Abrir menu principal

Halo 2

vídeojogo de 2004
Halo 2
Arte da capa do jogo
Desenvolvedora(s) Bungie[nota 1]
Publicadora(s) Microsoft Game Studios
Designer(s) Jason Jones
Escritor(es) Joseph Staten
Artista(s) Marcus Lehto
Compositor(es)
Plataforma(s)
Série Halo
Lançamento
Gênero(s) Tiro em primeira pessoa
Modos de jogo
Halo: Combat Evolved
Halo 3

Halo 2 é um videogame de tiro em primeira pessoa de 2004, desenvolvido pela Bungie. Lançado para o console Xbox em 9 de novembro de 2004,[3] o jogo é o segundo título da franquia Halo e a sequência do aclamado Halo: Combat Evolved de 2001. Uma versão do jogo para Microsoft Windows foi lançada em 31 de maio de 2007,[4] desenvolvida por uma equipe interna da Microsoft Game Studios conhecida como Hired Gun. O jogo apresenta um novo motor de jogo, além de usar o motor de física Havok; armas e veículos adicionados e novos mapas multiplayer. O jogador assume alternadamente os papéis do humano Master Chief e do alienígena Árbitro em um conflito do século 26 entre o Comando Espacial das Nações Unidas, o Covenant e o parasita Flood.

Após o sucesso de Combat Evolved, uma sequência era esperada e altamente antecipada. A Bungie encontrou inspiração nos pontos da trama e nos elementos de jogabilidade deixados de fora de seu primeiro jogo, incluindo o multiplayer pela Internet através do Xbox Live. As restrições de tempo forçaram uma série de cortes no tamanho e no escopo do jogo, incluindo um cliffhanger que terminou o modo campanha do jogo que deixou muitos no estúdio insatisfeitos. Entre os esforços de marketing de Halo 2 havia um jogo de realidade alternativa chamado "I Love Bees", que envolvia jogadores resolvendo quebra-cabeças no mundo real.

No lançamento, Halo 2 foi o jogo mais popular no Xbox Live,[5] ficando nessa posição até o lançamento de Gears of War para a Xbox 360 quase dois anos mais tarde.[6][7] Até 20 de junho de 2006, mais de 500 milhões de partidas de Halo 2 tinham sido jogadas e mais de 710 milhões de horas foram gastas jogando no Xbox Live;[8] até 9 de maio de 2007, o número de jogadores únicos havia aumentado para mais de cinco milhões.[9] Halo 2 é o jogo Xbox de primeira geração mais vendido[10] com pelo menos 6,3 milhões de cópias vendidas somente nos Estados Unidos.[11] O jogo recebeu elogios da crítica, com a maioria das publicações elogiando o forte componente multiplayer. A campanha, no entanto, foi o foco de críticas por seu fim com um cliffhanger.

Uma versão remasterizada em alta definição de Halo 2 foi lançada como parte da Halo: The Master Chief Collection em 11 de novembro de 2014, para o Xbox One, intitulado Halo 2 Anniversary.[12] A coleção em si está planejada para ser lançada para Windows em 2019.[13]

JogabilidadeEditar

Halo 2 é um jogo de tiro, com uma perspectiva predominantemente primeira pessoa.[14] Os jogadores usam uma combinação de armas e veículos humanos e alienígenas para progredir nos níveis do jogo. A barra de saúde do jogador não é visível, mas os jogadores estão equipados com um escudo de absorção de danos que se regenera quando não está levando tiro.[15]

Certas armas podem ser empunhadas de maneira dupla, permitindo que o jogador troque precisão, uso de granadas e ataques corpo a corpo por um poder de fogo bruto.[15] O jogador pode carregar duas armas ao mesmo tempo (ou três se empunhando duas; uma arma permanece no coldre), com cada arma tendo vantagens e desvantagens em diferentes situações de combate. Por exemplo, a maioria das armas do Covenant evita clipes de munição descartáveis por uma bateria contida, que não pode ser substituída se estiver esgotada. No entanto, essas armas podem superaquecer se disparadas continuamente por períodos prolongados.[15] As armas humanas são menos eficazes na penetração de escudos e requerem recarga, mas não superaquecem devido ao disparo prolongado. O jogador pode carregar um total de oito granadas (quatro granadas humanas, quatro Covenant) para desalojar e atrapalhar os inimigos. Uma novidade no Halo 2 é a capacidade de abordar veículos inimigos que estão próximos ao jogador e estão em baixa velocidade. O jogador ou a IA se prendem ao veículo e ejetam forçadamente o outro motorista do veículo.

CampanhaEditar

O modo "Campanha" do jogo oferece opções para a participação de um jogador e multijogador cooperativo. No modo campanha, o jogador deve completar uma série de níveis que englobam o enredo de Halo 2. Esses níveis se alternam entre o Master Chief e um Covenant Elite chamado Árbitro, que ocupam papéis diametralmente opostos no conflito da história. Além das variações no enredo, o Árbitro difere do Master Chief apenas porque sua armadura não possui lanterna; em vez disso, é equipada com uma forma recarregável de camuflagem ativa de curta duração que desaparece quando o jogador ataca ou sofre dano.

