Discussão:José Saramago

Discussões ativas

Prémio Nobel é dado pelo conjunto da obraEditar

Retirei o trecho "Prémio Nobel de 1998" do lado de "Ensaio sobre a Cegueira" porque o prémio é dado ao cinjunto da obra de um autor, e não a um livro em especial.

Por acaso isso nem sempre é verdade.


Acusações de anti-semitismoEditar

A secção Acusações de Anti-Semitismo contém argumentação do editor (Tais acusações omitem, contudo, que Saramago e outros pensadores marxistas repudiam completamente o Holocausto e não defendem quaisquer perseguições a judeus ou a qualquer grupo religioso ou racial, ao contrário da extrema-direita. etc), não de alguma fonte, é, portanto, uma tentativa do editor de defender sua posição, não de meramente expor os factos e sua repercussão pública. Isso é contrário à política No original research da Wikipedia, que diz que um texto é inapropriado se: "it introduces an argument, without citing a reputable source for that argument, that purports to refute or support another idea, theory, argument, or position". (cf. No original research: What is excluded?) Estou, pois, removendo o trecho inapropriado. --Kugland 17h28min de 26 de Agosto de 2007 (UTC)

A seção Acusações de Anti-Semitismo tem apenas um ponto de vista. Saramago já se defendeu publicamente dessas acusações. Exemplo: BBC --Patrick 19:50, 3 Set 2004 (UTC)

O problema é a declaração que lhe é atribuída: os Judeus não merecem mais a simpatia pelo sofrimento por que passaram durante o Holocausto... Vivendo sob as trevas do Holocausto e esperando ser perdoados por tudo o que fazem em nome do que eles sofreram parece-me ser abusivo. Eles não aprenderam nada com o sofrimento dos seus pais e avós Ela é originária da wikipédia em inglês e os únicos lugares onde eu a encontrei no google foram na própria wikipédia e no adl.org (e outros que, por sua vez, o citaram). Já na BBC, o que eu encontrei foi: ele foi questionado por ter comparado a situação dos palestinos em Ramallah (Cisjordânia) à dos judeus no campo de concentração de Auschvitz, durante a Segunda Guerra Mundial. Por isso, eu tenho dúvidas quanto à primeira declaração. --Patrick 20:27, 3 Set 2004 (UTC)
O texto foi noticiado pelo Globo de 14/10 segundo este site com as reacções da edição 15/10 publicadas aqui :[1] --Joaotg 20:48, 3 Set 2004 (UTC)
Texto da edição 14 do Globo aqui: [2]

Sumarize as respostas dele, se quiser. Ambas as perspectivas têm um lugar na Wikipédia --Joaotg 19:55, 3 Set 2004 (UTC)

  • O saramago é um comunista, e naturalmente tende a ser um "pouco anti-americano". --Pedro 20:15, 3 Set 2004 (UTC)

O Saramago é uma pessoa que tem direito a ter as suas opiniões. Nada do que ele disse pode ser considerado anti-semitismo. Apenas há pessoas que pensam que por serem judeus e terem sido perseguidos e chacinados têm o direito de fazer o mesmo aos outros - eu também acho isso condenável. Sou anti-semita por causa disso?... Seja como for, acho que o artigo deve ser o mais neutral possível, indicando, também a opinião (tola, quanto a mim, mas que foi efectivamente noticiada) de quem o considera anti-semita - ainda que seja importante referir a defesa do autor que não é, claramente, nem anti-semita nem anti-americano (é com certeza, anti-imperialista - com certeza que não terá qualquer preconceito em relação a americanos- e não tem, posso assegurar). Manuel Anastácio 20:23, 3 Set 2004 (UTC)

Você não é anti-semita por considerar que é condenável que os judeus achem que têm direito de perseguir e chacinar, é anti-semita por dizer que os judeus acreditam que têm esse direito. Porque, mesmo que ad argumentandum aceitemos que o Estado de Israel é um malvado estado semi-nazista, que pratica o extermínio sistemático dos palestinos – o que, creio, não é verdade –, você diz que OS JUDEUS pensam assim, não a direita israelense, não os militares israelenses, mas os judeus, a raça judaica. Então você é um anti-semita desprezível, sim, Sr. Manuel Anastácio. --Kugland 18h28min de 26 de Agosto de 2007 (UTC)

~

Resposta na discussão deste usuário.

