busca do GraalEditar

 Ver artigo principal: A Busca do Graal

Essa série retrata uma busca ao Santo Graal na metade do século 14, em meio à Guerra dos Cem Anos. O arqueiro Inglês Thomas de Hookton se envolve na busca pelas ações de um soldado mercenário conhecido como Arlequin, que mata a família de Thomas em sua busca obsessiva pelo Graal. Em determinado momento, Cornwell planejava escrever mais livros sobre o arqueiro e disse que, logo após concluir O Herege, dizendo: "comecei outro livro de Thomas de Hookton, e então parei - principalmente porque eu senti que a história terminou em O Herege, e eu estava tentando tirar demais dele. O que não quer dizer que eu não vá retomar a idéia no futuro." [43] Ele retornou ao personagem em 1356, publicado em 2012.

Livros da Série A Busca do Graal
Período

Retratado

Título no Brasil[44] Título Original[45][46] Primeira

Publicação

1342[47] O Arqueiro Harlequin 2000
1347[48] O Andarilho Vagabond 2002
1347[49] O Herege Heretic 2003
1356[46] 1356 1356 2012

As Crônicas SaxônicasEditar

 Ver artigo principal: Crônicas Saxônicas

Também conhecida como O Último Reino, a mais recente série de livros de Cornwell foca no reino Anglo-Saxão de Wessex, Inglaterra, no século IX, onde o reinado de Alfredo, O Grande enfrenta firmemente os dinamarqueses e está determinado a consolidar a Inglaterra como um país. A idéia da série tomou forma em sua mente após encontrar seu pai biológico no Canadá, e aprender sobre sua própria ancestralidade até os dias de Uhtred de Bebbanburg, que se tornou o protagonista da série.[15] Cornwell percebeu que a maioria dos Ingleses não percebe como a nação se tornou a Inglaterra (England), e não a Dane-land ("Dinamarterra", ou Terra Dinamarquesa) naquela era de múltiplos povos na ilha da Grã-Bretanha.

O primeiro romance foi publicado em 2004, e a série continuou até após a morte de Alfredo, com seus herdeiros consolidando a nação. O romance mais recente, Sword of Kings, é o décimo segundo da série, e Cornwell já anunciou em mídias sociais que o décimo terceiro livro será intitulado War Lord, e será o último da série.[50]

O Último Reino, e O Cavaleiro da Morte foram a base para a primeira temporada da série de televisão The Last Kingdom, enquanto Os Senhores do Norte e A Canção da Espada foram a base para a segunda temporada. A terceira temporada teve como base Terra em Chamas e Morte dos Reis. Uma quarta temporada foi lançada em Abril de 2020, e a quinta foi confirmada sem data definida.[51]

Livros da Série As Crônicas Saxônicas
Período

Retratado

Título no Brasil[52] Título Original[53] Primeira

Publicação

866[54] O Último Reino The Last Kingdom 2004
877[55] O Cavaleiro da Morte The Pale Horseman 2005
878[56] Os Senhores do Norte The Lords of the North 2006
885[57] A Canção da Espada Sword Song 2007
895 Terra em Chamas The Burning Land 2009
899 Morte dos Reis Death of Kings 2011
910 O Guerreiro Pagão The Pagan Lord 2013
911[58] O Trono Vazio The Empty Throne 2014
Guerreiros da Tempestade Warriors of the Storm 2015
917 O Portador do Fogo The Flame Bearer 2016
918 A Guerra do Lobo War of the Wolf 2018
Sword of Kings 2019
War Lord

As Crônicas de StarbuckEditar

Quatro Romances passados durante a Guerra Civil Americana que seguem as aventuras de Nathaniel Starbuck, natural de Boston, enquanto serve no Exército Confederado. Um ponto notável na série é a aparição do filho de Richard Sharpe como um personagem de apoio. O autor já afirmou que não tem interesse em retomar o personagem.