Existem quatro níveis de dificuldade no modo campanha: Fácil, Normal, Heroico e Lendário. Um aumento na dificuldade resultará em um aumento no número, ranque, saúde, dano e precisão dos inimigos; uma redução de duração e um aumento no tempo de recarga para a camuflagem ativa do Árbitro; uma diminuição na saúde e nos escudos do jogador; e mudanças ocasionais no diálogo.[16]

Há conteúdo oculto no jogo, incluindo easter eggs, mensagens, objetos ocultos e armas. O mais conhecidos dos conteúdos ocultos são os crânios ocultos em todos os níveis. Os crânios, que podem ser pegos como armas, estão localizados em locais de difícil acesso. Muitos são exclusivos do modo de dificuldade Lendário. Uma vez ativado, cada crânio tem um efeito específico na jogabilidade. Por exemplo, o crânio "Sputnik" encontrado no nível "Quarantine Zone" altera a massa de objetos no jogo; resultando em explosões capazes de lançar esses objetos a distâncias maiores. Os efeitos dos crânios podem ser combinados para fornecer vários novos níveis de dificuldade e/ou novidade.[17]

MultijogadorEditar

Como Halo: Combat Evolved, a versão Xbox de Halo 2 apresenta um sistema multiplayer que permite aos jogadores competir entre si nos modos de tela dividida e system link; além disso, adiciona suporte ao multiplayer online via Xbox Live.[15]

Halo 2 introduziu um paradigma totalmente novo de matchmaking para jogadores juntos. Nos jogos anteriores, uma pessoa especifica um tipo de jogo e mapa e define outras configurações, antes de configurar o seu dispositivo como servidor de jogo e anunciar o jogo para o mundo em geral. Halo 2 introduziu um sistema de "lista de reprodução" que automatizou esse processo para manter um fluxo constante de partidas disponíveis o tempo todo, e colocou um sistema de classificação de habilidades no topo.[18]

O multiplayer do Xbox Live e os recursos de conteúdo para download da versão Xbox do Halo 2 foram suportados até a descontinuação do serviço em abril de 2010.[19] O multiplayer online de Halo 2 for Windows Vista usa o Games for Windows – Live.[20] Em janeiro de 2013, foi reportado que os servidores multiplayer para PC seriam colocados offline em 15 de fevereiro de 2013, devido à inatividade.[21] Em 12 de fevereiro de 2013, foi anunciado que os servidores multiplayer do Halo 2 no PC permaneceriam online até junho, enquanto outras opções de suporte seriam investigadas.[22] A última sessão original do Xbox Live em Halo 2 foi concluída em 10 de maio de 2010, quase um mês após o término oficial do serviço.[23]

SinopseEditar

CenárioEditar

Halo 2 ocorre no século 26. Humanos, sob a proteção do Comando Espacial das Nações Unidas ou UNSC (sigla em inglês), desenvolveram viagens no espaço mais rápido que a luz e colonizaram vários mundos.[15] De acordo com a história do jogo, a colônia do mundo exterior, Harvest, foi dizimada por um coletivo de raças alienígenas conhecido como Covenant em 2525. Declarando que a humanidade é uma afronta a seus deuses, os Forerunners, o Covenant começa a obliterar sistematicamente os humanos com seu número e tecnologia superiores. Depois que o bastião humano no planeta Reach é destruído, uma única nave, a Pillar of Autumn, segue o protocolo e inicia um salto slipspace aleatório para desviar o Covenant da Terra. A equipe descobre um ringworld Forerunner chamado Halo, que o Covenant deseja ativar por causa de sua crença religiosa de que a ativação do anel trará uma "Grande Jornada", levando os Covenant leais à salvação.[24] Liderando uma insurgência de guerrilha na superfície do anel, os humanos descobrem que os anéis são na verdade armas de último recurso, construídas para conter um parasita aterrorizante chamado Flood. O supersoldado humano Master Chief Petty Officer John-117 e sua companheira IA, Cortana, aprendem com o monitor IA do Halo, 343 Guilty Spark, que a ativação dos Halos impedirá a propagação do Flood, destruindo toda a vida senciente que o parasita possa subsistir na galáxia. Em vez de ativar o anel, no entanto, Master Chief se vira contra Guilty Spark e seus robôs e detona os motores da Pillar of Autumn, destruindo a instalação e prevenindo a fuga do Flood. Master Chief e Cortana correm de volta à Terra para alertar sobre uma invasão iminente pelas forças do Covenant.[25]

EnredoEditar

Acontecendo logo após os eventos do romance Halo: First Strike, Halo 2 começa com o julgamento de Thel 'Vadam, um comandante Covenant Elite encarregado de uma frota desde o primeiro jogo, a bordo da capital móvel dos Covenant, High Charity. O Elite é retirado de sua posição, considerado herege por não ter impedido o Master Chief de destruir o Halo, e é torturado por Tartarus, o Chefe dos Brutes Covenant. Na Terra, Master Chief e o Sargento Avery Johnson são elogiados por suas ações no Halo. Lord Terrence Hood premia os soldados ao lado da comandante Miranda Keyes, que aceita uma medalha em nome de seu falecido pai, o capitão Jacob Keyes.[26]

Uma frota Covenant aparece fora do perímetro defensivo da Terra e inicia uma invasão do planeta. Enquanto a UNSC repele a maior parte da frota, um único cruzador Covenant que transportava um importante membro da hierarquia Covenant, o High Prophet of Regret, que assalta a cidade de New Mombasa, no Quênia. Master Chief auxilia na limpeza da cidade contra o Covenant; com sua frota destruída, Regret faz um salto slipspace rápido; e Keyes, Johnson, Cortana e o Master Chief o seguem a bordo da nave da UNSC, In Amber Clad. A equipe descobre outra instalação Halo; percebendo o perigo que o anel apresenta, Keyes envia o Master Chief para matar Regret enquanto ela e Johnson encontram a chave de ativação de Halo, o Índice.