Foi director do Diário de Notícias, tendo então ganho uma reputação de parcialidade para promoção dos seus ideais políticos. Parece-me que esta frase não respeita o principio de imparcialidade. Quem são as pessoas que fazem essa acusão? Deveriam ser nomeadas. Parodoxalmente acusa-se o Saramago de parcialidade com uma frase ela própria parcial!

Declarou ainda que Saramago é "um dos últimos titãs de um gênero literário que está suspirando. Aqui não percebo o que se pretende dizer com "suspirando". Talvez seja português do Brasil ou talvez seja da tradução do inglês. Já encontrei na Wikipedia, penso que no artigo sobre Maomé ou no do Islão a palavra "flight", se referindo à fuga de Maomé de Meca para Medina, traduzida como "voo", que pode de facto ser um dos significados dessa palavra, mas não o mais correcto naquele contexto (é fuga). De acordo com o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora (8ª edição), suspirar significa: "dar suspiros"; soprar brandamente; sussurrar; exprimir por meio de suspiros; ter saudade de..."; No dicionário da Priberam a palavra é definida mais ou menos da mesmo forma:

v. tr. e int., significar por meio de suspiros; ter saudades de; dar suspiros; soprar levemente; rumorejar, murmurar; desejar ardentemente a presença de alguém ou de alguma coisa.

http://www.priberam.pt/dlpo/definir_resultados.aspx

Por último, parece-me que nesse artigo há um excesso de ligações externas para páginas críticas de Saramago, o que também não contribui para que o artigo seja imparcial e equidistante. --JLCA 14:21, 16 Outubro 2005 (UTC)




  • Concordo com muito do que JCLA disse, chamo a atenção para um facto muito importante: Saramgo quando foi para director do Diário de Notícias suspendeu temporariamente a filiação no PCP, o que o partido não gostou. Agora afirmar que a linha editorial de Saramago não foi isenta, é uma afirmação gratuita que sem comprovação me desagrada muito! Onde não posso deixar de notar que metade da página critica esta personalidade portuguesa do século, estará isto de alguma forma relacionado com o facto de Saramago ser comunista?


Eduardo Pinheiro 16:34, 24 Outubro 2005 (UTC)

Retirei trechoEditar

As declarações referidas nada contribuem com a biografia de Saramago, a não ser que fizéssemos uma lista de itens com declarações diversas, e não uma descontextualizada.

De mais a mais, ele não disse que é pró-nazismo, apenas que o holocausto passou.

--Marcelo Spalding 14:34, 4 Dezembro 2005 (UTC)


Só as declarações que lhe são favoráveis é que "contribuem", suponho :-) --Joaotg 14:41, 4 Dezembro 2005 (UTC)


Suponho que você não tenha feito jornalismo como eu e não goste nem um pouco da esquerda, como tantos. De qualquer forma, tirarei a acusação a não ser que coloque as opiniões de Saramago sobre outras coisas, como o neoliberalismo, a miséria e a mediocridade da sociedade portuguesa.

PS: quantos livros dele você leu?

--Marcelo Spalding 14:59, 4 Dezembro 2005 (UTC)




Deve ser por isso que a nossa imprensa falha de forma tão crassa em nos dar informação sobre Saramago. Se todos os jornalistas filtrarem as notícias como você... :-) Aposto que você viu neste artigo algumas coisas que ainda não sabia, mesmo tendo lido tantos livros sobre ele :-) --Joaotg 15:16, 4 Dezembro 2005 (UTC)

PS: Quantos livros sobre o anti-semitismo é que você já leu ? :-)

PS2: Escreva o que quiser sobre a opinião de Saramago sobre o neoliberalismo, a miséria e a mediocridade da sociedade portuguesa. Ninguém o impede. Só a sua própria preguiça (e a sua própria falta de interesse no assunto :-)


De fato marquei aqui para trabalhar no tópico, mas sei que você ditatorialmente mudará tudo de novo. Levarei o assunto para a Esplanada.

