Em Marcha!

movimento político francês

Em Marcha! (em francês: En Marche!),[5][6] oficialmente Associação para a Renovação da Política[7] (em francês: Association pour le renouvellement de la vie politique), desde 7 de maio de 2017 A República em Marcha! (em francês: La République en Marche!), é um partido político liberal[8] fundado na França em 6 de abril de 2016 pelo ex-ministro da Economia e Indústria e atual presidente da França, Emmanuel Macron.[5][9] Macron considera o Em Marcha! um movimento "progressista"[10] e economicamente reformista,[11] visando a redução de impostos, a desregulamentação do setor produtivo e a promoção de um ambiente amigável ao empreendedorismo.[12] O nome do partido remete as iniciais do nome de seu fundador, Emmanuel Macron.[13]

A República Em Marcha!
La Republique En Marche!
Logo-LREM-noir.svg
Presidente Stanislas Guerini
Secretário-geral Jean-Marc Borello
Secretária-geral Marie Guevenoux
Fundador Emmanuel Macron
Fundação 6 de abril de 2016 (6 anos)
Sede Paris,  França
Ideologia Liberalismo clássico
Reformismo
Europeísmo
Terceira via[1]
Pega-tudo[2]
Espectro político Centro[3][4]
Ala jovem Les Jeunes avec Macron
Membros 422,329 (2021)
Afiliação nacional Ensemble
Grupo no Parlamento Europeu Renovar a Europa
Assembleia Nacional
280 / 577
Senado da França
23 / 348
Parlamento Europeu
11 / 79
Conselhos regionais
1 / 17
Cores      Preto
     Amarelo
Página oficial
en-marche.fr

Política da França
Partidos políticos
Eleições

Sobre a orientação ideológica do partido, Macron diz-se disposto a harmonizar "eficiência" – reformas economicamente liberais que dinamizassem a economia francesa – com "justiça" – manutenção do Estado de bem-estar social e apoio a medidas consideradas progressistas, tal como o casamento igualitário.[14] Usando a devise française (Liberté, Egalité, Fraternité) como alegoria, Macron, em suas próprias palavras, afirmou ter a aproximação entre os ideais de liberdade "defendidos pela direita" e os ideais de igualdade "defendidos pela esquerda" como meio de promoção da "fraternidade republicana".[15]

Após a formação do movimento, figuras tradicionais da ala direita do social-democrata Partido Socialista e alguns membros da ala esquerda do conservador e gaullista Os Republicanos se juntaram ao partido. Entre os primeiros, destaca-se Manuel Valls, ex-membro do Partido Socialista conhecido por tecer duras críticas ao islamismo político[16] e seus "cúmplices de esquerda".[17]

Após a eleição de Emmanuel Macron para presidente da república, foi anunciado que o movimento seria rebatizado de A República em Marcha! na ocasião das eleições legislativas de junho de 2017.[18]

Resultados eleitoraisEditar

Eleições presidenciaisEditar

Ano Candidato(a) 1.ª Volta 2.ª Volta
Cl. Votos % Cl. Votos %
2017 Emmanuel Macron 1.º 8 656 346
24,0 / 100
1.º 20 743 128
66,1 / 100
2022 9 783 058
27,8 / 100
18 779 641
58,5 / 100

Eleições legislativasEditar

Ano 1.ª Volta 2.ª Volta Deputados Status
Cl. Votos % Cl. Votos %
2017 1.º 6 390 797
28,2 / 100
1.º 7 826 432
43,1 / 100
309 / 577
Governo

Eleições para o SenadoEditar

Ano Assentos Cl. Status
2017
21 / 348
4.° Oposição
2020
14 / 348

Eleições europeiasEditar

Ano Cl. Votos % Deputados
2019 2.º 5 079 015
22,4 / 100
11 / 74

Ligações externasEditar

Referências

  1. Rathgeb, Philip; Wolkenstein, Fabio (23 de junho de 2017). «Third-way à la française: What do Macron's reforms involve and how likely are they to succeed?». LSE (em inglês) 
  2. Bamberger, Clara (9 de junho de 2017). «Les Inrocks - Législatives : "Le parti d'Emmanuel Macron a un caractère attrape-tout"». Les Inrocks (em francês) 
  3. Milner, Susan (6 de fevereiro de 2017). «Emmanuel Macron and the building of a new liberal-centrist movement». EUROPP (em inglês). London School of Economics. Consultado em 25 de março de 2017 
  4. Venturini, Lionel (12 de janeiro de 2017). «En marche ! Un social-libéral pour piloter le projet de Macron». L'Humanité (em francês). Consultado em 25 de março de 2017 
  5. a b «France election: Far-right's Le Pen rails against globalisation». BBC (em inglês). 5 de fevereiro de 2017 
  6. Callus, Andrew; Jarry, Emmanuel (16 de novembro de 2016). «Macron launches French presidential bid as polls show tight race». Reuters (em inglês) 
  7. Quinault-Maupoil, Tristan (8 de abril de 2016). «Le mouvement de Macron part maintenant à la chasse aux élus et aux dons». Le Figaro (em francês) 
  8. Endeweld, Marc (10 de dezembro de 2016). «La démonstration de force du social-libéral Emmanuel Macron». Marianne (em francês) 
  9. «France's Macron shapes his party for 2017 election and beyond». First Post (em inglês). 26 de outubro de 2016 
  10. Roger, Patrick (20 de setembro de 2016). «Macron précise son projet « progressiste » pour 2017». Le Monde (em francês) 
  11. Duhamel, Alain (29 de junho de 2018). «Emmanuel Macron est un "réformisme impérieux", juge Alain Duhamel». RTL.fr (em francês). Consultado em 22 de agosto de 2019 
  12. Nossiter, Adam (9 de julho de 2018). «France's Macron Defends His Business-Friendly Stance». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  13. ««En marche» : le bébé du ministre fait ses premiers pas». Libération (em francês). 20 de abril de 2016 
  14. Gavião, Leandro. «O crescimento da extrema-direita e o cenário eleitoral francês - Le Monde Diplomatique». diplomatique.org.br. Consultado em 25 de setembro de 2017 
  15. Duvert, Albin (28 de novembro de 2017). «Emmanuel Macron et la paternité - Au tableau !». programme-tv.com (em francês). Consultado em 22 de agosto de 2019 
  16. Waintraub, Judith. «Valls: "Marianne a le sein nu, elle n'est pas voilée parce qu'elle est libre"». Le Figaro (em francês). Consultado em 22 de agosto de 2019 
  17. Waintraub, Judith (6 de outubro de 2017). «Manuel Valls : «L'islamisme, voilà l'ennemi»». Le Figaro (em francês). Consultado em 22 de agosto de 2019 
  18. «Législatives : le mouvement En marche ! rebaptisé « La République en marche »». Le Monde (em francês). 8 de maio de 2016