Enquanto isso, o desonrado comandante Covenant é apresentado aos Profetas Hierarcas, Truth e Mercy, que reconhecem que, embora a destruição do Halo tenha sido culpa dele, ele não é um herege. Eles oferecem a ele a honrada posição de Árbitro, para que ele possa continuar lutando pelo Covenant. Em sua primeira missão para matar um líder herege, o Árbitro descobre 343 Guilty Spark, que o Covenant chama de "oráculo" e o leva de volta à High Charity. Respondendo ao pedido de socorro de Regret, High Charity e a frota Covenant chegam ao novo Halo, Instalação 05, pouco antes de Master Chief matar Regret. Bombardeado do espaço, Chief cai em um lago e é arrastado por uma misteriosa criatura com tentáculos.[27]

A morte de Regret desencadeia discórdia entre as raças do Covenant, pois os Hierarcas deram aos Brutes o trabalho tradicional dos Elites de protegê-los depois de sua morte. O Árbitro é enviado para encontrar o Índice do Halo e recuperá-lo, subjugando Johnson e Keyes no processo antes de ser confrontado por Tartarus. Ele revela ao Árbitro que os Profetas ordenaram a aniquilação dos Elites e envia o Árbitro para um abismo profundo.[27]

O Árbitro é salvo pela criatura com tentáculos e encontra Master Chief nas entranhas da instalação. A criatura, Gravemind, é o líder do Flood na Instalação 05. O Gravemind revela ao Árbitro que a Grande Jornada destruiria o Flood, os seres humanos e o Covenant por completo, e envia o Árbitro e o Master Chief para lugares diferentes para parar a ativação do Halo.[27] O Master Chief é teleportado para a High Charity, onde uma guerra civil estourou entre o Covenant; A In Amber Clad, infestada de Flood, colide com a cidade, e Cortana percebe que Gravemind os usou para assumir High Charity. À medida que o parasita invade a cidade, o Prophet of Mercy é consumido, e o Prophet of Truth ordena que Tartarus leve Keyes, Johnson e Guilty Spark à sala de controle do Halo e ative o anel. Master Chief segue Truth a bordo de uma nave Forerunner que sai da cidade; Cortana fica para trás para destruir High Charity e o Halo se Tartarus conseguir ativar o anel.[28]

O Árbitro é enviado para a superfície do Halo, onde, com a ajuda de Johnson, ele confronta Tartarus na sala de controle do Halo. Quando o Árbitro tenta convencer Tartarus de que os Prophets os traíram, Tartarus ativa o anel com raiva, e uma batalha se inicia. O Árbitro e Johnson conseguem matar Tartarus enquanto Keyes remove o Índice. Em vez de desligar completamente o anel, é acionado um protocolo de segurança de todo o sistema, colocando a Instalação 05 e todos os outros anéis Halo em espera para ativação a partir de um local remoto, ao qual Guilty Spark se refere como "a Arca".[29] Quando a nave de Truth chega em meio a uma batalha violenta na Terra, Hood pergunta ao Master Chief o que ele está fazendo a bordo da nave. Chief responde: "Senhor, terminando esta luta".[30]

Em uma cena pós-créditos, o Gravemind é visto chegando em High Charity, onde Cortana concorda em responder às perguntas da Mente colmeia do Flood.[31]

DesenvolvimentoEditar

Halo nunca havia sido planejado como uma trilogia, mas com o sucesso crítico e comercial de Combat Evolved, uma sequência era esperada. O escritor e diretor de cinemáticas da Bungie, Joseph Staten, lembrou que durante o desenvolvimento de Combat Evolved, a Bungie "certamente tinha ideias fortes para estender a experiência de história e jogabilidade que sabíamos que não poderia caber em um jogo". O apoio adicional da publicadora para uma sequência permitiu uma maior margem de manobra e capacidade de voltar a ideias mais ambiciosas perdidas durante o desenvolvimento de Combat Evolved.[32]

Uma característica importante para o Halo 2 foi o multiplayer. O modo multijogador em Combat Evolved foi realizado via System Link e só ficou pronto semanas antes do lançamento do jogo. A maioria dos jogadores nunca jogou mapas grandes, enquanto um subconjunto desfrutou muito da ação de 16 jogadores por meio de quatro consoles em rede. "Observamos o pequeno grupo de fãs que conseguiram fazer isso", disse o líder de engenharia Chris Butcher, "e o quanto eles estavam se divertindo, e perguntamos a nós mesmos se poderíamos levar isso para todos. Isso seria algo realmente especial, realmente único."[32]

A história de Halo 2 surgiu de todos os elementos que não foram vistos em Halo: Combat Evolved. Jason Jones organizou suas ideias centrais para a história da sequência e procurou Staten para contribuição. Segundo Staten, entre os elementos que não chegaram ao jogo finalizado estava uma "cena horrível de traição", onde Miranda Keyes prende uma bomba nas costas do Master Chief e o joga em um buraco; "Jason estava passando por uma separação bastante difícil na época e acho que isso tinha algo a ver com isso", disse ele.[33]

Halo 2 foi anunciado oficialmente em setembro de 2002 com um trailer cinematográfico,[32] posteriormente embalado com os DVDs de Halo: Combat Evolved. Um vídeo da gameplay em tempo real foi mostrado na E3 de 2003, que foi a primeira gameplay real vista pelo público; apresentou novos recursos, como empunhadura dupla e gráficos aprimorados. Muitos elementos do trailer, no entanto, não estavam prontos para o jogo; todo o motor gráfico usado nas filmagens teve que ser descartado, e o ambiente do trailer nunca apareceu no jogo final devido a limitações sobre o tamanho dos ambientes de jogo. A reestruturação do motor fez com que não houvesse uma versão jogável de Halo 2 por quase um ano, e os ativos e ambientes produzidos pelas equipes de arte e design não puderam ser prototipados.[32]

Para lançar o jogo, a Bungie começou a reduzir suas ambições para as partes single e multiplayer do jogo.[32] Chris Butcher comentou: "Para Halo 2, tínhamos uma visão muito alta das redes. ... Passar de não ter multiplayer da Internet para desenvolver um modelo on-line completamente novo foi um grande desafio para enfrentar de uma só vez e, como resultado, tivemos que deixar muitas coisas em aberto para cumprir o compromisso de data de envio que assumimos com nossos fãs"[34] Faltando apenas um ano para o lançamento, a Bungie entrou na "mãe de todas os crunches" para terminar o jogo;[35] em uma entrevista de 2007, Jamie Griesemer, um dos líderes de design de Halo, disse que esta falta de um período de 'polimento' perto do final do ciclo de desenvolvimento foi a principal razão para as deficiências de Halo 2.[36] Butcher retrospectivamente descreveu o modo multiplayer de Halo 2 como 'uma sombra pálida do que poderia e deveria ter sido se tivéssemos acertado o cronograma de nossa programação';[36] o final abrupto do modo campanha com um cliffhanger também foi resultado do frenesi para lançar a tempo.[35]