--Marcelo Spalding 16:07, 4 Dezembro 2005 (UTC)



Boa sorte, democrata :-) --Joaotg 16:41, 4 Dezembro 2005 (UTC)


Os salomônicos da Esplanada acham que tens razão - e eu também. Ou seja, não posso apagar trechos que são verídicos, mas também acham que o artigo está tendencioso e aponta o nosso Nobel como uma espécie de neonazista. Veja se concorda com a solução que encontrei no texto.

Só por favor, não reverta todas as alterações porque há alguns errinhos ao longo do texto que estou corrigindo.

--Marcelo Spalding 16:47, 4 Dezembro 2005 (UTC)

Autor desconhecidoEditar

"num artigo publicado a 3 de Maio de 2002 no jornal Público"

Quem é o autor ? --Joaotg 17:21, 4 Dezembro 2005 (UTC)


??Editar

Não fui eu quem fez a alteração no texto, mudei apenas a estrutura e uma outra pessoa mudou o texto. Deves perguntar a ela, apesar de que vi que já mudaste tudo de novo ao seu bel prazer...

--Marcelo Spalding 17:23, 4 Dezembro 2005 (UTC)

Frase sem autorEditar

Quem é o autor da frase seguinte ?:

"primeiro é necessário esmagar os palestinos para depois negociar com o que deles restar"

???Editar

Joaotg, você está bêbado? Marxismo não é uma coisa única para ter soltado tamanha pérola no verbete. Eu sou marxista mas não sou anti-semita, e agora? Viro um apenas me adequar ao que você escreveu? (p.s.: o marxismo de Saramago, para mim, é patético)--Cachorrinho está latindo lá no fundo do quntal 01:04, 5 Dezembro 2005 (UTC)

Muito sóbrioEditar

555, você é sempre mal educado ou só quando não tem argumentos ? Tenho aqui um link que lhe deva interessar: http://www.tau.ac.il/Anti-Semitism/asw2003-4/brazil.htm Procure páginas de internet de organizações neo-nazis e leia o que eles pensam sobre Israel e sobre Sharon. E depois verá que tenho razão quando escrevi que por vezes é difícil de distinguir se um determinado texto tem origem em círculos neo-nazis ou em círculos marxistas. Cumprimentos --Joaotg 08:38, 5 Dezembro 2005 (UTC)

Ok, e como isso é uma limitação intelectual sua vale a pena empurrar como se fosse limitação intelectual alheia? Desculpe-me, mas, seu eu fui sem educação, você anda sofrendo de síndrome de perseguição ou similar com qualquer assunto relacionado a judaísmo. Eu já fui assim com os de homossexualidade, mas, felizmente, parei de ser tão xiita. Respirar fundo e reler as edições é sempre um bom remédio antes de disparar metralhadora para todos os lados.--Cachorrinho está latindo lá no fundo do quntal 15:38, 5 Dezembro 2005 (UTC)
Clarificando duas coisas: Eric Hobsbawm, o historiador marxista que já arrecadou mais de U$15 mi vendendo livros, é judeu (não no aspecto religioso). Aliás, ele escreve exatamente sobre ocorridos no século XX, apesar de não se debruçar especificamente em questões judaicas. Pode ele ser anti-semita? O pai de Marx, apesar de também não ser religioso, era judeu. Marx, com isso, é um ateu neto de judeus. Espero que com isso tenha entendido o tamanho do disparate que disse em sua generalização. Indo até a Esplanada, verá que muitos que não são anti-semitas estão descontentes com edições que visam deixar bem claro que Saramago seria um quase Hitler--Cachorrinho está latindo lá no fundo do quntal 16:39, 5 Dezembro 2005 (UTC)
Cachorrinho está latindo lá no fundo do quintal, qual generalização e qual disparate ? Se há uma generalização ela é sua. Não sou responsável pelo que se passa na sua cabeça. O que escrevi é tão legítimo como o que alguém escreveu antes. Se alguém tem o direito de escrever no artigo que a atitude de Saramago é comum entre um determinado cículo político (esquerdista anti-capitalista), eu também tenho o direito de complementar essa afirmação dizendo que ela também é muito comum entre outros círculos (neo-nazis). Não é verdade ?
Estes outros comentários seus sobre Hobsbawn e Marx mostram bem o seu nível de compreensão sobre o fenómeno do Anti-semitismo. Se se tivesse interessado mais pelo assunto até aqui já poderia ter-se deparado com as acusações por vezes feita a Marx de anti-semitismo. E há uma série de Judeus que costumam ser citados quando se trata de criticar Israel, como Norman Finkelstein e outros idealistas. Se se interessar pelo fenómeno do anti-semitismo na esquerda, sugiro que acompanhe o debate em torno da tese de doutoramento escrita em 1933 por um médico esquerdista chileno na qual o seu autor, um certo Salvador Allende se pronunciava sobre os judeus de forma que o surpreenderá: Citação: "The Hebrews are well-known committers of certain types of crimes including: fraud, deceit, defamation, but most notably usury.".

