Abrir menu principal
Damião António Franklin
Arcebispo da Igreja Católica
Arcebispo de Luanda
Atividade Eclesiástica
Diocese Arquidiocese de Luanda
Nomeação 23 de janeiro de 2001
Predecessor Dom Alexandre Cardeal do Nascimento, O.P.
Sucessor Dom Filomeno do Nascimento Vieira Dias
Mandato 2001 - 2014
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 28 de junho de 1978
Nomeação episcopal 29 de maio de 1992
Ordenação episcopal 12 de julho de 1992
Sé Catedral de Luanda
por Dom Alexandre Cardeal do Nascimento
Lema episcopal Euntes Docete
Nomeado arcebispo 23 de janeiro de 2001
Brasão arquiepiscopal
ArchbishopPallium PioM.svg
Dados pessoais
Nascimento Cabinda
6 de agosto de 1950
Morte Joanesburgo
28 de abril de 2014 (63 anos)
Nacionalidade angolano
Funções exercidas - Bispo-auxiliar de Luanda (1992-2001)
dados em catholic-hierarchy.org
Arcebispos
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Damião António Franklin (Cabinda, Angola, 6 de Agosto de 1950 - Joanesburgo, 28 de abril de 2014) foi um prelado angolano, e Arcebispo de Luanda. De Outubro de 2003 ate o 20 de Novembro 2009 foi presidente da Conferência Episcopal de Angola e São Tomé (CEAST). Foi também reitor da Universidade Católica de Angola (UCAN).[1]

BiografiaEditar

Damião Franklin nasceu em Cabinda, e foi ordenado sacerdote em Junho de 1978. Em 29 de maio de 1992, foi nomeado Bispo Auxiliar de Luanda e Bispo-titular de Falerone. Ele recebeu a consagração episcopal no mês de Julho seguinte 12 a partir de Alexandre Cardeal do Nascimento, com o Arcebispo Eduardo Muaca e Félix del Blanco Prieto servindo como co-consagrantes.[2]

Franklin foi posteriormente nomeado Arcebispo de Luanda, em 23 de Janeiro de 2001. Ele lamentou a corrupção em seu país, dizendo: "Grande parte da riqueza de Angola vai com armamento. Alguns continua extravagância como este novo palácio presidencial, que quase nunca é utilizado. Enormes somas simplesmente desaparecer, em mãos privadas."[3]

Antes das eleições legislativas de 2008, as primeiras eleições em Angola desde 1992, o que desencadeou a segunda fase da Guerra Civil, o arcebispo declarou: "A melhor maneira de evitar a guerra é fazer as eleições em uma forma incontestavelmente livres, justas e transparentes. É importante que os partidos políticos para continuar a colaborar com as igrejas, com vista a sensibilizar a sociedade para uma maior participação no processo eleitoral."[4]

Serviu como secretário de Peter Kodwo Appiah Turkson no Sínodo Especial dos Bispos para a África em Outubro de 2009.[5]

Foi durante muitos anos Reitor da Universidade Católica de Angola. Renunciou a estas funções, voluntariamente, por razões de saúde, em junho de 2013. Faleceu na África do Sul em 28 de abril de 2014.[2]

Ligações externasEditar

Referências