Versão WindowsEditar

Em 9 de fevereiro de 2006, Nick Baron anunciou que uma versão de Halo 2 seria lançada no PC, exclusivamente para o sistema operacional Windows Vista. Embora essa tenha sido uma decisão deliberada da Microsoft para impulsionar as vendas do Vista, o jogo pode ser ativado no Windows XP por meio de um patch de terceiros não autorizado.[37] O jogo foi portado por uma pequena equipe da Microsoft Game Studios (codinome Hired Gun) que trabalhou em estreita colaboração com a Bungie. Como um dos títulos de lançamento do Games for Windows – Live, o jogo oferecia recursos da Live não disponíveis na versão Xbox, como suporte de guia e conquistas. O porte para Windows também adicionou dois mapas exclusivos para vários jogadores e um editor de mapas.[38]

Halo 2 for Windows Vista[20] foi originalmente agendado para lançamento em 8 de maio de 2007, mas o lançamento foi adiado para 31 de maio com a descoberta de nudez parcial no editor de mapas do jogo - foi apresentada uma fotografia de um homem fazendo bundalelê para a câmera como parte da mensagem de erro ".ass".[39] A Microsoft ofereceu correções para remover o conteúdo de nudez e revisou as classificações da caixa.[40]

Trapaças e atualizaçõesEditar

Uma queixa comum sobre o jogo online de Halo 2 foram as generalizadas trapaças, que começaram a ocorrer quase imediatamente após o lançamento do jogo. Os usuários exploravam bugs no jogo e vulnerabilidades da rede para ganhar em jogos ranqueados e, assim, aumentar seu ranque no matchmaking.[41]

Alguns jogadores usaram "standbying" para trapacear, no qual o jogador que hospeda o jogo pressiona intencionalmente o botão de espera no modem; isso resulta em todos os jogadores, exceto os trapaceiros ficarem congelados no lugar. Dessa forma, o trapaceiro teria tempo para realizar um objetivo no jogo. "Dummying" envolve o uso de um personagem Elite e um veículo, explorando uma falha que faria com que um doppelgänger do jogador aparecesse. A trapaça também inclui softmodding, no qual um jogador usa dispositivos como o Action Replay e programas de computador para obter vantagens injustas, e a bridging, que usa programas de computador para dar ao jogador o status de "hospedeiro" e, portanto, a capacidade de desconectar outros jogadores da sessão de jogo. Uma exploração de jogos chamada "super salto" ou "super pulo" é rotulada como trapaça por muitos na comunidade Xbox Live, e os funcionários da Bungie a descreveram como trapaça quando usada em partidas.[42] Outra façanha chamada "BXR" permitiu que os jogadores fizessem ataque corpo a corpo, cancelassem a animação e atacassem rapidamente para matar instantaneamente; essa façanha e muitas outras foram removidas na sequência do jogo.[43]

A Bungie lançou vários pacotes de mapas para Halo 2, tanto no Xbox Live quanto em discos de jogos. O Multiplayer Map Pack é um pacote de expansão destinado a disponibilizar conteúdo e atualizações do Xbox Live para jogadores offline, e foi lançado em 5 de julho de 2005. O disco contém a atualização de software do jogo, todos os nove novos mapas multiplayer, um documentário sobre a criação dos mapas e um bônus cinematográfico chamado "Another Day on the Beach", entre outros recursos.[44]

Em 30 de março de 2007, a Bungie anunciou que dois novos mapas estariam disponíveis em 17 de abril de 2007. O próprio Frank O'Connor da Bungie confirmou que os usuários do Xbox e do Xbox 360 teriam acesso ao conteúdo.[45] Os dois novos mapas foram remakes de mapas originais de Halo: Combat Evolved, "Hang em' High" e "Derelict".[46] Devido a problemas com a distribuição dos mapas, as atualizações que tornaram os mapas obrigatórios foram lançadas em 9 de maio de 2007, após o planejado. A Bungie também redefiniu todas os ranques para Halo 2 ao mesmo tempo.[47] Em 7 de julho, também conhecido como "Dia da Bungie", a Bungie lançou o pacote de mapas chamado "Blastacular Map Pack" gratuitamente.[48]

Trilha sonoraEditar

 Ver artigo principal: Halo 2 Original Soundtrack

A trilha sonora de Halo 2 foi composta principalmente por Martin O'Donnell e seu parceiro musical Michael Salvatori, a equipe que tinha composto a música do primeiro Halo aclamada pela crítica. O'Donnell notou ao compor a música para Halo 2 que "Fazer uma sequência nunca é uma proposta simples. Você quer tornar tudo que era legal ainda melhor e deixar de fora todas as coisas que eram fracas."[49] O'Donnell garantiu que nenhuma parte do jogo ficasse completamente silenciosa, observando "O som ambiente é uma das principais maneiras de imergir as pessoas psicologicamente. Uma sala escura é assustadora, mas adicione uma tábua rangendo e ratos deslizando nas paredes e ela se torna realmente assustadora."[49] Halo 2, ao contrário de seu antecessor, foi mixado para tirar o máximo proveito do Dolby 5.1 Digital som surround.[50]

No verão de 2004, o produtor Nile Rodgers e O'Donnell decidiram lançar a música de Halo 2 em dois CDs separados; o primeiro (Volume One) conteria todos os temas presentes no jogo, além da música "inspirada" para o jogo; o segundo conteria o restante da música do jogo, grande parte incompleta, pois o primeiro CD foi lançado antes do lançamento do jogo.[51] O primeiro CD foi lançado em 9 de novembro de 2004 e contou com a participação de Steve Vai na guitarra. Faixas adicionais incluíram vários músicos externos, incluindo Steve Vai, Incubus, Breaking Benjamin e Hoobastank. O CD Halo 2 Original Soundtrack: Volume Two, contendo a música do jogo organizada em formato de suíte, foi lançado em 25 de abril de 2006.

