Georg Forster

Georg Forster
Nascimento 27 de novembro de 1754
Gdańsk
Morte 10 de janeiro de 1794 (39 anos)
Paris
Progenitores Pai:Johann Reinhold Forster
Cônjuge Therese Huber
Irmão(s) Virginia Viktoria ° Forster
Ocupação explorador, antropólogo, etnologista, pteridólogo, bibliotecário, escritor, tradutor, ornitólogo, revolucionário, biólogo, botânico, professor universitário, jornalista, entomologista, micologista, autobiógrafo, naturalista
Prêmios membro da Royal Society
Empregador Universidade de Mainz, Universidade de Vilnius
Causa da morte acidente vascular cerebral

Johann Georg Adam Forster (Nassenhuben perto de Danzig, atualmente Mokry Dwór na Polônia, 27 de novembro de 1754Paris, 10 de janeiro de 1794) foi um naturalista, etnólogo e jornalista alemão.[1] Foi filho do naturalista e explorador Johann Reinhold Forster.

BiografiaEditar

Em tenra idade, ele acompanhou seu pai, Johann Reinhold Forster, em várias expedições científicas, incluindo a segunda viagem de James Cook ao Pacífico. Seu relato dessa viagem, Uma Viagem ao Redor do Mundo, contribuiu significativamente para a etnologia do povo da Polinésiae continua sendo um trabalho respeitado. Como resultado do relatório, Forster foi admitido na Royal Society com a idade de vinte e dois anos e passou a ser considerado um dos fundadores da literatura científica moderna de viagem.

Depois de retornar à Europa continental, Forster voltou-se para a academia. Ele ensinou história natural no Collegium Carolinum no Ottoneum, Kassel (1778-84) e, mais tarde, na Academia de Vilna (Universidade de Vilnius) (1784-87). Em 1788, ele se tornou bibliotecário-chefe da Universidade de Mainz. A maior parte de seu trabalho científico durante esse tempo consistiu em ensaios sobre botânica e etnologia, mas ele também prefaciou e traduziu muitos livros sobre viagens e exploração, incluindo uma tradução alemã dos diários de Cook.[2]

Forster foi uma figura central do Iluminismo na Alemanha e se correspondeu com a maioria de seus adeptos, incluindo seu amigo íntimo Georg Christoph Lichtenberg. Suas idéias, relatos de viagens e personalidade influenciaram Alexander von Humboldt, um dos grandes cientistas do século XIX.[3]  Quando os franceses assumiram o controle de Mainz em 1792, Forster desempenhou um papel de liderança na República de Mainz, o primeiro estado republicano na Alemanha. Durante julho de 1793 e enquanto ele estava em Paris como um delegado da jovem República de Mainz, forças da coalizão prussiana e austríacas retomaram o controle da cidade e Forster foi declarado um fora da lei. Incapaz de retornar à Alemanha e separado de seus amigos e familiares, ele morreu em Paris de doença no início de 1794.[4][5]

Trabalhos (em inglês)Editar

  • A Voyage Round the World in His Britannic Majesty's Sloop Resolution, Commanded by Capt. James Cook, during the Years, 1772, 3, 4, and 5 (1777) (preview)
  • De Plantis Esculentis Insularum Oceani Australis Commentatio Botanica (1786) available online at Project Gutenberg
  • Florulae Insularum Australium Prodromus (1786) available online at Project Gutenberg and Biodiversity Heritage Library (DOI:10.5962/bhl.title.10725) [1]
  • Essays on moral and natural geography, natural history and philosophy (1789–97)
  • Views of the Lower Rhine, Brabant, Flanders (three volumes, 1791–94)
  • Georg Forsters Werke, Sämtliche Schriften, Tagebücher, Briefe, Deutsche Akademie der Wissenschaften zu Berlin, G. Steiner et al. Berlin: Akademie 1958
  • Werke in vier Bänden, Gerhard Steiner (editor). Leipzig: Insel 1965. ASIN: B00307GDQ0
  • Reise um die Welt, Gerhard Steiner (editor). Frankfurt am Main: Insel, 1983. ISBN 3-458-32457-7
  • Ansichten vom Niederrhein, Gerhard Steiner (editor). Frankfurt am Main: Insel, 1989. ISBN 3-458-32836-X
  • Georg Forster, Briefe an Ernst Friedrich Hector Falcke. Neu aufgefundene Forsteriana aus der Gold- und Rosenkreuzerzeit, Michael Ewert, Hermann Schüttler (editors). Georg-Forster-Studien Beiheft 4. Kassel: Kassel University Press 2009. ISBN 978-3-89958-485-1

Notas

  1. Georg Forster na página da Georg-Forster-Gesellschaft.
  2. Ulrich Enzensberger: Georg Forster. Weltumsegler und Revolutionär. Wagenbach, Berlin 1979, ISBN 3-8031-2057-8
  3. Jürgen Goldstein: Georg Forster. Zwischen Freiheit und Naturgewalt. Matthes & Seitz, Berlin 2015, ISBN 978-3-95757-090-1
  4. Georg-Forster-Studien. Hrsg. im Auftrag der Georg-Forster-Gesellschaft von Horst Dippel und Helmut Scheuer, seit 2007 von Stefan Greif und Michael Ewert. Kassel University Press, Kassel 1997 ff. ISSN 1439-9105
  5. Claus-Volker Klenke, Jörn Garber, Dieter Heintze: Georg Forster in interdisziplinärer Perspektive. Beiträge des Internationalen Georg Forster Symposions in Kassel, 1.–4. April 1993. Akademie, Berlin 1994, ISBN 3-05-002614-6