Abrir menu principal
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a incoerências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a coerência e o rigor deste artigo.
Rafael Nadal, ganhador de quatro ocasiões do Roland Garros, em uma ocasião do Campeonato de Wimbledon, do Aberto da Austrália, campeão olímpico e número um do mundo.

O esporte em Espanha (pt-BR) ou desporto em Espanha (pt) é dominado principalmente pelo Judô (desde o século XIX), o basquetebol, o ciclismo, o tênis, e o handebol, e pelos desportos motorizados. Contudo, o país teve campeões do mundo em desportos tão díspares como esgrima, pádel, polo aquático, boxe ou atletismo.

Além disso, o país é um grande área turístico devido a suas infraestruturas desportivas, como as instalações para esportes aquáticos e golfe.

Índice

História do desporto em EspanhaEditar

Os primeiros tratados da esgrima se encontraram na Espanha no século XV, "A verdadeira esgrima" (1472) de J. Pons e "O manejo das armas de combate" (1473) de P. de la Torre. Além disso, Gaspar Melchor de Jovellanos elaborou um "Plano de Educação Pública", no qual figurava amplamente o exercício físico.

Para além de certos dados sobre o desporto no país, as origens da ginástica e a Educação Física foram em 1806, ano em que Francisco Amorós abriu em Madrid, o Real Instituto Militar Pestalozziano graças a Carlos IV e a Godoy. Teve grande prestígio e se praticava a ginástica, o hipismo, a esgrima e outros aparelhos concebidos pelo próprio.[1] Também Francisco de Aguilera, Conde de Villalobos, fundou e dirigiu o ginásio da Academia de Artillería de Segovia.

Durante os anos 1850 fundou-se a Sociedade espanhola para promover a criação de cavalos, além de criar os primeiros ginásios privados, como o madrilenho "Vignolles", em 1851, e o "Círculo particular ginástico", em 1853. A partir de 1875 aparecem as primeiras competições de ciclismo no parque do Retiro. Dois anos mais tarde nas festas da Merced em Barcelona também havia competições esportivas e em 1878 foi fundada a Sociedade Velocipedista Madrilenha e o Clube Velocipédico de Cádiz.

Embora as sociedades ciclistas se multiplicassem, criou-se a primeira associação de ginástica, a "Sociedad Gimnástica Española", em Madri. Além disso em 1889, foi fundado a primeira equipa de futebol, o Recreativo de Huelva e em 1892 o C.D. Riotinto. Em 1896 se legaliza oficialmente a federação de ciclismo, em 1898 criou-se a Federação Espanhola de Sociedades Ginásticas e durante os seguintes anos aparecem continuamente sociedades desportivas no futebol, natação, atletismo e hóquei.[2]

Durante os seguintes anos começaram as competições desportivas, como a primeira Copa da Espanha de Futebol em 1903 e as ligas que disputam os clubes das principais cidades espanholas, mas o verdadeiro 'boom' do futebol é adquirido após a medalha de prata nas Olimpíadas de 1920 na Antuérpia.[3] Em 1912 fundou-se o Comitê Olímpico Espanhol (COE) (foi reformulado de maneira definitiva em 11 de janeiro de 1924) e nos anos 1930, a política educativa da República promoveu o esporte através do ensino público.[4] Mas a Guerra Civil diminuiu o progresso e depois da guerra, em 1941, Francisco Franco ordenou que o desporto fosse tarefa da Falange, sendo depois parte da delegação nacional de desporto.

AtletismoEditar

 Ver artigo principal: História do atletismo na Espanha

O atletismo, como no resto do mundo, está muito enraizado na Espanha, principalmente em algumas modalidades como os 1.500 e 5.000 metros rasos, a maratona, o salto em distância e a marcha. A história do atletismo na Espanha conhecida remonta-se ao século XIX à prática das corridas, onde eram muito populares na Catalunha, Aragão e País Basco, embora as classificações não eram publicadas na imprensa.