LançamentoEditar

O lançamento de Halo 2 foi precedido de inúmeras promoções, vinculação de produtos e comerciais semelhantes a trailers de filmes. Houve uma festa de pré-lançamento com celebridades de Halo 2 na E3 2004, na qual uma casa particular foi transformada para replicar o mundo de Halo, completo com fuzileiros navais camuflados e Cortanas percorrendo o local.[52]

Além das formas mais tradicionais de promoção, Halo 2 também fez parte de um projeto elaborado de Jogo de realidade alternativa, intitulado "I Love Bees", que custou cerca de um milhão de dólares. Esse "jogo" era centrado em um site hackeado, supostamente um site sobre apicultura, onde residia uma IA do futuro. O projeto recebeu atenção significativa de sites como Slashdot e Wired News;[53] Wired observou que o jogo estava chamando a atenção das eleições presidenciais de 2004 nos Estados Unidos.[54] O jogo ganhou um prêmio por criatividade no 5º Game Game Developers Choice Awards anual[55] e foi indicado ao prêmio Webby.[56] Na manhã de 14 de outubro de 2004, um vazamento da versão francesa do jogo foi publicado na Internet e circulou amplamente.[57]

Halo 2 foi vendido em uma edição padrão e uma "Edição Limitada de Colecionador". A edição de colecionador apresenta a edição regular e inclui várias ofertas promocionais, uma capa especial e um DVD especial da produção de Halo 2. O manual de instruções também foi escrito do ponto de vista do Covenant, e não do ponto de vista da UNSC usado na edição regular. Também está incluído o livreto "Conversations from the Universe", que contém informações adicionais do lado humano e Covenant da história de Halo; transcrições estão disponíveis online. O jogo é fechado em uma caixa de alumínio com o logotipo de Halo 2.

O primeiro lançamento oficial de Halo 2 foi no Canadá, Austrália, Nova Zelândia e Estados Unidos em 9 de novembro de 2004. A expectativa pelo jogo era alta; três semanas antes deste lançamento, um recorde de 1,5 milhão de cópias já haviam sido pré-encomendadas.[58] Filas enormes formadas à meia-noite do lançamento do jogo; o evento recebeu atenção significativa da mídia.[59] Em seguida, foram lançados em 10 de novembro de 2004 na França e em outros países europeus e 11 de novembro no Reino Unido. O jogo vendeu 2,4 milhões de cópias e arrecadou US$ 125 milhões nas primeiras 24 horas nas prateleiras das lojas, superando o filme Pirates of the Caribbean: Dead Man's Chest como o lançamento de maior bilheteria na história do entretenimento.[60] O jogo vendeu 260.000 unidades no Reino Unido em sua primeira semana, tornando-o o terceiro título de venda mais rápida naquele território.[10] Por fim, recebeu um prêmio de vendas "Double Platinum" da Entertainment and Leisure Software Publishers Association (ELSPA),[61] indicando vendas de pelo menos 600.000 cópias no Reino Unido.[62] Em 20 de junho de 2006, o Xbox.com informou que mais de meio bilhão de jogos de Halo 2 foram jogados no Xbox Live desde o seu lançamento. Halo 2 é o jogo Xbox de primeira geração mais vendido[10] com 8,46 milhões de cópias vendidas em novembro de 2008. Em 25 de setembro de 2007, Halo 2 era o quinto videogame mais vendido nos Estados Unidos, com 6,3 milhões de cópias vendidas, segundo o NPD Group.[11] Desde o dia do seu lançamento inicial e até meados de novembro de 2006, Halo 2 foi o videogame mais popular no Xbox Live, mesmo após o lançamento do Xbox 360; sua posição foi superada em 2006 por Gears of War, exclusivo para 360. Halo e Halo 2 ainda são alguns dos jogos mais jogados para o console Xbox.[5]

RecepçãoEditar

 Recepção
Resenha crítica
Publicação Nota
Edge 9/10[63]
Game Informer 10/10[64]
GameSpot 9.4/10[65]
GameSpy 5/5[66]
IGN 9.8/10[67]
Pontuação global
Publicação Nota média
Metacritic (Xbox) 95/100[68]
(PC) 72/100[69]

Halo 2 recebeu elogios da crítica. No site de análise agregado Metacritic, o jogo alcançou uma pontuação geral de 95 em 100, respectivamente.[68] Halo 2 recebeu vários prêmios, incluindo Melhor jogo de console e Melhor design de som da Interactive Achievement Awards. Segundo o Xbox.com, o jogo recebeu mais de 38 prêmios individuais.[70]

Muitos analistas elogiaram o áudio por ser especialmente vívido.[64] O modo multiplayer foi destacado como o melhor do Xbox Live na época. A Game Informer, juntamente com várias outras publicações, classificou-o como superior ao de Halo: Combat Evolved, citando um modo multiplayer aprimorado e uma jogabilidade menos repetitiva. A maioria dos críticos notou que Halo 2 seguiu a fórmula que fez seu antecessor ser bem-sucedido, e foi elogiado e criticado por esta decisão. A análise da revista Edge concluiu que Halo 2 poderia ser resumido com uma linha de seu script: "Não é um novo plano. Mas sabemos que vai funcionar."[63]

