Abrir menu principal

Jorge Murad

(Redirecionado de Jorge Murad Júnior)
Jorge Murad
Primeiro Cavalheiro do Maranhão
Período 1º de janeiro de 1995
até 5 de abril de 2002
17 de abril de 2009
até 10 de dezembro de 2014
Dados pessoais
Nascimento 21 de janeiro de 1954 (65 anos)
São Luís, MA
Cônjuge Roseana Sarney (desde 1976)
Filhos Rafaela Sarney (n. 1978)
Partido ARENA (1977–1980)
PDS (1980–1985)
PFL (1985–2006)
PMDB (2006–presente)
Profissão Empresário

Jorge Francisco Murad Júnior GOIH (São Luís, 21 de janeiro de 1954), também conhecido como Jorge Murad, é um empresário e político brasileiro.

BiografiaEditar

Jorge Murad nasceu em uma família modesta, que, na década de 1970, era dona de uma padaria e de uma cantina escolar. Entre 1975 e 1976, sua empresa de óleo de babaçu faliu e ele ficou endividado.

Formou-se em Economia por uma universidade particular de Brasília.[1]

Foi também em 1976, que Jorge se casou com a política Roseana Sarney, filha do ex-presidente da República José Sarney (1985-1990) e de sua esposa, Marly. Adotaram uma filha, Rafaela, já que sua esposa é estéril.[2]

Possui uma filha fora do casamento, fruto de um relacionamento dos tempos em que ficou separado de Roseana.

Durante o governo de seu sogro, Murad, que começou a trabalhar no 4.° andar do Palácio do Planalto, deu conselhos nos rumos da política econômica do país, que passava à época pelo Plano Cruzado.

A 14 de Julho de 1986, foi feito Grande-Oficial da Ordem do Infante D. Henrique de Portugal.[3]

Em 1988, Jorge separou-se de Roseana e mudou-se para o Rio de Janeiro. O casal reconciliou-se em 1994, quando sua esposa concorreu e foi eleita ao seu primeiro mandato no governo do Estado do Maranhão. Jorge assumiu a Secretaria de Planejamento.

Hoje, Murad é dono de várias empresas, cujas áreas de atuação vão do turismo à distribuição de combustíveis, e propriedades rurais e urbanas. Possui uma casa ao lado da mansão da família Sarney na Ilha de Curupu, perto de Raposa.[4]

O Caso LunusEditar

Em 2002, a Polícia Federal surpreendeu Murad em seu escritório da Lunus Participações, uma empresa de sua propriedade em sociedade com sua esposa Roseana Sarney, e encontrou 1,34 milhão de reais, quantia supostamente paga por empreteiros.

Em março de 2003, o Superior Tribunal de Justiça manteve decisão favorável à Lunus.[5]

Referências

  1. [1]
  2. [2]
  3. «Cidadãos Estrangeiros Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Jorge Francisco Murad Júnior". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 24 de março de 2016 
  4. [3]
  5. «Cópia arquivada». Consultado em 24 de agosto de 2008. Arquivado do original em 20 de setembro de 2010