Abrir menu principal

Sobre os Destinos dos Homens Famosos

Boccaccio e sua audiência Des cas des nobles hommes et femmes, França, ca. 1520
reto iluminado da versão francesa (ca. 1467)
Alparslano (r. 1063–1072) humilhando o imperador Romano IV Diógenes (r. 1068–1071). Da tradução de um ilustrado francês
Julgamento de João II d'Alençon, outubro de 1458

Sobre os Destinos dos Homens Famosos (em latim: De Casibus Virorum Illustrium) é um trabalho de 56 biografias em prosa latina composto pelo poeta florentino Giovanni Boccaccio na forma de histórias morais das quedas de pessoas famosas, similar a seu trabalho de 106 biografias De mulieribus claris.

Visão geralEditar

A obra uma enciclopédia de biografia histórica e uma parte da tradição clássica de historiografia. Ele lida com as fortunas e calamidades de pessoas famosas começando com o bíblico Abraão, passando para pessoas antigas e mitológicas, e então para pessoas do próprio tempo de Boccaccio, no século XIV.[1] O trabalho foi tão bem sucedido que gerou o que tem sido referido como a tradição do Sobre os Destinos,[2] influenciando muitos outros autores famosos como Geoffrey Chaucer, John Lydgate e Laurent de Premierfait.[3] Sobre os Destinos também inspirou figuras de personagens em trabalhos como Os Contos da Cantuária,[4] O conto do Macaco[5] e Queda dos Príncipes (c. 1409),[6] Des cas de nobles hommes et femmes (ca. 1409)[7] e Caida de principles (uma coleção espanhola do século XV), e "Um Espelho para Magistrados" (uma continuação muito popular escrita no século XVI por William Baldwin e outros).

Boccaccio escreveu o número de seu trabalho ca. 1355-1360 com revisões e modificações até 1374. Por quase 400 anos este trabalho foi o melhor conhecido de seu material. Este periódico latino foi muito mais lido do que os agora famosos contos vernáculos toscano/italianos de Decamerão.[8] O período renascentista viu o desenvolvimento da biografia secular que foi liderada, em parte, pelo sucesso de seu trabalho sendo um estímulo e força motriz do novo gênero de biografia moral. Sobre os Destinos decorre da tradição da literatura de trabalhos exemplares sobre pessoas famosas. Mostrou com a vida destas pessoas que não eram apenas biografias, mas instantâneos de suas virtudes morais.[9] Boccaccio relaciona biografias de pessoas famosas que estavam no auge da felicidade e caíram no infortúnio quando menos esperavam. Este evento triste é às vezes referido como uma "tragédia Sobre os Destinos" em homenagem a seu trabalho. William Shakespeare, bem como Christopher Marlowe, criaram personagens baseados neste fenômeno.[10]

A perspectiva de Boccaccio centrou-se no disastro que aguarda todos que são favorecidos demais pela sorte e em catástrofes inevitáveis que esperam aqueles com grande fortuna.[11] Ele oferece um comentário moral para superar o infortúnio, aderindo a virtude através de um mundo de Deus.

Vidas recontadasEditar

Referências

  1. «History of the Tragedy» (em inglês). Consultado em 15 de setembro de 2013 
  2. Scanlon 1994, p. 119.
  3. Coates 2005, p. 596-617.
  4. «Influences» (em inglês). Consultado em 15 de setembro de 2013 
  5. Babcock 1931, p. 205-213.
  6. Dwyer 1978, p. 155-171.
  7. «John Lydgate: The Fall of Princes» (em inglês). Consultado em 15 de setembro de 2013 
  8. Hall 1962, Introdução.
  9. Kibler 1995, p. 129.
  10. «Medieval tragedy» (em inglês). Consultado em 15 de setembro de 2013 
  11. «De casibus virorum illustrium» (em inglês). Consultado em 15 de setembro de 2013 

BibliografiaEditar

  • Babcock, R. W. (1931). «The Mediæval Setting of Chaucer's Monk's Tale». Modern Language Association. PMLA. 46 (1) 
  • Coates, Alan; et al. (2005). A Catalogue of Books Printed in the Fifteenth Century now in the Bodleian Library. Oxford: Oxford University Press. ISBN 0-19-951373-2 
  • Dwyer, Richard A. (1978). «Arthur's Stellification in the Fall of Princes». Philological Quarterly. 57 
  • Hall, Louis Brewer (1962). De casibus illustrium virorum. Gainesville: Scholars' Facsimiles & Reprints 
  • Kibler, William W. (1995). Medieval France: An Encyclopedia. Paris: Routledge Publisher. ISBN 0-8240-4444-4 
  • Scanlon, Larry (1994). Narrative, Authority, and Power: The Medieval Exemplum and the Chaucerian. [S.l.]: Cambridge University Press. ISBN 0-521-04425-1