http://service.spiegel.de/cache/international/spiegel/0,1518,356461,00.html

Repare também no exemplo inverso dos nazis como Goebbels, com um passado comunista, que foi marxista e apreciava Leon Tolstoi. Repare como Goebbels ao mudar do comunismo para o nazismo manteve uma mesma atitude: anti-capitalista. O mesmo com Salvador Allende, virando no sentido contrário. Goebbels e Allende são abertamente anti-capitalistas (e já agora veja-se a este respeito o que diz Jacques Attali no artigo Sociologia da religião). Apesar das mutações e evoluções no pensamento deles, eles mantiveram-se emocionalmente ligados a essa ideia: a rejeição do dinheiro, a mesma atitude do Saramago. E curiosamente (não faço nenhuma generalização, só constato um facto) também o Saramago aparece agora envolvido nestas discussões sobre o anti-semitismo... Curioso, não lhe parece ? Cumprimentos --Joaotg 10:02, 7 Dezembro 2005 (UTC)

Ser anti-semita ou simpático aos judeus é apenas uma, UMA ponta da questão! Não creio que alguém seja melhor ou pior porque odeia judeus ou odeia árabes ou odeia norte-americanos ou odeia negros. Alguém é melhor ou pior porque não tem esses arroubos de nacionalismo. Tenho amigos e parentes judeus e admiro muito a fé destes, mas também digo que são extremamente preconceituosos em relação a negros e ao espiritismo. Isso é correto?

O que não significa, João, que declarações anti-semitas sejam plausíveis. Mas como católico também não acho que arroubos ateus o sejam. E isso não me faz gostar menos do texto e das inovações, das histórias e dos livros de José Saramago. De mais a mais, vivemos num mundo de muita pobreza e exclusão, não mais no mundo da II Guerra em que os povos estavam divididos. Se há um povo perseguido e oprimido hoje são os árabes. Ou não?

Marcelo Spalding 13:05, 7 Dezembro 2005 (UTC)

A polêmica do Marx? Uma carta típica de alguém do século XIX que racializa as pessoas lida apressadamente não me diz nada. É o mesmo que no século XXIII alguém ler o meu primeiro comentário e dizer que eu sou anti-alcoólatras. Joaotg, reveja a tua edição e diga se o muito comum que inseriste não foi uma generalização. Após a caída da URSS (caiu tarde, como diz o Hobsbawm, que ignorou em meu comentário, marxistas que não leram nem a primeira página do Manifesto Comunista) muitos mudaram seus posicionamentos ideológicos. Terei de ler nos próximos dias um "comunista" que depois virou irracionalista, por exemplo (e não digo o nome para não fazer publicidade de quem não merece). Sinceramente, é uma sorte do mundo que aqueles que apoiaram a patética URSS mudaram seus posicionamentos ideológicos. Como ainda não se convenceu de que marxismo não é um pacotinho fechado (acompanha as notícias do Brasil? Alguns dizem que José Dirceu é marxista...), passarei a ignorar próximos comentários, principalmente que agora a edição do verbete está bem equilibrada.--Cachorrinho está latindo lá no fundo do quntal 20:03, 7 Dezembro 2005 (UTC)
O último trecho diz tudo:
"Os judeus que foram sacrificados nas câmaras de gás talvez se envergonhariam se tivéssemos tempo de lhes dizer como estão se portando os seus descendentes. - em entrevista a José Vericat, colaborador da BBC na Cisjordânia).
É precisamente isto que demonstra a falta de repeito pelos Judeus. Querem impor a ideia de que aquilo que acontece na Palestina é comparável ao que foi o Holocausto. Este tipo de afirmações só pode ter uma de duas origens: ou é ignorância ou é anti-semitismo. Ignore o meu comentário, se quiser. É uma discussão inútil. --Joaotg 14:18, 9 Dezembro 2005 (UTC)

