Abrir menu principal

Fernando Mac Dowell

Fernando Mac Dowell
Vice-prefeito do Rio de Janeiro
Período 1° de janeiro de 2017
até 20 de maio de 2018
Prefeito Marcelo Crivella
Antecessor Adilson Pires
Dados pessoais
Nascimento 7 de julho de 1945
Rio de Janeiro
Morte 20 de maio de 2018 (72 anos)
Rio de Janeiro
Partido PR
Profissão Engenheiro
linkWP:PPO#Brasil

Fernando Luiz Cumplido Mac Dowell da Costa[1] (Rio de Janeiro, 7 de julho de 1945Rio de Janeiro, 20 de maio de 2018) foi um engenheiro e político brasileiro. Trabalhou em diversos governos no Brasil, de diversas matizes do espectro político, sempre defendendo a realização de grandes intervenções no Urbanismo do Rio de Janeiro.[2] Foi um dos grandes críticos do sistema de transportes do Rio de Janeiro durante o governo de Sérgio Cabral. Foi vice-prefeito do Rio de Janeiro.

BiografiaEditar

Fernando Mac Dowell foi criado em Copacabana.[2] Trabalhou no GEIPOT, empresa de transportes criada em 1965 pelo regime militar.[2] Formou-se em engenharia na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) em 1969, passando logo em seguida à condição de professor na mesma universidade.[2] No da década de 1980, foi diretor do metrô carioca, quando a linha 1 começava a funcionar, durante o mandato de Chagas Freitas como governador do Estado.[2] Foi presidente da Emop durante o governo de Moreira Franco, e esteve cogitado a ser candidato à sua sucessão, mas afirmou ter rompido com este último devido ao fato do governo ter tentado inaugurar o Viaduto do Joá sem que ele estivesse em condições.[3]

Participou ainda do segundo governo de Leonel Brizola, de 1991 a 1994, sendo ardoroso defensor do sistema metroviário.[2] Também participou da construção da Linha Vermelha.[2] Reconhecido como um dos maiores especialistas da área no país, fazia diversas críticas aos sistemas metroviários do Brasil, chegando a afirmar, em 2009, que "metrô mesmo, no Brasil, só existe em São Paulo, Rio e Distrito Federal."[4] Também fez diversas críticas às obras de expansão do metrô realizadas durante o governo de Sérgio Cabral.[5] Em 2015, visitou estações fantasma, que afirmou já estarem prontas desde a década de 1980, mas que nunca foram inauguradas.[6]

Filiou-se na década de 2010 ao Partido da República, e foi eleito vice prefeito do Rio de Janeiro nas eleições 2016, na chapa de Marcelo Crivella.[7] Por um ano atuou também como secretário municipal de transportes da cidade.

Faleceu em 20 de maio de 2018, vítima de um infarto, aos 72 anos.[7] O prefeito do Rio de Janeiro decretou luto oficial de três dias por sua morte. O velório ocorreu no Palácio da Cidade em Botafogo, no Rio de Janeiro, o enterro do Vice-Prefeito aconteceu no Cemitério São João Batista, também em Botafogo. onde estava internado desde a semana anterior no Hospital Vitória, deixou 4 filhos.

Em sua homenagem, o nome oficial de uma importante via carioca, a Autoestrada Lagoa-Barra, foi alterado para Autoestrada Engenheiro Fernando Mac Dowell.[8]

Referências

  1. «MAC DOWELL (PR): Candidato a VICE-PREFEITO, número 10, eleições 2016». UOL Notícias. Consultado em 23 de maio de 2018. Cópia arquivada em 24 de maio de 2018 
  2. a b c d e f g O Dia (15 de outubro de 2016). «Indicado pelo PR de Clarissa Garotinho, Mac Dowell é especialista em transportes». Consultado em 21 de maio de 2018 
  3. Extra (16 de outubro de 2016). «Vice de Crivella, Fernando Mac Dowell é um respeitado especialista em transporte». Consultado em 21 de maio de 2018 
  4. Haroldo Ceravolo Sereza (29 de julho de 2009). «"Conceito" de metrô divide especialistas e operadores». Consultado em 21 de maio de 2018 
  5. Alessandro Molon (29 de julho de 2010). «Metrô Rio, é hora de protestar». Consultado em 21 de maio de 2018 
  6. G1 (18 de novembro de 2015). «Obras de ampliação da linha 2 do metrô começam em 2017, diz governo». Consultado em 21 de maio de 2018 
  7. a b «Morre Fernando Mac Dowell, vice-prefeito do Rio, aos 72 anos». 21 de maio de 2018. Consultado em 21 de maio 2018 
  8. «Lagoa-Barra agora se chama Autoestrada Engenheiro Fernando Mac Dowell». G1