O modo de campanha do jogo recebeu algumas críticas por ser muito curto,[71] e por apresentar um final abrupto com um cliffhanger.[65] A GameSpot notou que, embora a troca da história entre o Covenant e as facções humanas tenha tornado o enredo mais complexo, ele distraiu o jogador da sobrevivência da Terra e do ponto principal do jogo;[65] enquanto a Edge rotulava o enredo de "uma confusão de fan-fiction de ficção científica e política confusa ao estilo do Episódio II".[63]

A versão para Windows do jogo recebeu críticas mistas, com a IGN classificando-a em 7.5/10,[72] e a GameSpot dando-a 7.0/10.[73] A maioria das críticas ocorreu devido à data de lançamento tardia e aos gráficos datados. Ele recebeu uma pontuação agregada de 72 em 100 no Metacritic.[69]

LegadoEditar

Várias publicações listaram a tecnologia de matchmaking inovadora de Halo 2 como um dos pontos de virada na indústria de jogos durante os anos 2000. Sterling McGarvey, do canal de televisão G4, escreveu que "a sequência da Bungie foi um tiro no braço para assinaturas do Xbox Live e previu muitos dos recursos que definiriam o padrão para o serviço online da Microsoft na próxima máquina".[74] Os editores da Popular Mechanics listaram Halo 2 como um dos quinze melhores eventos da década, creditando ao jogo a inclusão de vários jogadores on-line nas massas dos consoles.[75] Paul Chapman do The Province concordou, escrevendo que jogos como Call of Duty: Modern Warfare 2 não seriam tão divertidos de jogar se não fosse pelo chão que Halo 2 quebrou.[76]

