O HMS Havock foi um contratorpedeiro operado pela Marinha Real Britânica e uma embarcação pertencente à Classe H. Sua construção começou em maio de 1935 nos estaleiros da William Denny and Brothers em Dumbarton e foi lançado ao mar em julho de 1936, sendo comissionado na frota britânica em janeiro do ano seguinte.[1] Era armado com uma bateria principal composta por quatro canhões de 120 milímetros e oito tubos de torpedo de 533 milímetros, tinha um deslocamento carregado de quase duas mil toneladas e alcançava uma velocidade máxima de 36 nós (67 quilômetros por hora).[2]

HMS Havock
 Reino Unido
Operador Marinha Real Britânica
Fabricante William Denny and Brothers
Batimento de quilha 15 de maio de 1935
Lançamento julho de 1936
Comissionamento 16 de janeiro de 1937
Indicativo visual H43
Destino Encalhou próximo de Kelibia
em 6 de abril de 1942
Características gerais (como construído)
Tipo de navio Contratorpedeiro
Classe H
Deslocamento 1 913 t (carregado)
Maquinário 2 turbinas a vapor
3 caldeiras
Comprimento 98,5 m
Boca 10,1 m
Calado 3,8 m
Propulsão 2 hélices
- 34 000 cv (25 000 kW)
Velocidade 36 nós (67 km/h)
Autonomia 5 530 milhas náuticas a 15 nós
(10 240 km a 28 km/h)
Armamento 4 canhões de 120 mm
8 metralhadoras de 12,7 mm
8 tubos de torpedo de 533 mm
20 cargas de profundidade
Tripulação 137 a 146

O Havock patrulhou o litoral espanhol durante a Guerra Civil Espanhola, pouco depois de entrar em serviço, ajudando a implementar um bloqueio imposto por britânicos e franceses. Na Segunda Guerra Mundial, o navio inicialmente atuou no Oceano Atlântico procurando embarcações alemãs e depois se envolveu na Campanha da Noruega.[3][4] Foi transferido para o Mar Mediterrâneo em maio de 1940 e escoltou comboios para Malta, participando também das batalhas do Cabo Spada em julho de 1940, Cabo Matapão em março de 1941, Grécia em abril e Creta em maio, sendo danificado nesta última.[5]

O contratorpedeiro passou a escoltar comboios para a Campanha Norte-Africana e participou da Primeira Batalha de Sirte em dezembro de 1941 e depois da Segunda Batalha de Sirte em março de 1942,[6][7] quando foi seriamente danificado pelo couraçado Littorio. Foi inicialmente levado para ser consertado em Malta,[7] porém foi danificado ainda mais por ataques aéreos no início de abril. Foi decidido então que o Havock seria levado para Gibraltar para que pudesse ser reparado no local, porém encalhou próximo do Cabo Bon no caminho. Sua tripulação foi capturada e internada na França.[5]

Referências

  1. English 1993, pp. 102–103
  2. Whitley 1998, p. 109
  3. English 1993, pp. 105
  4. Haarr 2009, pp. 340–348
  5. a b English 1993, pp. 104–106
  6. Royal Navy and the Mediterranean 2002, pp. 220–224
  7. a b O'Hara 2009, p. 166

Bibliografia editar

  • English, John (1993). Amazon to Ivanhoe: British Standard Destroyers of the 1930s. Kendal: World Ship Society. ISBN 0-905617-64-9 
  • Haarr, Geirr H. (2009). The German Invasion of Norway, April 1940. Annapolis: Naval Institute Press. ISBN 978-1-59114-310-9 
  • O'Hara, Vincent P. (2009). Struggle for the Middle Sea: The Great Navies At War In The Mediterranean Theater, 1940–1945. Annapolis: Naval Institute Press. ISBN 1-59114-648-8 
  • The Royal Navy and the Mediterranean: November 1940 – December 1941. Col: Whitehall Histories, Naval Staff Histories. II. Londres: Admiralty Historical Section. 2002. ISBN 0-7146-5205-9 
  • Whitley, M. J. (1988). Destroyers of World War Two: An International Encyclopedia. Annapolis: Naval Institute Press. ISBN 1-85409-521-8 
  Este artigo sobre tópicos navais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.