Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde maio de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Henrique Lage
Nascimento 14 de março de 1881
Rio de Janeiro, RJ
Morte 2 de julho de 1941 (60 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Nacionalidade brasileira
Ocupação industrial

Henrique Lage (Rio de Janeiro, 14 de março de 1881 — Rio de Janeiro, 2 de julho de 1941) foi um industrial brasileiro.

Homem de grande inteligência e tino comercial, voltou-se desde cedo para o problema da industrialização nacional, vendo nela a esperança de alargamento dos horizontes econômicos do país.

Foi o principal idealizador do Porto de Imbituba, o segundo maior porto do estado de Santa Catarina. Fundou a Companhia Docas de Imbituba em 1922. Na cidade, além do porto, montou uma cerâmica e uma granja de grandes proporções (para produção de louça e hortifrutigranjeiros, para sua companhia de navegação), e também uma escola para os filhos dos estivadores, que leva seu nome e que existe até hoje, sob regência do estado.

Foi um grande incentivador de fundamentais setores da indústria nacional, como a mineração e a aeronáutica.

Foi pioneiro na extração salineira no nordeste do Brasil e, na década de 1920, mandou sondar a existência de petróleo no município de Campos dos Goytacazes.

Henrique Lage criou, em 1935, a Companhia Nacional de Navegação Aérea, primeira fábrica de aviões no Brasil.

Foi casado com a cantora lírica italiana Gabriella Besanzoni. Foi de sua propriedade também o Parque Lage, localizado aos pés do Morro do Corcovado, no Rio de Janeiro.

HomenagensEditar

Existe em sua homenagem a Escola Técnica Estadual Henrique Lage, localizada no bairro Barreto, em Niterói, o bairro de Vila Lage, em São Gonçalo, e a Refinaria Henrique Lage.

O atual município de Imbituba, no estado de Santa Catarina, foi criado em 1958 originalmente com o nome de "Henrique Lage", desmembrado do município de Laguna.[1]

O Hospital Santa Otília de Orleans foi denominado, inicialmente, Hospital Municipal Henrique Lage, denominação vetada pelo então governador de Santa Catarina Nereu Ramos.[2]

No entanto, no município de Lauro Müller/SC, situado no interior do estado, existe a então Fundação Hospitalar Henrique Lage.

A Refinaria Henrique Lage situada em São José dos Campos, SP

Forças ArmadasEditar

Seu espírito patriótico era grande e seu interesse pelas Forças Armadas, em especial pelo Exército, ainda maior. Este espírito está materializado no mármore que cobre os salões da Academia Militar de Agulhas Negras, por ele doado quando de sua construção.

Durante muito tempo foi quem entregava a espada ao primeiro colocado da Escola Militar, na cerimônia de Declaração dos Novos Aspirantes. Os cadetes da Escola Militar recebiam tratamento especial em seus navios, nos quais muitos deles viajavam de cortesia durante as férias escolares.

Deixou saudades nos oficiais do Exército e, principalmente, nos cadetes que o veneravam pelo seu brilhantismo e exemplo de companheirismo e dedicação em prol de um país maior e melhor. Por sua grande contribuição à Academia e ao Exército Brasileiro foi-lhe concedido o Espadim Nº 1 e outorgado o título de Patrono do Curso Básico da AMAN.

Referências

  1. «Lei de criação de diversos município catarinenses, dentre outros, Henrique Lage.». Consultado em 23 de setembro de 2012. Arquivado do original em 28 de dezembro de 2014 
  2. Hospital Santa Otília, pelo historiador Jucely Lottin.

Ligações externasEditar