ParanóiaEditar

1929

Aquando da sua inscrição na Escola Primária da Rua Martins Ferrão, descobre-se um erro na sua certidão de nascimento. O funcionário do Registo acrescentou Saramago, a alcunha da família, como seu apelido. Desta forma, José é o primeiro Saramago da família Meirinho Sousa. Saramago esclarece...

"O meu nome é a alcunha da minha família. Chamavam à família do meu pai «Os Saramagos», não sei porquê. Saramago é uma planta silvestre, com uma flor de quatro pétalas, branca ou amarela. Quando fui registado, o empregado do registo civil acrescentou a alcunha ao meu nome, e eu tornei-me o primeiro verdadeiro Saramago da família."

PEDROSA, Inês, "A Península Ibérica nunca esteve ligada à Europa" in Jornal de Letras, Lisboa, Ano VI, nº 227, de 10 a 16 de Novembro de 1986, págs. 24-26. -será isto verdade, ou mentira?????


Omitem, ainda, que o Estado de Israel foi criado com o apoio da União Soviética e da maioria dos Partidos Comunistas, inclusive os do mundo árabe. [3] O Brasil também apoiou, e agora? --Cachorrinho está latindo lá no fundo do quintal 21:01, 29 Dezembro 2005 (UTC)

Questão 1: a minha informação é falsa? Questão 2: é o Brasil que está sendo acusado de ser anti-semita? --Patrick msg 13:05, 30 Dezembro 2005 (UTC)
Questão 3: a seção é sobre o suposto anti-semitismo de Saramago ou coleção de anti-semitismos de supostos afiliados ideológicos? --Cachorrinho está latindo lá no fundo do quintal 16:16, 30 Dezembro 2005 (UTC)
Relendo considerei melhor que a citação fique mesmo. Vou voltar a adotar a prática de ler duas vezes antes de modificar. --Cachorrinho está latindo lá no fundo do quintal 16:18, 30 Dezembro 2005 (UTC)

não tinha tido prémio Nobel?Editar

Segundo o "Diário de Notícias", o director da empresa sueca Jerry Bergström AB afirmou: "Portugal nunca tinha tido um Prémio Nobel e uma parte de nossa missão consistia em mudar essa situação".

Bem ou esta frase é inventada ou o senhor Jerry Bergström cometeu uma gafe. Egas Moniz ganhou o prémio Nobel da Medicina.

Não vejo a utilidade do excerto supracitado no artigo de José Saramago.

Saramago e o seu iberismoEditar

Este artigo precisa de uma parte dedicada ao iberismo defendido por Saramago, nao é algo de negligente.

Azinhaga aldeiaEditar

Procedi à substituição de "num vilarejo" por "numa aldeia", uma vez que a Azinhaga é de facto uma aldeia. Foi alegadamente vila em séculos idos, e está longe de ser um lugarejo: é apenas e só uma aldeia, com cerca de 1900 habitantes.

Corrigi a citação: "o mais talentoso romancista vivo no mundo actual" para "o mais talentoso romancista vivo". Ora, se o sujeito é vivo, está, já, pressuposto que vive no mundo actual.


Azinhaga é vila. O seu brasão tem quatro torreões.2.80.3.231 (discussão) 23h40min de 18 de junho de 2010 (UTC)

CategoriasEditar

Adicionei algumas categorias ao artigo, pois acho que estas devem ficar no próprio artigo e não em uma outra categoria. Fica muito mais claro e mais fácil para pesquisa. FláviaC Discussão 23h16min de 31 de Agosto de 2008 (UTC)

Oposição da Igreja CatólicaEditar

A Wikipéida rege-se pela imparcialidade, o que implica que nenhum artigo deve defender um determinado ponto de vista. Não é o que acontece na secção “Oposição da Igreja Católica”. Muito se poderia dizer sobre a linha pró-Sarmago. Mas vamos cingir-nos apenas a duas afirmações muito precisas e e contextualizadas_

1, Saramago não opina sobre o Alcorão, mas o P residente da Comunidade Islâmica de Lisboa

sublinhou que os livros sagrados e a religião têm de ser respeitados (declarações publicadas no JN, em 22-10-2009).


