Abrir menu principal

In the Name of the King: A Dungeon Siege Tale

filme de 2007 dirigido por Uwe Boll
In the Name of the King: A Dungeon Siege Tale
Em Nome do Rei - Ascensão e Luta (PRT)
Em Nome do Rei (BRA)
 Alemanha
 Canadá
 Estados Unidos

2007 •  cor •  127 min 
Direção Uwe Boll
Produção Uwe Boll
Dan Clarke
Shawn Williamson
Wolfgang Herold
Roteiro Doug Taylor
Baseado em Dungeon Siege de Gas Powered Games
Elenco Jason Statham
Leelee Sobieski
Ron Perlman
John Rhys-Davies
Claire Forlani
Matthew Lillard
Kristanna Loken
Will Sanderson
Tania Saulnier
Brian J. White
Ray Liotta
Burt Reynolds
Gênero ação
aventura
fantasia
Música Jessica de Rooij
Henning Lohner
Cinematografia Mathias Neumann
Edição Paul Klassen
David M. Richardson
Companhia(s) produtora(s) Boll KG Productions
Herold Productions
Brightlight Pictures
Distribuição 20th Century Fox (Alemanha)
Freestyle Releasing (Estados Unidos)
Lançamento Bélgica 11 de abril de 2007 (Festival Internacional de Filmes de Fantasia de Bruxelas)
Alemanha 29 de novembro de 2007
Estados Unidos11 de janeiro de 2008
Idioma inglês
Orçamento US$ 60 milhões[1]
Receita US$ 13 097 915[2]
Cronologia
In the Name of the King 2

In the Name of the King: A Dungeon Siege Tale (bra: Em Nome do Rei /prt: Em Nome do Rei - Ascensão e Luta) é um filme de ação, aventura e fantasia de 2007 dirigido por Uwe Boll e estrelado por Jason Statham, Claire Forlani, Leelee Sobieski, John Rhys-Davies, Ron Perlman, Matthew Lillard, Ray Liotta, Burt Reynolds e Kristanna Loken. É inspirado na série de jogos eletrônicos Dungeon Siege.[3] O filme em inglês é uma coprodução internacional da Alemanha, Canadá e Estados Unidos e filmado no Canadá. Estreou no Festival de Filmes Fantásticos de Bruxelas em abril de 2007 e foi lançado nos cinemas em novembro de 2007.

SinopseEditar

Uma aventura épica de fantasia, baseada na série de jogos mais conhecida da Microsoft, Dungeon Siege. O Poderoso Rei Konreid (Burt Reynolds) precisa defender seu castelo e seu povo do diabólico Gallian (Ray Liotta), que quer derrubá-lo. Um exército aterrorizante de monstros guerreiros, conhecidos como Krugs, é enviado pelo vilão para invadir o reino em busca do rei. A vida de um homem simples chamado Farner (Jason Statham) muda para sempre quando o Krugs destroem sua pacífica comunidade. Depois de ter seu filho assassinado e sua mulher (Claire Forlani) seqüestrada, ele está determinado a se vingar e parte em busca da esposa. Mas o que ele encontra durante a jornada vai revelar muito mais sobre seu destino do que ele poderia prever.

ElencoEditar

ProduçãoEditar

O orçamento de produção foi de US$60 milhões,[1] sendo a produção de filmes mais cara de Uwe Boll até hoje.

 
Partes do filme foram filmadas em Robert Burnaby Park

Boll disse que duas versões serão produzidas devido a dureção. O primeiro será executado por 127 minutos como um único filme aparado para lançamento cinematográfico. O segundo, com versão do diretor, será para DVD e terá duração de aproximadamente 156 minutos.[4]

O filme foi filmado perto da municipalidade de Sooke, a área mais ocidental da Grande Victria, Distrito Regional da Capital (CRD), Colúmbia Britânica. Os habitantes locais e as pessoas das Primeiras Nações foram recrutados como extras e para outras tarefas.

Efeitos visuais foram adicionados na pós-produção. As empresas incluíam Elektrofilm, Frantic Films, The Orphanage, PICTORION das werk, Rocket Science VFX, Technicolor Creative Services, TVT postproduction e upstart! Animation.

Trilha sonoraEditar

A banda alemã de power metal Blind Guardian gravou o tema principal do filme, "Skalds and Shadows".[5] A banda britânica de metal progressivo Threshold contribuiu com a música "Pilot in the Sky of Dreams" de seu álbum Dead Reckoning. A banda sueca de power metal, HammerFall, também contribuiu com uma faixa, "The Fire Burns Forever". Wolfgang Herold foi o produtor executivo da trilha sonora.

