Abrir menu principal

Didi Quer Ser Criança

filme de 2004 dirigido por Alexandre Boury
Didi Quer Ser Criança
Didi Quer Ser Criança.jpg
 Brasil
2004 •  cor •  84 min 
Direção Alexandre Boury
Fernando Boury
Elenco Renato Aragão
Pedro Malta
Cláudio Heinrich
Werner Schünemann
Elias Gleizer
Didi Wagner
Malu Rodrigues
Género comédia
Música Mú Carvalho
Companhia(s) produtora(s) Renato Aragão Produções Artísticas
Diler e Associados
Distribuição Columbia TriStar
Lançamento 9 de julho de 2004[1]
Idioma português
Cronologia
Didi, o Cupido Trapalhão (2003)
Didi, o Caçador de Tesouros (2006)

Didi Quer Ser Criança é um filme brasileiro de 2004 dirigido por Alexandre Boury e Fernando Boury.[2] Estrelado pelo comediante Renato Aragão, interpretando seu clássico personagem Didi. No elenco também está Werner Schunemann, Cláudio Heinrich, Didi Wagner, Daniela Cicarelli, Elias Gleizer, Charles Paraventi, Pedro Malta e Malu Rodrigues. O filme também contou com a participação musical da cantora Luka.

Didi Quer Ser Criança conta a história de Didi e seu amigo Felipinho (Pedro Malta) que descobrem balas mágicas, capazes de transformar em criança ou adulto, quem come-las. O filme foi indicado ao Grande Prêmio Brasileiro de Cinema na categoria Melhor Maquiagem.[3]

Índice

SinopseEditar

Didi (Renato Aragão) é funcionário de uma pequena fábrica de doces, a Cosme e Damião, de propriedade de Seu Tião (Elias Gleizer). De repente, o dono descobre que as vendas dos doces caíram vertiginosamente, devido principalmente à concorrência de uma poderosa empresa, a Pirulito Dourado, cujo dono é o inescrupuloso empresário Armando (Werner Schünemann), e que faz sucesso devido a seus doces extremamente artificiais e suas agressivas campanhas de marketing. O trapalhão Didi pensa em como poderia voltar a ser criança, para poder ajudar o patrão.

Didi tem como melhor amigo o jovem Felipe (Pedro Malta), que tem como sonho tornar-se adulto para poder se aproximar das mulheres. De repente, algumas balas mágicas aparecem, fazendo com que Didi e Felipe troquem de personalidade: Didi vira criança (sendo vivido por Bruno Cariati e dublado por Renato Aragão) e Felipe vira adulto (e passa a ser interpretado por Cláudio Heinrich).

ElencoEditar

RecepçãoEditar

O público usuário do IMDB deu a nota 2,3 de 10.[4] O público do site AdoroCinema deu nota 3.2 e três estrelas de cinco.[5]

O filme teve recepção negativa por parte dos críticos de cinema. Thiago Stivaletti, da Folha de S. Paulo criticou o roteiro do filme, chamando-o de confuso e que "resolve misturar tramas óbvias".[6] O crítico do Cineplayers pontuou o filme com duas estrelas de cinco, afirmando que a história "é até bem pensada, mas, pra variar, é muito mal realizada. Nitidamente feita à toque de caixa, sem preocupação com qualidade."[7] Eduardo Valente, do Contracampo, escreveu que "as cenas supostamente engraçadas não têm a menor graça. E isso acontece porque hoje Renato Aragão não é mais o Didi (por mais que se tente dizer que sim) - aquele comediante solto, anárquico, muitas vezes surreal e ácido." O crítico ainda escreve ao finalizar afirmando: "Só nos resta acreditar que os filmes de Renato Aragão hoje são tão pouco pensados e feitos com tanta pressa/preguiça que ninguém está mais entendendo, na sua realização, o que se está dizendo de fato (ou sequer estão preocupados com isso)."[8]

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Aragão estréia 44º filme: Didi quer ser criança». Estadão. 9 de julho de 2004. Consultado em 13 de maio de 2015 
  2. «Memória Globo - Elias Gleizer» 
  3. «Academia Brasileira de Cinema - Finalistas 2005» 
  4. https://www.imdb.com/title/tt0419684/ratings?ref_=tt_ov_rt
  5. http://www.adorocinema.com/filmes/filme-202043/
  6. Stivaletti, Thiago (9 de julho de 2004). «Renato Aragão se atrapalha em solo». Folha de S. Paulo 
  7. «Crítica: Didi Quer Ser Criança». 22 de maio de 2009. Consultado em 17 de junho de 2019 
  8. Valente, Eduardo. «Crítica: Didi Quer Ser Criança». Consultado em 17 de junho de 2019 

Ligações externasEditar