NotasEditar

  1. Trabalho adicional na versão de Windows foi realizado pela Microsoft Game Studios e Pi Studios.[1][2]

Referências

  1. Matei, Robert (11 de dezembro de 2006). «Vista Halo 2 Plans Details». softpedia (em inglês). Consultado em 31 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 31 de outubro de 2019 
  2. «Halo 2 for Vista -- Uplift». GameSpy (em inglês). 3 de abril de 2007. Consultado em 31 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 31 de outubro de 2019 
  3. a b O'Connor, Frank (9 de novembro de 2005). «Halo 2: One Year Later». halo.bungie.net (em inglês). Bungie. Consultado em 14 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 14 de outubro de 2019 
  4. a b c d «Halo 2 for PC – Release Summary». GameSpot (em inglês). Consultado em 13 de outubro de 2019. Arquivado do original em 18 de abril de 2012 
  5. a b International, GamesIndustry (21 de fevereiro de 2006). «Halo 2 tops Live most-played list». GamesIndustry.biz (em inglês). Eurogamer. Consultado em 14 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 14 de outubro de 2019 
  6. Gibson, Ellie (20 de novembro de 2006). «Gears of War takes top spot in Xbox Live chart». GamesIndustry.biz (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 14 de outubro de 2019 
  7. «Halo 3: Does It Live Up To The Hype?» (em inglês). Sky News. 1 de outubro de 2007. Consultado em 14 de outubro de 2019. Arquivado do original em 10 de outubro de 2012 
  8. Zaharov-Reutt, Alex (8 de março de 2007). «Xbox LIVE: 6 million users and counting - thumbs nose at PS3, Wii» (em inglês). iTWire. Consultado em 14 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 14 de outubro de 2019 
  9. Wolfson, Roger (9 de maio de 2007). «Halo 2 hits 5 million players!». halo.bungie.net (em inglês). Bungie. Consultado em 15 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 23 de julho de 2019 
  10. a b c Moses, Asher (31 de agosto de 2007). «Prepare for all-out war». The Sydney Morning Herald (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2019 
  11. a b Sidener, Jonathan (25 de setembro de 2007). «Microsoft pins Xbox 360 hopes on 'Halo 3' sales». The San Diego Union-Tribune (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2019. Arquivado do original em 22 de maio de 2012 
  12. Gies, Arthur (7 de novembro de 2014). «Halo: The Master Chief Collection review: the library». Polygon (em inglês). Vox Media. Consultado em 26 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 26 de outubro de 2019 
  13. Frank, Allegra (12 de março de 2019). «Halo: The Master Chief Collection coming to PC». Polygon (em inglês). Vox Media. Consultado em 26 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 26 de outubro de 2019 
  14. «Halo 2 | Jogos | Site Oficial do Halo». www.halowaypoint.com. Consultado em 26 de outubro de 2019 
  15. a b c d e Bungie (2004). Halo 2 Instruction Manual [Halo 2 Manual de Instruções] (em inglês). [S.l.]: Microsoft Game Studios. pp. 3–6, 8, 12, 14–18 
  16. «Ladies Like Superior Firepower» (em inglês). Halo.Bungie.Org. Consultado em 26 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 26 de outubro de 2019. Uma composição de 1:11 de comprimento, mostrando o discurso alterado na cena 'Ladies Like...', com base na dificuldade. 
  17. Stefanescu, Tudor (24 de outubro de 2006). «Halo 2 Skull Locations and Descriptions» (em inglês). Softpedia. Consultado em 26 de outubro de 2019. Arquivado do original em 2 de novembro de 2006 
  18. «Halo 2 Matchmaking Overview». halo.bungie.net (em inglês). Bungie. 30 de janeiro de 2007. Consultado em 26 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 26 de outubro de 2019 
  19. Whitten, Marc (5 de fevereiro de 2010). «A Letter from Marc Whitten: Discontinuation of Xbox LIVE for Original Xbox Games». Xbox.com (em inglês). Microsoft. Consultado em 26 de outubro de 2019. Arquivado do original em 15 de novembro de 2010 
  20. a b «Halo 2 for Windows details». Games for Windows (em inglês). Microsoft. Consultado em 26 de outubro de 2019. Arquivado do original em 22 de abril de 2007 
  21. McElroy, Griffin (17 de janeiro de 2013). «Halo 2 PC servers shutting down on Feb. 15». Polygon (em inglês). Vox Media. Consultado em 26 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 26 de outubro de 2019 
  22. Tach, Dave (12 de fevereiro de 2013). «Halo 2 PC multiplayer support extended through June, 343 investigating 'further support options'». Polygon (em inglês). Vox Media. Consultado em 26 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 26 de outubro de 2019 
  23. Good, Owen (10 de maio de 2010). «The Last Man to Play Halo 2 on Xbox Live». Kotaku (em inglês). Consultado em 26 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 26 de outubro de 2019. He is Apache N4SIR. Nearly a month after Microsoft shut down the original Xbox Live, he was one of the Noble 14 who kept their connections running. [...] Shortly before 11 p.m. PDT, May 10, 2010, Apache N4SIR left Halo 2. He says he was booted from the game. This is the end of multiplayer on Halo 2 and the original Xbox Live. 
  24. Bungie (9 de novembro de 2004). Halo 2 (em inglês). Xbox. Microsoft Game Studios. Fase: Sacred Icon. Prophet of Mercy: Halo. Its divine wind will sweep through [the galaxy], propelling all who are worthy along the path of salvation. 
  25. Nylund, Eric (2003). Halo: First Strike. [S.l.]: Del Ray. p. 101. ISBN 0-345-46781-7 
  26. Bungie (9 de novembro de 2004). Halo 2 (em inglês). Xbox. Microsoft Game Studios. Fase: Cairo Station. Lord Hood: Commander Miranda Keyes. Your father's actions were in keeping with the highest traditions of military service. His bravery in the face of impossible odds reflects great credit upon himself, and the UNSC. The Navy has lost one of its best. 
  27. a b c Bungie (9 de novembro de 2004). Halo 2 (em inglês). Xbox. Microsoft Game Studios 
  28. Bungie (9 de novembro de 2004). Halo 2 (em inglês). Xbox. Microsoft Game Studios. Fase: High Charity. Cortana: If he does, I'll detonate In Amber Clads reactors, just like we did the Autumn. The blast will take out both this station and the ring. Not a very original plan, but we know it'll work. 
  29. Bungie (9 de novembro de 2004). Halo 2 (em inglês). Microsoft. Fase: The Great Journey. 343 Guilty Spark: Fail-safe protocol: in the event of unexpected shut-down, the entire system will move to standby status. All installations are now ready for remote activation. / Keyes: Remote activation? From here? / 343 Guilty Spark: Don't be ridiculous. [...] Why... the Ark, of course. 
  30. Bungie (9 de novembro de 2004). Halo 2 (em inglês). Xbox. Microsoft Game Studios. Fase: The Great Journey. Admiral Hood: Master Chief, you mind telling me what you're doing on that ship? / Master Chief: Sir? Finishing this fight. 
  31. Bungie (9 de novembro de 2004). Halo 2 (em inglês). Xbox. Microsoft Game Studios. Cena: Pós-créditos. Gravemind: Silence fills the empty grave...now that I have gone. But my mind is not at rest...for questions linger on. I will ask...and you will answer. / Cortana: ...Alright. Shoot. 
  32. a b c d e Fahey, Rob (11 de abril de 2010). «Better Than Halo: The Making of Halo 2». Eurogamer (em inglês). pp. 1–7. Consultado em 28 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 28 de outubro de 2019 
  33. Bungie: Inside Halo 2 (mov) (em inglês). Film Oasis. Setembro de 2003. Consultado em 30 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 30 de outubro de 2019 
  34. Smith, Luke (26 de janeiro de 2007). «Does Bungie Hate Halo 2?». 1UP.com (em inglês). Consultado em 30 de outubro de 2019. Arquivado do original em 19 de outubro de 2012 