Livros da Série As Crônicas de Starbuck
Período

Retratado

Título no Brasil[59] Título Original[60] Primeira

Publicação

1861[61] Rebelde Rebel 1993
1862[62] Traidor Copperhead 1994
1862[63] Inimigo Battle Flag 1995
1862 The Bloody Ground 1996


The Sailing ThrillersEditar

Não publicados no Brasil, esses são suspenses modernos, todos com o tema de velejar. Cornwell é um marinheiro tradicional e gosta de velejar com seu Cornish Crabber batizado de Royalist (Monarquista). Segundo o website do autor, provavelmente não haverão novos títulos na série: "Eu gostei de escrever os suspenses, mas desconfio que me dou melhor escrevendo romances históricos. Eu sempre fico maravilhado quando as pessoas querem mais dos livros de veleiros, mas não pretendo escrever mais nenhum, pelo menos por enquanto - mas quem sabe? Talvez quando eu me aposentar."[64] "Escrever sobre personagens em um barco é difícil, os personagens não podem fugir, não podem ir à lugar nenhum. Acho que não vou escrever outro romance em um barco por algum tempo."

Livros da Série The Sailing Thrillers
Período

Retratado

Título Original[65] Primeira

Publicação

Wildtrack 1988
Sea Lord / Killer's Wake 1989
Crackdown 1990
Stormchild 1991
1990 Scoundrel 1992


Susannah KellsEditar

Livros não publicados no Brasil, contam sobre a Guerra Civil Inglesa, o conflito entre Oliver Cromwell contra Charles I. Ele escreveu junto de sua esposa Judy, sob o pseudônimo se Susannah Kells.

Livros publicados junto de Susannah Kells
Período

Retratado

Título Original Primeira

Publicação

segunda metade do século XVII A Crowing mercy 1983
Fallen Angels 1984
Coat of Arms / The Aristocrats 1986

Livros sem SérieEditar

Livros que não fazem parte de nenhuma sequência de histórias.

O Forte e Redcoat se passam durante a Revolução Americana, acompanhando soldados britânicos, sendo que o primeiro se passa na Expedição Penobscot de 1779.

Azincourt é um livro que Cornwell sempre quis escrever, e o fez após quarenta anos de pesquisa.

Tolos e Mortais se passa no período Elizabetano, e foi escrito entre os livros das Crônicas Saxônicas. É diferente dos outros livros do autor publicados no Brasil, sem grandes batalhas ou guerras, apresentando a relação entre William Shakespeare e seu irmão Richard.[66]

Livros com Aventuras sem Série
Período

Retratado

Título no Brasil Título Original Primeira

Publicação

1777[67] Redcoat 1987
por volta de 2000 a.c.[68] Stonehenge Stonehenge 1999
1871 O Condenado Gallows Thief 2001
1415[69] Azincourt Azincourt / Agincourt 2008
1779[70] O Forte The Fort 2010
fim do século XVI Tolos e Mortais Fools and Mortals 2017

Obras Não FictíciasEditar

Em adição aos seus muitos romances, incluindo um relato fictício da Batalha de Waterloo, Cornwell publicou um livro de não ficção, Waterloo: A História de Quatro Dias, Três Exércitos e Três Batalhas, publicado em 2014, no aniversário de 200 anos da batalha.[71] Também lançou Sharpe's Story, apenas no formato eBook, não publicado em português, contando como foi a escrita de sua série de livros mais longa.[72]

Lista de Livros de Não Ficção
Título no Brasil Título Original Ano da Primeira Publicação
Waterloo Waterloo; The History of Four Days, Three Armies and Three Battles 2014
Sharpe's Story 2007