Estas medalhas foram obtidas por atletas espanhóis nos Jogos Olímpicos:

Moscou 1980
Los Angeles 1984
Barcelona 1992
Atlanta 1996
Sydney 2000
Atenas 2004

BasquetebolEditar

 
Seleção espanhola de basquete, medalha de ouro no Campeonato Mundial de Basquete de 2006.
 Ver artigo principal: Basquete na Espanha

Espanha dispõe de uma das melhores ligas de basquetebol do mundo, a Liga ACB. Com um total de 28, é a segunda liga em números de títulos europeus, depois da liga italiana.

Desportos motorizadosEditar

Fernando Alonso foi bicampeão da Formula 1 em 2005 e 2006 e conseguiu 32 vitorias, sendo o unico piloto espanhol em ganar um Grande Premio ate agora. Particaparam 15 pilotos na Formula 1 e atualmente só Carlos Sainz Jr. representa a nacão. Espanha foi sede de dois Grandes Premios da Fórmula 1: o Grande Premio da Espanha e o Grande Premio da Europa.

Nos monoposto dos Estados Unidos, Oriol Servià resultou subcampeão da Champ Car em 2005 e quarto na IndyCar Series 2011. Enquanto as corridas de resistencia, destacam-se pilotos como Marc Gené (ganhador absoluto das 24 Horas de Le Mans), Fernando Alonso (ganhador absoluto das 24 Horas de Le Mans, as 24 Horas de Daytona, e campeão do Campeonato Mundial de Resistencia da FIA), Antonio García (campeão da American Le Mans Series e da IMSA SportsCar Championship, ganhador geral das 24 Horas de Daytona e vencedor de classe nas 24 Horas de Le Mans) e Fermín Vélez (ganhador das 12 Horas de Sebring)

Enquanto na disciplina de rali, Carlos Sainz sagrou-se campeão mundial de rali em 1990 e 1992, e subcampeão em quatro vezes. Outro piloto destacado é Dani Sordo, obteve duas terceiras posições no campeonato. No Rali Dakar, Marc Coma venceu cinco vezes na categoria de motos (2006, 2009, 2011, 2014 y 2015) enquanto Nani Roma ganhou numa ocasão na mesma categoria. Roma repetiu o sucesso na categoria de carros, ganhando no ano 2014. Também, Carlos Sainz obteve duas vitorias na mesma categoria (2010, 2018).

Espanha caracteriza-se por ter grandes pilotos no Campeonato Mundial de Motovelocidade. Ángel Nieto obteve 13 campeonato mundiais (6 na categoria 50cc e 7 na 125cc), Marc Marquez conseguiu sete (uma na 125cc, uma na Moto2 e cinco no MotoGP) e Jorge Lorenzo, cinco, (dois na 250cc e tres no MotoGP). Também, destacaram-se Àlex Crivillé (uma na 150cc e uma na 500cc), Jorge Martínez Aspar (tres na 80cc e uma na 125cc), Sete Gibernau, Sito Pons (dois nas 250cc (1988 e 1989)) e Dani Pedrosa. Atualmente Espanha recebe quatro Grandes Premios do Mundial de Motovelocidade e são: o Grande Premio da Catalunha, o Grande Premio da Espanha, o Grande Premio de Aragão, e o Grande Premio da Comunidade Valenciana.

Ver tambémEditar

Referências

  1. AS ORÍGENS DO ESPORTE ESPANHOL: O DESENVOLVIMENTO DE UM NOVO COMPONENTE CULTURAL URBANO Arquivado em 12 de junho de 2009, no Wayback Machine., revistakronos.com, Antonio Rivero Herraiz, Consultado em 19 de dezembro de 2008
  2. Notícias e opiniões pessoais Arquivado em 7 de setembro de 2008, no Wayback Machine., barris.org, Consultado em 19 de dezembro de 2008
  3. Especial Olimpíadas de Atenas, lukor.com, Consultado em 21 de dezembro de 2008
  4. Olimpismo, História do COE, coe.es, Consultado em 21 de dezembro de 2008

Ligações externasEditar