Abrir menu principal

José Victor Castiel

(Redirecionado de José Vitor Castiel)
José Victor Castiel
José Victor Castiel em entrevista à RBS TV em fevereiro de 2011
Nascimento 16 de outubro de 1958 (61 anos)
Porto Alegre, RS
Nacionalidade  Brasil

José Victor Castiel (Porto Alegre, 16 de outubro de 1958), também conhecido como Zé Victor Castiel, é um ator e colunista brasileiro.

BiografiaEditar

José Victor começou a fazer teatro amador ainda no ensino médio, no Colégio Farroupilha. Formou-se em Direito na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul e montou um escritório de advocacia especializado em direito autoral. Durante oito anos conciliou os trabalhos no escritório e no palco até que, no início dos anos 1990, optou pela carreira de ator[1].

Seu primeiro espetáculo profissional em teatro foi A verdadeira história de Édipo Rei (1985), recriação cômica de Toninho Neto a partir do texto de Sófocles, com direção de Oscar Simch, que ficou quase quatro anos em cartaz em Porto Alegre e interior do Rio Grande do Sul, atingindo um público total estimado em mais de 100 mil pessoas [2].

O seu talento individual para o humor foi reconhecido pelo público gaúcho com o monólogo Conversa ao pé do palco, que estreou em 1988. No mesmo período, começou a ser convidado a participar de vários filmes de curta metragem produzidos no Rio Grande do Sul. E desde cedo trabalhou como ator e locutor de publicidade. Até hoje, já fez por volta de 350 comerciais de televisão e mais de 6 mil spots para rádio[3].

Nos anos 1990 trabalhou em dois espetáculos com o grupo do autor e diretor Júlio Conte. Com a peça O marido do Doutor Pompeu baseada em textos de Luis Fernando Verissimo, conquistou o Prêmio Açorianos de melhor ator gaúcho em 1998[4]. Entre 1995 e 1997, dirigiu para a Rádio Atlântida o Programa X, que chegou a ser o programa de humor de maior audiência no rádio do sul do País.

Depois de vários filmes e programas na RBS TV, a sua carreira deu um salto em 2000 ao ser convidado a interpretar o personagem pateticamente impotente sexualmente Viriato na telenovela da Rede Globo Laços de Família. Viriato, homem forte que trabalha como segurança e é apaixonado pela esposa Yvete (Soraya Ravenle), caiu no gosto do público e tornou José Victor um ator nacionalmente famoso[5]. A partir daí, José Victor passou a integrar o elenco da Rede Globo participando de várias telenovelas e minisséries, mas continuou vivendo e fazendo teatro em Porto Alegre.

Em 2001 escreveu e publicou pela editora L&PM o livro A morte do Clóvis, com crônicas, memórias e "historinhas do teatro gaúcho". De 2005 a 2007 foi responsável pela direção artística do Teatro do IPE, evitando o fechamento de uma casa de espetáculos tradicional de Porto Alegre[6].

Foi um dos principais idealizadores, e ainda produz anualmente o Porto Verão Alegre, evento coletivo de artes cênicas que, desde 1999, apresenta espetáculos de teatro e dança gaúchos a preços reduzidos nos meses de janeiro e fevereiro, período tradicionalmente pobre em atrações culturais na cidade[7].

Em 2004, com os colegas Rogério Beretta e Oscar Simch, com texto de Artur José Pinto e direção de Néstor Monastério, criou o espetáculo de humor Homens de perto, que já teve mais de 400 apresentações e um público estimado de cerca de 200 mil espectadores [8].

Em 2009, com o mesmo núcleo e um elenco maior, participou da peça Vermelhos, história e paixão, comemorativa ao centenário do Sport Club Internacional [9].

A partir de 2014, com a saída de Kenny Braga do Diário Gaúcho, passa a ser colunista (setorista) do Sport Club Internacional no DG, assinando diariamente a coluna Paixão Colorada, na qual faz comentários diversos sobre o futebol do clube alvirrubro.

CarreiraEditar

No teatroEditar

  • 2010: Homens de perto 2 (de Artur José Pinto)
  • 2009: Vermelhos, história e paixão (de Artur José Pinto)
  • 2004: Homens de perto (de Artur José Pinto)
  • 1998: O marido do Doutor Pompeu .... Dr. Pompeu
  • 1994: A coisa certa (de Júlio Conte) .... Antero de Quental
  • 1993: Um negócio chamado família (de Júlio Conte) .... Abel Schneider
  • 1988: Conversa ao pé do palco (monólogo humorístico)
  • 1985: A verdadeira história de Édipo Rei (de Toninho Neto)

Na televisãoEditar

No cinemaEditar

Referências

  1. Principais dados biográficos retirados de: SILVA NETO, Antônio Leão da: "Dicionário de astros e estrelas do cinema brasileiro", ed. Imprensa Oficial, São Paulo, 2010, p. 105.
  2. «"A verdadeira história de Édipo Rei", verbete da Enciclopédia de Teatro Itaú». Consultado em 7 de outubro de 2012 
  3. «Entrevista para a Argumento.net em maio de 2001». Consultado em 7 de outubro de 2012 
  4. «Texto de Marcelo Spalding sobre "O marido do Doutor Pompeu no sítio "Artistas gaúchos"». Consultado em 7 de outubro de 2012 
  5. «Matéria na Revista Isto É, em 2000». Consultado em 7 de outubro de 2012 
  6. «Minibiografia de Zé Victor Castiel no sítio da editora L&PM». Consultado em 7 de outubro de 2012 
  7. «Notícia do Correio do Povo sobre o 13º Porto Verão Alegre». Consultado em 7 de outubro de 2012 
  8. «Matéria sobre "Homens de perto" no Correio do Povo em 23/10/2008». Consultado em 7 de outubro de 2012 
  9. «Matéria sobre "Vermelhos" no sítio do Internacional». Consultado em 7 de outubro de 2012 

Ligações externasEditar