O texto (o que não impediu, aquando do lançamento de "Caim", Abdool Vakil, presidente da Comunidade Islâmica de Lisboa, de considerar as declarações de Saramago "um bocado ofensivas" e de lembrar a necessidade de respeitar as religiões, os seus profetas e os livros sagrados). não pode ser apagado arbitrariamente.

2, A Aliança Evangélica defende o valor "fundamental e inalienável" da liberdade de expressão, mesmo quando as ideias mostram "ignorância, preconceito e agressividade acerca da Bíblia e acerca de Deus". A imparcialidade exige que se refira a opinião da Aliança Evangélica por inteiro, na citação do artigo do DN.

1, trecho impróprio a secção - 2, eles não concordam com as opiniões, mas defendem a liberdade de expressão delas, já os católicos não concordam com as opiniões e não concordam com a divulgação delas - o que é relevante ali é o apoio ao direito de liberdade de expressão - 3, se você é católico, qual a grande preocupação de querer misturar as outras religiões na história? não querer fazer a Igreja parecer mal com tal acto censório? 189.74.194.88 (discussão) 21h34min de 30 de outubro de 2009 (UTC)
Você tem alguma DECLARAÇÃO OFICIAL ou DOCUMENTO OFICIAL da Igreja Católica dizendo que ela proíbe a expressão do Saramago? Se não tem, a sua afirmação é baseada em preconceito e não em fatos, assim a informação não serve para a elaboração do artigo. Mesmo que você apresente a declaração de algum católico a respeito, isso não é o bastante pois não é novidade que há católicos que falam algo diferente da Igreja, o que interessa é a palavra oficial da Igreja para dizer que algo é a posição dela.
A propósito, não apresenta uma única declaração oficial da Igreja em relação a uma suposta censura ao Saramago, mas o tom do artigo é como se tivesse apresentado. Por isso vou editar essas partes do artigo para que ele esteja mais condizente com o ponto de vista neutro, no qual os artigos da wiki devem estar.
Abraços,
--Tiago Becerra Paolini Msg 15h30min de 18 de junho de 2010 (UTC)


1- Pode discutir-se a localização do texto. Contudo, é uma informação relevante, que legitimamente pode ser incluída.

2- Não oferece discussão. A AEP reagiu com declarações do mesmo teor das proferidas por responsáveis da Igreja Católica, embora afirmando respeitar a liberdade de expressão de Saramago. Isso tem de passar para o artigo com exactidão.

O que aqui está em causa é a objectividade. Este artigo não deve defender nem atacar Saramago. Deve ser rigoroso. E não o é. Aqui misturam-se factos com opiniões pró-Saramago. Por exemplo:

Já o director da Faculdade de Teologia da Universidade Católica de Lisboa, Peter Stilwell, considera que “seria espantoso” que José Saramago encontrasse algo divino na Bíblia e sublinhou que o escritor escolheu o fratricida Caim e não Abel, a vítima. Tal director que condena Saramago por ter escrito sobre Caim, deve também desaprovar tanto Byron quanto o também Nobel John Steinbeck (que trata a personagem de Caim em A Leste do Paraíso - East of Eden) por terem escrito sobre tal personagem.

O comentário às afirmações de Peter Stilwell está ali a fazer o quê? É um comentário!

--Ccnunoalvares (discussão) 22h57min de 30 de outubro de 2009 (UTC)

Quanto à parte em negrito, é de facto muito opinativo. Creio que se deveria remover esse comentário. 2.80.25.18 (discussão) 10h26min de 19 de junho de 2010 (UTC)

hahaha..."Deve ser rigoroso"...hahaha. A única cousa na qual não tens interesse é a objectividade. Estás a querer distorcer todo artigo (basta ler tuas edições). As coisas que colocas são "mais do mesmo", nada acrescem as críticas que já estão presentes no texto (na maioria incluídas por vós) e respondidas pelo Saramago. Se a AEP afirmou "respeitar a liberdade de expressão de Saramago", então as críticas dela não são "do mesmo teor das proferidas por responsáveis da Igreja Católica". Outro nível de respeito. Ser "Objectivo" ali é mencionar o respeito pela liberdade de expressão, não a opinião dela, que pouco interessa no contexto. 189.10.128.149 (discussão) 23h46min de 30 de outubro de 2009 (UTC)