Referências

  1. a b «Bernard Cornwell». Grupo Editorial Record. Consultado em 20 de janeiro de 2020 
  2. «Bernard Cornwell: BBC made The Last Kingdom due to its 'interesting echoes of today'». the Guardian (em inglês). 17 de outubro de 2015. Consultado em 1 de setembro de 2020 
  3. a b «About | Bernard Cornwell». www.bernardcornwell.net. Consultado em 1 de setembro de 2020 
  4. «The Doctor's Dilemma/The Peculiar People - Wikisource, the free online library». en.m.wikisource.org. Consultado em 1 de setembro de 2020 
  5. Hardy, Frances (22 de outubro de 2016). «Sharpe author whose books loved by millions subjected to horror abuse». Mail Online. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  6. a b c d e «A Page in the Life: Bernard Cornwell». The Telegraph (em inglês). Consultado em 1 de setembro de 2020 
  7. a b «Barnes & Noble.com - Re: About the Book and Author - Bernard Cornwell on Lords of the North - B&N; Book Clubs». web.archive.org. 25 de fevereiro de 2008. Consultado em 1 de setembro de 2020 
  8. Brown, Maggie (17 de outubro de 2015). «Bernard Cornwell: BBC made The Last Kingdom due to its 'interesting echoes of today'». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077. Consultado em 1 de setembro de 2020 
  9. «Bernard Cornwell: Interview | The Bookseller». www.thebookseller.com. Consultado em 1 de setembro de 2020 
  10. «Bernard Cornwell - Saída de Emergência». www.saidadeemergencia.com. Consultado em 20 de janeiro de 2020 
  11. «About Sharpe | History | Yesterday Channel». yesterday.uktv.co.uk. Consultado em 1 de setembro de 2020 
  12. «Bernard Cornwell's Introduction - The Sharpe Appreciation Society». web.archive.org. 24 de março de 2012. Consultado em 1 de setembro de 2020 
  13. «Book sources». Wikipedia (em inglês). Consultado em 1 de setembro de 2020 
  14. «Book sources». Wikipedia (em inglês). Consultado em 1 de setembro de 2020 
  15. a b «Bernard Cornwell Talks The Pagan Lord, The Challenges of Historical Fiction, And Future Plans | Emertainment Monthly». web.archive.org. 22 de junho de 2014. Consultado em 1 de setembro de 2020 
  16. WARRIORS OF THE STORM | Kirkus Reviews (em inglês). [S.l.: s.n.] 
  17. «BOOKS BY BERNARD CORNWELL | Bernard Cornwell». www.bernardcornwell.net. Consultado em 4 de setembro de 2020 
  18. Bean, Sean; O'Malley, Daragh; Tams, John; Salkey, Jason (5 de maio de 1993), Sharpe, consultado em 2 de setembro de 2020 
  19. «As Aventuras de um Soldado nas Guerras Napoleônicas - Grupo Editorial Record». Record. Consultado em 2 de Setembro de 2020 
  20. «Sharpe Books | Series | Bernard Cornwell». www.bernardcornwell.net. Consultado em 2 de setembro de 2020 
  21. Cornwell, Bernard (1981). A Águia de Sharpe. Rio de Janeiro: Record. p. capa 
  22. Cornwell, Bernard (1981). O Ouro de Sharpe. Rio de Janeiro: Record. p. capa 
  23. Cornwell, Bernard (1982). A Companhia de Sharpe. Rio de Janeiro: Record. p. capa 
  24. «Sharpe's Enemy | Bernard Cornwell». www.bernardcornwell.net. Consultado em 2 de setembro de 2020 
  25. Cornwell, Bernard (1988). Os Fuzileiros de Sharpe. Rio de Janeiro: Record. p. capa 
  26. Cornwell, Bernard (1995). A Batalha de Sharpe. Rio de Janeiro: Record. p. capa 
  27. Cornwell, Bernard (1997). O Tigre de Sharpe. Rio de janeiro: Record. p. capa 
  28. Cornwell, Bernard (1998). O Triunfo de Sharpe. Rio de Janeiro: Record. p. capa 
  29. Cornwell, Bernard (1999). A Fortaleza de Sharpe. Rio de Janeiro: Record. p. capa 
  30. Cornwell, Bernard (2000). Sharpe em Trafalgar. Rio de Janeiro: Record. p. capa 
  31. Cornwell, Bernard (2001). A Presa de Sharpe. Rio de Janeiro: Record. p. capa 
  32. «Sharpe's Skirmish | Bernard Cornwell». www.bernardcornwell.net. Consultado em 2 de setembro de 2020 
  33. Cornwell, Bernard (2003). A Devastação de Sharpe. Rio de Janeiro: Record. p. capa 
