Kraśnik é uma cidade da Polónia, na voivodia de Lublin e no condado de Kraśnicki. Estende-se por uma área de 25,29 km², com 35 262 habitantes, segundo os censos de 2011[1], com uma densidade 1420 hab/km².

Kraśnik
Kraśnik
POL Kraśnik COA.svg
Voivodia Lublin
Powiat Kraśnicki
Gmina Kraśnik
Área 25,29 km²
População (2011) 35 262 habitantes
Densidade 1420 hab/km²
Código telefônico (+48) 81
Matrículas de automóveis LKR
Localização
Localização de Kraśnik na Polónia 50° 55' N 22° 13' E
Cidade da Polónia Flag of Poland.svg

LocalizaçãoEditar

Kraśnik divide-se em duas zonas principais localizadas a uns quilómetros uma da outra: O Bairro Industrial e o Bairro Velho, situados nas colinas do vale do rio Wyżnica. Os outros bairros são: Piaski, Budzyń, Koszary e Stacja Kolejowa. A região de Roztocze Oeste começa perto da cidade. Krasnik é o ponto de encontro de duas vias nacionais: 19 (Białystok - Lublin - Kraśnik - Rzeszów) e 74 (Kielce - Kraśnik - Zamość)

SuperfícieEditar

Kraśnik ocupa uma área de 25,28 km², incluindo:

  • Terrenos agrícolas: 45%
  • Florestas: 17%
  • A cidade ocupa 2,51% da superfície do condado.

HistóriaEditar

Kraśnik fica perto da antiga rota que ia desde as Montanhas Świętokrzyskie e Silésia até Volodimir e Kiev. Na segunda metade do século XIV foi propriedade da família Gorajski. Em 1377, o rei Luís I da Hungria confirmou a propriedade e introduziu o direito de Magdeburg. Em 1403, existia lá uma igreja paroquial de São Paulo. Antes de 1410, sendo dote da Anna de Goraj, a cidade passou para a família Tęczyński, que contribuíram para o seu crescimento. Desde 1558 a cidade pertenceu aos príncipes Olelkowicz-Słucki e, depois, Radziwiłł. Em 1604, o hetman Jan Zamoyski comprou a cidade e passou a fazer parte de Ordynacja Zamojska (uma propriedade rural dele) até 1866. A cidade foi destruída muitas vezes por fogos dos quais o maior foi causado pelos suecos em 1657. Em 1813, os incêndios consumiram 75% dos edifícios. Desde o século XIV a cidade foi rodeada de um baluarte. No lugar deste, por volta de 1465, Jan Teczynski mandou elevar uma parede de tijolos e pedra com duas portas: para Lublin e para Sandomierz. Foram desmontadas na segunda metade do século XIX. Outras fortificações foram a igreja (rodeada de um muro alto) e um castelo do século XIV no monte perto da cidade. Tinha quatro lados e foi construído de pedra e madeira. Na praça central do castelo havia uma capela de Nossa Senhora de Loreto. Já em 1646 o castelo estava em má condição e em 1657, os suecos destruíram-no completamente. O que ficou dele foi desmontado na primeira metade do século XVIII. Em 1878, Krasnik perdeu os privilégios de cidade por ter participado na Revolta de Janeiro. Em 1914 e 1915, perto da cidade, houve batalhas entre austríacos e russos (a chamada Batalha de Kraśnik). Para melhorar o abastecimento da frente, os russos construíram uma linha de caminho de ferro entre Lublin e Rozwadów que foi inaugurada no dia 31 de dezembro de 1914. Depois de recuperação da independência da Polónia, Krasnik voltou a ter privilégios de cidade. Nos anos 1937–38 na floresta de Budzyn, ao norte da cidade, construiu-se uma fábrica de armas. Ia produzir munições de artilharia, mas nunca começou a funcionar plenamente. Quando a fábrica foi ocupada pelos alemães, produzia peças de avião Heinkel. Em 1975, as duas cidades: Kraśnik Lubelski e Kraśnik Fabryczny assim como as aldeias próximas, foram convertidas numa só cidade: Kraśnik.

MonumentosEditar

O complexo da igreja paroquial da Assunção de Maria e do mosteiro dos Cónegos Regulares Lateranenses composto pelos seguintes edifícios:

  • A igreja paroquial da Assunção de Maria
  • O mosteiro barroco com elementos góticos e renascentistas
  • O campanário construído antes de 1682 com sinos de 1758 e 1845
  • A capela classicista de São Jacinto construída no fim do século XVIII
  • O muro em torno do mosteiro (primeira metade do século XVII)
  • Igreja barroca do Espírito Santo dos anos 1758–1761 e o edifício de madeira do antigo hospital
  • A Sinagoga Maior e a Sinagoga Menor de 1654 e do século XIX, com fragmentos de policromias preservados
  • O cemitério judeu novo (havia também dois mais antigos)
  • As ruínas do castelo (século XIV/XV)
  • Elementos do baluarte original (rua Podwalna)
  • Cemitério Municipal (ruas Kościuszki e Cmentarna) com lápides do século XIX

Educação e recreaçãoEditar

Na cidade há várias escolas de todos os graus, primárias e secundárias. Há também sucursais da biblioteca municipal. Existem museus (Museu Regional, Museu do 24 Regimento de Ulanos, Museu dos Bombeiros), e um centro cultural Centrum Kultury i Promocji que organiza vários acontecimentos culturais durante o ano todo. Krasnik goza também da existência de um cinema, uma piscina, campos de futebol, basquetebol etc.

Indústria e economiaEditar

Kraśnik é uma cidade cuja economia põe mais ênfase na indústria do que nos serviços, devido à existência da Fábrica de Rolamentos e Tsubaki-Hoover, uma empresa que elabora vários produtos metálicos. Entre todas as pessoas empregadas, 52% trabalha no setor industrial. Existe uma predominância de empresas pequenas; há também uns produtores significativos, especialmente na área da agricultura (cerejas, framboesas, morangos). Historicamente, Kraśnik estava relacionada com a tijolaria; o barro e o loesse que se encontram em muitos lugares desta região da Polónia, permitiam a elaboração de tijolo e a proximidade dos rios (Bug, San, Wisła) fornecia uma maneira fácil de o transportar.

Cidades geminadasEditar

Referências

  1. «Cópia arquivada» (PDF). Consultado em 26 de maio de 2012. Arquivado do original (PDF) em 18 de setembro de 2012 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre Geografia da Polónia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.