  35. a b McLaughlin, Rus (10 de setembro de 2010). «IGN Presents The History of Halo». IGN (em inglês). Consultado em 30 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 30 de outubro de 2019 
  36. a b «Inside Bungie - Edge Online». Edge (em inglês). Janeiro de 2007. Consultado em 30 de outubro de 2019. Arquivado do original em 22 de janeiro de 2007 
  37. Bramwell, Tom (26 de junho de 2007). «Vista games cracked to run on XP». GamesIndustry.biz (em inglês). Consultado em 30 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 30 de outubro de 2019 
  38. «Halo 2 Q&A - Examining the New District Level». GameSpot (em inglês). 6 de abril de 2007. Consultado em 30 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 30 de outubro de 2019 
  39. Graft, Kris (24 de maio de 2007). «Nudity the Cause for Halo 2 Vista Delay». Next-Gen.biz. Edge. Consultado em 30 de outubro de 2019. Arquivado do original em 8 de agosto de 2008 
  40. Thorsen, Tor (25 de maio de 2007). «'Partial nudity' behind Halo 2 delay?». GameSpot (em inglês). Consultado em 30 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 30 de outubro de 2019 
  41. Rider, Shawn (26 de maio de 2006). «A Bridge Too Far: The World of Halo 2 Cheating». GamesFirst! (em inglês). Consultado em 30 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 30 de outubro de 2019 
  42. «How to BXR, BXB and everything else». Bungie.net (em inglês). Bungie. Consultado em 30 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 30 de outubro de 2019 
  43. Totilo, Stephen (5 de fevereiro de 2009). «The 5 Most Notorious Multiplayer Gaming Glitches» (em inglês). MTV. Consultado em 30 de outubro de 2019. Arquivado do original em 9 de fevereiro de 2009 
  44. «Halo 2 Multiplayer Map Pack (Xbox)» (em inglês). TeamXbox. 5 de julho de 2005. Consultado em 30 de outubro de 2019. Arquivado do original em 10 de abril de 2008 
  45. O'Connor, Frank (30 de março de 2007). «New Halo 2 Maps Revealed!». halo.bungie.net (em inglês). Bungie. Consultado em 30 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 30 de outubro de 2019 
  46. O'Connor, Frank (30 de março de 2007). «Bungie Weekly Update». halo.bungie.net (em inglês). Bungie. Consultado em 30 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 30 de outubro de 2019 
  47. Smith, Luke (9 de maio de 2007). «Halo 2 Playlist Update and Stat Reset». halo.bungie.net (em inglês). Bungie. Consultado em 30 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 30 de outubro de 2019 
  48. O'Connor, Frank (7 de junho de 2007). «Bungie Weekly Update: 07/06/07». halo.bungie.net (em inglês). Bungie. Consultado em 30 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 30 de outubro de 2019 
  49. a b Hedgemony (14 de janeiro de 2003). «Interview of Marty O'Donnell by Hedgemony». nikon.bungie.org (em inglês). Halo.Bungie.Org. Consultado em 30 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 30 de outubro de 2019 
  50. O'Donnell, Martin (2006). Halo 2 Original Soundtrack: Volume One (Notas de mídia) (em inglês). Sumthing Distribution 
  51. O'Donnell, Martin (2006). Halo 2 Original Soundtrack: Volume Two (Notas de mídia) (em inglês). Sumthing Distribution 
  52. «Hollywood's Hooked On Halo». Xbox.com (em inglês). Microsoft. 27 de outubro de 2004. Consultado em 30 de outubro de 2019. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2007 
  53. Iker, Simone (23 de julho de 2004). «Halo 2 Trailer, ILB, Halo Done Quick» (em inglês). Slashdot. Consultado em 30 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 31 de outubro de 2019 
  54. Terdiman, Daniel (18 de outubro de 2004). «I Love Bees Game a Surprise Hit». Wired (em inglês). Consultado em 30 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 31 de outubro de 2019 
  55. «Game Developers Choice Online Awards | 5th Annual GDCA». Game Developers Choice Awards (em inglês). 10 de março de 2005. Consultado em 31 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 31 de outubro de 2019 
  56. Peters, Steve (12 de abril de 2005). «"I Love Bees" Nominated for Webby Award». ARGNet: Alternate Reality Gaming Network (em inglês). Consultado em 31 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 31 de outubro de 2019 
  57. «Stolen! Grand Theft Auto: San Andreas and Halo 2 are the latest victims of theft». GamePro (em inglês) (196). Janeiro de 2005. p. 22 
  58. Thorsen, Tor (19 de outubro de 2004). «Halo 2 hits 1.5 million preorders; mass midnight sales planned». GameSpot (em inglês). Consultado em 31 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 31 de outubro de 2019 
  59. Loftus, Tom (9 de novembro de 2004). «Gamers go gunning for 'Halo 2'». MSNBC (em inglês). Consultado em 31 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 31 de outubro de 2019 
  60. Thorsen, Tor (11 de novembro de 2004). «Microsoft raises estimated first-day Halo 2 sales to $125 million-plus». GameSpot (em inglês). Consultado em 31 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 31 de outubro de 2019 
  61. «ELSPA Sales Awards: Double Platinum». Entertainment and Leisure Software Publishers Association. Consultado em 30 de outubro de 2019. Arquivado do original em 20 de maio de 2009 
  62. Caoili, Eric (26 de novembro de 2008). «ELSPA: Wii Fit, Mario Kart Reach Diamond Status In UK». Gamasutra (em inglês). Consultado em 31 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 31 de outubro de 2019 
  63. a b c Mott, Tony, ed. (2004). «Halo 2 review». Bath: Future Publishing. Edge (em inglês) (144): 74–75 
  64. a b McNamara, Andy. «Halo 2 review at Game Informer». Game Informer (em inglês). Consultado em 31 de outubro de 2019. Arquivado do original em 11 de outubro de 2007 
  65. a b c Kasavin, Greg (7 de novembro de 2004). «Halo 2 Review». GameSpot (em inglês). Consultado em 31 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 31 de outubro de 2019 
  66. Tuttle, Will (9 de novembro de 2004). «GameSpy Halo 2 Review». GameSpy (em inglês). Consultado em 31 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 31 de outubro de 2019 
  67. C. Perry, Douglass (7 de novembro de 2004). «Halo 2 Review». IGN (em inglês). Consultado em 31 de outubro de 2019. Arquivado do original em 28 de novembro de 2005 
  68. a b «Halo 2». Metacritic (em inglês). Consultado em 31 de outubro de 2019 
  69. a b «Halo 2 for PC Reviews». Metacritic (em inglês). Consultado em 31 de outubro de 2019 
  70. «Halo 2 – Awards». Xbox.com (em inglês). Microsoft. Consultado em 31 de outubro de 2019. Arquivado do original em 17 de agosto de 2009 
  71. Ham, Tom (14 de novembro de 2004). «Reviews: Halo 2 and Donkey Konga». The Washington Post (em inglês). Consultado em 31 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 31 de outubro de 2019 
  72. Butts, Steve (5 de junho de 2007). «Halo 2 Review». IGN (em inglês). Consultado em 31 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 31 de outubro de 2019 
  73. Gerstmann, Jeff (25 de maio de 2007). «Halo 2 Review». GameSpot (em inglês). Consultado em 31 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 31 de outubro de 2019 
  74. McGarvey, Sterling (23 de dezembro de 2009). «The First Decade: The Industry's Turning Points in the '00s» (em inglês). G4 TV. Consultado em 31 de outubro de 2019. Arquivado do original em 24 de setembro de 2015 
  75. Sofge, Erik (24 de dezembro de 2009). «Top 15 Events in the Past Decade of Gaming». Popular Mechanics (em inglês). p. 6. Consultado em 31 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 31 de outubro de 2019 
  76. Chapman, Paul (3 de janeiro de 2010). «Top games of the decade; These 10 titles changed the way we played» (em inglês). Canwest. Consultado em 31 de outubro de 2019. Arquivado do original em 24 de maio de 2012 

Ligações externasEditar