RecepçãoEditar

BilheteriaEditar

In the Name of the King foi um fracasso nas bilheterias, arrecadando US$3,265,000 milhões em sua estreia nos Estados Unidos.[6] Ele havia arrecadado US$10,3 milhões em todo o mundo, incluindo US$2,47 milhões na Alemanha, US$1,39 milhão na Rússia e US$1,22 milhão na Espanha.[7] Posteriormente, Uwe Boll anunciou que este seria seu primeiro e último filme com um grande orçamento.[6]

Resposta da críticaEditar

O filme foi criticado pelos críticos de cinema. O filme possui uma classificação de 4% "Rotten" no site agregador de críticas Rotten Tomatoes, com base em 50 avaliações, o filme também está classificado entre os 100 piores filmes do site nos anos 2000[8] e, em 2008, a Time listou o filme em sua lista dos dez piores filmes de videogame.[9] Metacritic relatou que o filme teve uma pontuação média de 15 em 100, com base em 11 críticas - indicando "aversão esmagadora".[10] Muitos críticos atacaram as semelhanças estreitas do filme com outros filmes de fantasia, especialmente os populares filmes O Senhor dos Anéis. [1][11][12]

O filme foi indicado a cinco prêmios Framboesa de Ouro, incluindo pior filme, pior roteiro, pior ator coadjuvante (Burt Reynolds) e pior atriz coadjuvante (Leelee Sobieski), com Uwe Boll ganhando o pior diretor.

SequênciasEditar

Apesar de ser considerado um fracasso de bilheteria, Boll filmou uma sequência intitulada In the Name of the King 2.[13] As filmagens começaram em 1 de dezembro de 2010 e foi lançado em 2011. O filme é estrelado por Dolph Lundgren e Natassia Malthe.

Um terceiro filme, In the Name of the King 3: The Last Mission, foi filmado em 2013, mas não foi lançado até 2014. O filme estrelou Dominic Purcell, com Boll retornando para a direção.[14]

Mídia domésticaEditar

O DVD, lançado em 15 de abril de 2008, não inclui a versão de 156 minutos. O lançamento do Blu-ray em dezembro de 2008 contém esta edição. 813,147 unidades foram vendidas, gerando uma receita de US$14,865,984, arrecadando mais do que a bilheteria do filme nos cinemas.[15]

Referências

  1. a b c «In the Name of the King: A Dungeon Siege Tale». DVD Talk (em inglês). Consultado em 22 de outubro de 2015 
  2. «In the Name of the King: A Dungeon Siege Tale». The Numbers (em inglês). Consultado em 22 de outubro de 2015 
  3. Esdras, Daniel (18 de maio de 2019). «Os melhores e piores filmes baseados em games». UOL. Consultado em 12 de novembro de 2019 
  4. Bloody-Disgusting - All Things Horror Arquivado em 17 de janeiro de 2008 no Wayback Machine.
  5. «Archived copy». Consultado em 30 de janeiro de 2008. Cópia arquivada em 30 de novembro de 2007 
  6. a b In the Name of the King: A Dungeon Siege Tale at Box Office Mojo. Retrieved February 13, 2008.
  7. «In the Name of the King: A Dungeon Siege Tale (2008) - International Box Office Results - Box Office Mojo». boxofficemojo.com 
  8. «In the Name of the King: A Dungeon Siege Tale Movie Reviews, Pictures - Rotten Tomatoes». Rotten Tomatoes. Consultado em 26 de abril de 2018 
  9. «Top 10 Worst Video Game Movies». Time. 20 de outubro de 2008. Consultado em 25 de abril de 2009 
  10. «In the Name of the King: A Dungeon Siege Tale (2008): Reviews». Metacritic. Consultado em 16 de março de 2008 
  11. «Hollywood.com Reviews». Hollywood.com. Consultado em 12 de maio de 2008 
  12. Kern, Laura. «New York Times: Movies». The New York Times. Consultado em 12 de maio de 2008 
  13. «AFM: Uwe Boll's In the Name of the King 2 "Coming Soon"». Twitchfilm. Consultado em 16 de novembro de 2010 
  14. «Uwe Boll Knights Dominic Purcell for In the Name of the King III, Produces the Knights vs. Werewolves Flick Moonrunners». Dread Central. Consultado em 8 de novembro de 2012 
  15. «In the Name of the King: A Dungeon Siege Tale». the-numbers.com