Quanto ao seguinte parágrafo: «Logo após a atribuição do Prémio Nobel, o Vaticano repudiava a atribuição da honraria a um "comunista inveterado" (sendo que o verdadeiro problema do Vaticano com Saramago é o facto de este ser ateu militante, e não comunista, coisa que vários padres católicos são).» Falta apresentar fontes da primeira afirmação, e o comentário entre parêntesis só será pertinente (ou até credível) se tiver uma fonte. Caso contrário, o parágrafo, especialmente a parte entre parêntesis, é pouco relevante. 85.246.94.104 (discussão) 14h18min de 18 de junho de 2010 (UTC)

Tem toda a razão. O que estava entre parêntesis era POV de algum editor, que já removi do artigo. Obrigado por chamar à atenção para isso.--- Darwin Ahoy! 16h05min de 18 de junho de 2010 (UTC)

MorteEditar

Saramago faleceu a 18 de Junho de 2010, vítima de doença que se agravara nas suas últimas semanas de vida.

[acabei de retirar um micro-diálogo pouco dignificante] - --92.250.45.244 (discussão) 21h50min de 18 de junho de 2010 (UTC)


Bloqueado?Editar

Quais foram as razões que levaram ao bloqueio da página? P.S.: Ainda bem que cheguei a tempo de adicionar a causa da morte, não divulgada ainda pelos media portugueses.2.80.3.231 (discussão) 23h44min de 18 de junho de 2010 (UTC)

Vandalismo execessivo.
Se quiser editar agora, só em 25 de Junho (Quando o bloqueio expira), ou criando uma conta. Roger360 (discussão) 11h34min de 19 de junho de 2010 (UTC)

Obrigado pela informação. Se surgir algo novo colocarei aqui. 2.80.25.18 (discussão) 18h24min de 19 de junho de 2010 (UTC)

Português brasileiroEditar

Esta última parte do artigo foi escrito com grafia brasileira e segundo as políticas da Wikipédia "Não altere as versões da língua portuguesa (pt-BR para pt-PT ou pt-PT para pt-BR)" Por isso, é favor escrever com grafia de Portugal. --B.Lameira (discussão) 00h19min de 20 de junho de 2010 (UTC)

Houve equívoco de sua parte na interpretação da política. Quem acrescenta um texto novo não "altera a versão da língua", justamente porque o texto é novo. Não houve alteração de versão de texto, mas sim acréscimo de texto novo, o que pode ser feito em qualquer versão. Cada um pode escrever em qualquer versão que lhe apeteça - e essa versão do texto original não deve ser alterada de pt-BR para pt-PT ou vice-versa, como já te vi fazendo em alguns casos... Eamaral (discussão) 01h24min de 20 de junho de 2010 (UTC)

Bom, como o artigo fala de uma personalidade de Portugal, não vejo problema em você alterar a Grafia. Porém, isso ainda não deve ser feito, vendo que o mesmo assunto está sendo Votado aqui! Roger360 (discussão) 12h20min de 20 de junho de 2010 (UTC)

Não sabia dessa iniciativa, mas quer me parecer que terminará com muita discussão desnecessária. 2.80.15.148 (discussão) 13h04min de 20 de junho de 2010 (UTC)

Bem, já mudaram algumas vezes o meu PT/PT para PT/BR, argumentando que a maioria do artigo estava em PT/BR... e é prática comum...Amps (discussão) 13h54min de 20 de junho de 2010 (UTC)

Amps, aí o correto seria você reverter a edição de quem mudou, e lhe mandar um advertência por mundança de grafia. Roger360 (discussão) 14h04min de 20 de junho de 2010 (UTC)