  34. «Sharpe's Christmas | Bernard Cornwell». www.bernardcornwell.net. Consultado em 2 de setembro de 2020 
  35. Cornwell, Bernard (2004). A Fuga de Sharpe. Rio de Janeiro: Record. p. capa 
  36. Cornwell, Bernard (2006). A Fúria de Sharpe. Rio de Janeiro: Record. p. capa 
  37. «The Arthur Books (Information) | Bernard Cornwell». www.bernardcornwell.net. Consultado em 2 de setembro de 2020 
  38. «As Crônicas de Artur - Grupo Editorial Record». Consultado em 2 de Setembro de 2020 
  39. «The Arthur Books | Series | Bernard Cornwell». www.bernardcornwell.net. Consultado em 2 de setembro de 2020 
  40. Cornwell, Bernard (1995). O Rei do Inverno. rio de Janeiro: Record. p. 12 
  41. Cornwell, Bernard (1996). O Inimigo de Deus. Rio de Janeiro: Record. p. 14 
  42. Cornwell, Bernard (1996). Excalibur. Rio de Janeiro: Record. p. 7 
  43. «Bernard Cornwell - The Author's Official Site - Sharpe Books dot com». web.archive.org. 27 de setembro de 2007. Consultado em 2 de setembro de 2020 
  44. «A Busca do Graal - Grupo Editorial Record». Consultado em 2 de Setembro de 2020 
  45. «Grail Quest | Series | Bernard Cornwell». www.bernardcornwell.net. Consultado em 2 de setembro de 2020 
  46. a b «1356 | Bernard Cornwell». www.bernardcornwell.net. Consultado em 2 de setembro de 2020 
  47. Cornwell, Bernard (2000). O Arqueiro. Rio de Janeiro: Record. p. 8 
  48. «Vagabond | Bernard Cornwell». www.bernardcornwell.net. Consultado em 2 de setembro de 2020 
  49. Cornwell, Bernard (2003). O Herege. Rio de Janeiro: Record. p. 7 
  50. «Bernard Cornwell». www.facebook.com. Consultado em 2 de setembro de 2020 
  51. Kanter, Jake; Kanter, Jake (7 de julho de 2020). «'The Last Kingdom' Renewed For Season 5 By Netflix». Deadline (em inglês). Consultado em 2 de setembro de 2020 
  52. «As Crônicas Saxônicas - Grupo Editorial Recorc». Consultado em 2 de Setembro de 2020 
  53. «The Last Kingdom Series | Series | Bernard Cornwell». www.bernardcornwell.net. Consultado em 2 de setembro de 2020 
  54. Cornwell, Bernard (2004). O Último reino. Rio de Janeiro: Record. p. 6 
  55. Cornwell, Bernard (2005). O Cavaleiro da Morte. Rio de Janeiro: Record. p. 8 
  56. Cornwell, Bernard (2006). Os Senhores do Norte. Rio de Janeiro: Record. p. 111 
  57. Cornwell, Bernard (2007). A Canção da Espada. Rio de Janeiro: Record. p. 33 
  58. Cornwell, Bernard (2014). O Trono Vazio. Rio de Janeiro: Record. p. 29 
  59. «As Crônicas de Starbuck - Grupo Editorial Record». Consultado em 2 de Setembro de 2020 
  60. «Starbuck Chronicles | Series | Bernard Cornwell». www.bernardcornwell.net. Consultado em 2 de setembro de 2020 
  61. Cornwell, Bernard (1994). Rebelde. Rio de Janeiro: Record. p. 1 
  62. Cornwell, Bernard (1995). Traidor. Rio de Janeiro: Record. p. 6 
  63. Cornwell, Bernard (1996). Inimigo. Rio de Janeiro: Record. p. 20 
  64. «Bernard Cornwell - The Author's Official Site - Sharpe Books dot com». web.archive.org. 2 de setembro de 2011. Consultado em 2 de setembro de 2020 
  65. «Thrillers | Series | Bernard Cornwell». www.bernardcornwell.net. Consultado em 2 de setembro de 2020 
  66. «'Dramatic new departure' for Bernard Cornwell | The Bookseller». www.thebookseller.com. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  67. Cornwell, Bernard (1987). Redcoat. [S.l.]: Penguin Books. p. 23 
  68. «Stonehenge». Consultado em 2 de Setembro de 2020 
  69. «Azincourt - Grupo Editorial Record». Consultado em 2 de Setembro de 2020 
  70. Cornwell, Bernard (2010). O Forte. Rio de Janeiro: Record. p. 17 
  71. «Battle of Waterloo by Bernard Cornwell». web.archive.org. 9 de julho de 2014. Consultado em 2 de setembro de 2020 
  72. «Sharpe's Story | Bernard Cornwell». www.bernardcornwell.net. Consultado em 2 de setembro de 2020 


Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Bernard Cornwell
 
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Bernard Cornwell