Abrir menu principal
Esporte Total
Informação geral
Formato Telejornal
Gênero Esportivo
Duração 30min (Nacional) + 30 min (Regional)
Criador(es) TV Bandeirantes
País de origem  Brasil
Idioma original português
Produção
Diretor(es) Fernando Mitre
Juca Silveira
Apresentador(es) Luciano do Valle (1983-1987)
Cléo Brandão (1992-2001)
Elia Júnior (1986-1998)
Silvia Vinhas (1995-2000)
Simone Mello (1989-1998)
Milton Neves (1999-2001)
Sílvia Garcia (2001)
Letícia Levy (2002)
Ana Luiza Castro (2002)
Jorge Kajuru (2003-2004)
Luiz Ceará (2004-2006)
José Luiz Datena (2004-2005)
Roberto Avallone (2005-2007)
Renata Cordeiro (2004-2006), entre outros
Exibição
Emissora de televisão original Brasil Band
Formato de exibição 480i(SDTV)
Transmissão original 1983 - 2007
N.º de temporadas 24

Esporte Total foi um programa de esportes exibido do dia 19 de dezembro de 1983 a 2 de fevereiro de 2007 pela Band, de segunda à sexta-feira, das 12h às 13h, sendo que as 12h30 havia a divisão de rede, onde as afiliadas ficavam com seus programas locais e o sinal de satélite exibia televendas.

HistóriaEditar

O primeiro apresentador do programa foi Luciano do Valle. Vários apresentadores de renome no jornalismo esportivo passaram pelo programa ao longo dos anos.

Uma das apresentadoras de maior destaque da atração foi a apresentadora e modelo Cléo Brandão, que apresentou o programa do começo dos anos 90 até 2001, ao lado de outros grandes nomes do jornalismo esportivo, como Elia Júnior e Silvia Vinhas. Com a sua demissão da emissora, o programa sofreu um rodízio de apresentadoras, entre elas Sílvia Garcia e Letícia Levy. Em 2002, a atração passou a ser apresentada por Ana Luiza Castro.

Em 1995, o programa foi substituído por programas infantis, porém acabou voltando em 8 de julho de 1996.

De 1999 a 2001, durante a parceria Band-Traffic, foi exibido o Esporte Total Debate, com a análise da rodada. A apresentação era de Milton Neves e os debatedores eram Alberto Helena Júnior, Cacá Rosset, Mauro Beting, Osmar de Oliveira e Roberto Benevides.

Em fevereiro de 2002, o jornal acabou ganhando uma segunda edição, que era exibido à noite, após o Jornal da Band. A apresentação cabia a Jorge Kajuru, vindo da RedeTV!. Em 2006, esta edição foi para o final da tarde, antecedendo o Brasil Urgente e sendo comandada por Nivaldo Prieto. Por algum tempo, o noticiário teve uma edição aos domingos, após o Show do Esporte.

Em uma quarta, dia 28 de abril de 2004, o apresentador Jorge Kajuru, quase apanhou do lutador de boxe Marinho Soares, ao vivo.[1] Tudo começou porque Kajuru teria dito, que Marinho foi covarde por ter teoricamente dado 2 socos no adversário já nocauteado.

Marinho chamou Kajuru de burro e o jornalista retrucou dizendo que ele era covarde; os dois começaram a discutir e programa foi para os comerciais, porém existem vídeo na internet que mostra a discussão fora do ar.[2] Quem separou a briga foi Silvio Luiz e logo após o lutador Marinho foi contido pelo pessoal da redação da TV Bandeirantes sendo expulso do programa. No mês de junho de 2004, o jornalista Jorge Kajuru no programa Esporte Total 2° Edição, entra no ar falando sobre o jogo da Eliminatórias da Copa do Mundo da FIFA entre Brasil e Argentina, no estádio Mineirão localizado na capital mineira, Belo Horizonte.

Jorge fez uma denúncia que o portão de acessibilidade aos deficientes físicos, que naquela noite foi transformada em entrada particular de vários convidados entre eles, políticos e celebridades da mídia, que ganharam o ingressos do então governador Aécio Neves e o presidente da CBF Ricardo Teixeira , que reservaram 10 mil ingressos.[3][4][5] Além disso, o jornalista percebeu a indignação de torcedores que não tinham 400 reais para assistir a partida. Alguns minutos depois, a TV Bandeirantes alegou problemas técnicos com o link no local. Kajuru ficou ainda uma semana no quadro de funcionários de emissora e logo após foi demitido,[6]o que resultou na época, uma revolta de seus colegas de profissão, pois queixavam-se de falta de liberdade de expressão, o direito à crítica e o exercício do jornalismo livre.

Um dos jornalistas que defenderam Kajuru foi Alberto Dines.[7][8]Até hoje o caso repercute, como Kajuru é demitido ao vivo da Band ou O dia que pediram a cabeça de Jorge Kajuru.

Com a demissão de Jorge Kajuru, José Luiz Datena assume interinamente a atração, tendo como convidado o comentarista esportivo Neto, que ficam na atração até abril de 2005, quando o programa é substituído pelo Esporte Total na Geral, versão humorística do programa e remanejado para o horário noturno, com apresentação de Fernando Nardini. Entretanto, retorna ao antigo horário em agosto do mesmo ano, sendo apresentado por Roberto Avallone e adotando o formato de mesa redonda.

No início de 2007, o Esporte Total chegou ao final de seu ciclo, sendo substituído pelo programa Jogo Aberto, que estreou no dia 5 de fevereiro de 2007, tendo como apresentadora Renata Fan.

Referências

  1. Portal Terra. «Jorge Kajuru xinga lutador e quase apanha ao vivo». Consultado em 29 de abril de 2004,  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  2. Site Café com Pão. «Video: Kajuru briga e quase apanha ao vídeo». Consultado em 20 de junho de 2008,  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  3. «Video em um blog explicando a demissão de Kajuru da Band». Consultado em 5 de maio de 2012,  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  4. Revista Veja. «Cartão vermelho - Colecionador de encrencas, comentarista Jorge Kajuru perde o emprego na Bandeirantes». Consultado em 16 de junho de 2004 
  5. Consultor Jurídico. «Kajuru critica governo de Minas e é demitido da TV Bandeirantes». Consultado em 10 de junho de 2004 
  6. «Kajuru critica governo de Minas e é demitido da TV Bandeirantes». Consultado em 10 de junho de 2004 
  7. «Imprensa não gosta de "encrenqueiros" - Por Alberto Dines». Consultado em 22 de junho de 2004 
  8. Alexander Goulart - Observatório da Imprensa. «Profetas em meio a um jornalismo caduco - Por Alexander Goulart». Consultado em 19 de julho de 2004 
  Este artigo sobre Televisão no Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.