Emaral, em facto, se um artigo está 90% em uma versão e 10% em outra, ele pode ser editado para ficar uniforme sim. Está lá nas regras. Béria Lima msg 14h15min de 20 de junho de 2010 (UTC)
Como a Beria disse, o LE permite a adequação da grafia de novo texto inserido à que já é usada no resto do artigo, pelo que neste caso a versão pode - e deve - ser alterada para pt-pt. Se têm andado a reverter este tipo de alterações, têm andado a reverter mal.--- Darwin Ahoy! 04h12min de 24 de junho de 2010 (UTC)
Aonde está escrito que tem de ser a grafia de Portugal?
Wikipédia:Versões da língua portuguesa#Artigos com forte afinidade a certos países lusófonos. --DReispt msg 09h47min de 21 de junho de 2011 (UTC)

Movimento literárioEditar

Qual é o movimento literário de José Saramago, e porque razão não aparece? Para além disso este artigo deveria ser um a destacar pois refere-se a um Nobel, neste caso da Literatura. --B.Lameira (discussão) 13h01min de 23 de junho de 2010 (UTC)

Porque, como normal na literatura do século XX para cá, não há movimentos "puros" e muito organizados com várias excepções (Neorromantismo, Modernismo, Surrealismo, etc.), e então de meados do século XX para cá os escritores tendem a ser "lobos solitários" por mais que sejam comparáveis a outros contemporâneos ou influenciados por anteriores. José Saramago começou no romance Neorrealista, mas quase toda a sua obra não é desse movimento, e a bem dizer não é Neorromântica, Modernista, Surrealista, Neorrealista, embora com influências disso tudo. Quando muito a maioria da sua obra está dentro do género da alegoria e da fantasia e ficção-científica (ex.: Ensaio Sobre a Cegueira), mas isso não é bem um movimento. Portanto é irrelevante apontar um movimento, a bem-dizer ele não o teve depois do breve momento neorrealista. 89.153.231.72 (discussão) 23h15min de 11 de fevereiro de 2016 (UTC)

Sócio Honorário do Sport Lisboa e BenficaEditar

José Saramago era sócio honorário do Benfica como se pode ver em http://www.slbenfica.pt/Clube/Noticias/noticiasclube_clubejosesaramago_180610_63408.asp. Pode ser acrescentado também isto ao artigo? --B.Lameira (discussão) 19h21min de 23 de junho de 2010 (UTC)

Não. Não é notório o suficiente para se colocar numa Enciclopédia. Além do mais, ia colocar isso aonde? Em que parte do artigo? Roger360 (discussão) 19h28min de 23 de junho de 2010 (UTC)
Não vejo porque não pode ser colocado, faz parte da biografia da pessoa, e tem fonte que o fundamente. --- Darwin Ahoy! 04h10min de 24 de junho de 2010 (UTC)

FonteEditar

Encontrei por acaso o um antigo sítio dedicado ao Saramago. Parece ter informações que não estão no artigo. Dreispt (discussão) 18h39min de 6 de janeiro de 2011 (UTC)

O jornal L'Osservatore Romano "não é palavra oficial da Igreja"Editar

No artigo, encontramos:

A Igreja Católica não gostou da atribuição do Prémio Nobel a Saramago e publicou no diário do Vaticano, L'Osservatore Romano: "Saramago é, ideologicamente, um comunista inveterado" - Ref: Público (18 de Junho de 2010). E Saramago chorou (em português). Página visitada em 19 de Junho de 2010. (...)
Dias após a morte de Saramago, o jornal oficial do Vaticano chamou o escritor de "populista extremista" e "ideólogo anti-religioso". ref

O jornal L'Osservatore Romano tem sido, erradamente, tratado por alguns veículos de informação como "palavra oficial da Igreja", e não é. Para corroborar esta minha afirmação, que pode parecer estranha ou suspeita, vejamos:

Crônicas Vaticanas: a nova face do L'Osservatore Romano
h2onews - Your good news source. 12/03/2010 (4:03) - original

Normalmente vemos "o L'Osservatore Romano disse que...", com uma ideia implícita de que foi a própria Igreja Católica Apostólica Romana que falou, e ainda mais, que "se pronunciou". E isso está errado! Muito errado! Na maioria das vezes...

Alexandre Magno (discussão) 02h52min de 6 de fevereiro de 2012 (UTC)

Regressar à página "José Saramago".