Abrir menu principal
Joacil Pereira
Deputado federal pela Paraíba
Período 1 de fevereiro de 1979 a 31 de janeiro de 1987
Deputado estadual da Paraíba
Período 1959 a 1967
Dados pessoais
Nome completo Joacil de Brito Pereira
Nascimento 13 de fevereiro de 1923
Caicó, RN
Morte 29 de agosto de 2012 (89 anos)
João Pessoa, PB
Progenitores Mãe: Isabel de Brito Pereira
Pai: Francisco Clementino Pereira
Alma mater Faculdade de Direito da Universidade Federal de Pernambuco
Cônjuge Neli Santiago Pereira
Partido UDN, ARENA, PDS e PFL
Profissão Advogado, professor, pecuarista e político

Joacil de Brito Pereira (Caicó, 13 de fevereiro de 1923 - João Pessoa, 29 de agosto de 2012) foi um advogado, professor, pecuarista e político brasileiro[1][2].

BiografiaEditar

Filho de Francisco Clementino Pereira e Isabel de Brito Pereira, mudou-se juntamente com os pais para João Pessoa após a Revolução de 1930. Fez os primeiros estudos em colégios da capital paraibana e em Garanhuns, no estado de Pernambuco, antes de interrompê-los para servir ao Exército entre 1942 e 1944. Na Assembleia Legislativa da Paraíba, trabalhou como redator de anais e debates, e bacharelou-se em Direito na Universidade Federal de Pernambuco em 1950. Em 1952 fundou a Escola de Engenharia da Paraíba, posteriormente incorporada à UFPB.

Sua estreia em eleições iniciou-se em 1958, quando foi eleito deputado estadual pela UDN, em coligação com o Partido Libertador. Reeleito em 1962, Joacil Pereira migrou para a ARENA em 1965 após a promulgação do Ato Institucional Número Dois, que eliminaria os demais partidos políticos e instituiu o bipartidarismo. Nas eleições de 1966, tentou uma vaga na Câmara dos Deputados, mas não teve sucesso e deixou a carreira política.

Nomeado secretário do Interior e Justiça no governo de Ivan Bichara, em 1975, exerceu o cargo até 1977 e no ano seguinte aposentou-se como professor universitário. Ainda em 1978, retornou à política ao disputar a eleição estadual para deputado federal, sendo o quarto mais votado (50.164 votos). Em 1979, filia-se ao PDS logo após a reformulação partidária. Na eleição de 1982, obteve a terceira maior votação para deputado federal (70.262 sufrágios) - desde 1981, Joacil foi o líder da bancada pedessista na Câmara. Em 1984, votou contra a emenda proposta pelo deputado Dante de Oliveira que restabeleceria as eleições diretas para a Presidência da República.

Um racha no PDS fez com que o deputado se filiasse ao recém-criado PFL (atual Democratas). Em abril de 1986, se licenciou do mandato, que foi ocupado pelo suplente Juracy Palhano, reassumindo-o em agosto do mesmo ano. Tentou se reeleger para um terceiro mandato nas eleições realizadas em novembro, porém não conseguiu, embora tivesse obtido 26.062 votos. Desde então, afastou-se da política e passou a dedicar-se aos trabalhos como professor e advogado criminalista em Pernambuco, Ceará e Rio Grande do Norte (seu estado natal).

Em 2009, lançou o livro "Temas de Direito e Ciências Afins", último dos 9 livros que publicou. Era casado com Neli Santiago Pereira, com quem teve 8 filhos.

MorteEditar

Faleceu em João Pessoa, em 29 de agosto de 2012, aos 90 anos de idade[3].

  Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Referências

  1. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Joacil Pereira». Câmara dos Deputados. Consultado em 24 de outubro de 2018 
  2. «Joacil de Brito Pereira». CPDOC. Consultado em 24 de outubro de 2018 
  3. «Ex-deputado Joacil de Brito Pereira morre aos 89 anos em João Pessoa». MaisPB. Consultado em 29 de agosto de 2012