Língua kelabit

Kelabit
Falado(a) em: Malásia, Indonésia
Região: Bornéu
Total de falantes: 4.640 (2000–2011)
Família: Austronésia
 Malaio-Pollinésia
  Bornéu Setentrional
   Sarawak Norte
    Apo Duat
     Kelabit
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---
ISO 639-3: kzi

Kelabit é uma das línguas mais remotas das Malaio-Pollinésias de Bornéu, na fronteira de Sarauaque e Calimantã. É falada por uma das menores etnias de Bornéu, o povo kelabit, com cerca de 4.600 falantes.

Kelabit dentre outras línguas de (laranja, norte)

EscritaEditar

Vogais simples e duplas – sem F, Q, V, X, Z; com Bp, Dt, Gk, Ng.

FonologiaEditar

As vogais do kelabit são /ə, a, e, i, o, u/. Todas as consoantes, exceto as plosivas sonoras aspiradas, são alongadas após um /ə/ tônico. A tonicidade geralmente ocorre na penúltima sílaba.

Kelabit é notório por ter "uma série tipologicamente rara de verdadeiras oclusivas aspiradas sonoras" (isto é, não sussurradas; para alguns falantes, elas são consoantes pré-aspiradas com voz modal e tênue, mas sem uma série acompanhante de aspiradas surdas, É o único idioma conhecido que tem consoantes aspiradas ou sussurradas sem também ter consoantes aspiradas surdas, uma situação que foi reconstruída para a língua protoindo-européia.[1][nota 1]

Consoantes do kelabit[2]
Bilabial Dental Alveolar Pós -alveolar
/Palatal
Velar Glttal
Nasal m n ŋ
Oclusiva Tenuis p k ʔ
Sonora modal b () ɡ
aspirada sonora/pré-sonora b͡pʰ ~ b͡p d͇͡t͇ʃʰ ~ d͇͡t͇ ɡ͡kʰ ~ ɡ͡k
Fricativa s h
Soante l, ɾ͇ j w

No final de uma palavra, /t/ é pronunciado [θ]. Para alguns falantes, /d͇͡t͇ʰ/ é africado; na vizinha língua lun dayeh, o equivalente a consoante é uma africada não aspirada [d͡tʃ]. /dʒ/ é raro e não é atestado em nenhum dialeto.

A consoante vibrante não é alveolar. Não está claro se /n/ e as outras soantes coronais são alveolares como /d/ ou dentais como /t/.

A série de consoantes sonoras aspiradas ocorre apenas intervocalicamente e pode ter surgido de consoantes geminadas. Eles são pelo menos impressionisticamente duas vezes mais longas que outras oclusivas. Elas variam com /b d͇ ɡ/ sob sufixação, com /b͡pʰ d͇͡t͇ʰ ɡ͡kʰ/ ocorrendo onde outras consoantes seriam geminadas alofonicamente:

  • /təb͡pʰəŋ/ [ˈtəb͡pʰəŋ] 'cair'> /təbəŋ-ən/ [təˈbəŋːən] 'caiu!'
  • /kətəd/ [ˈkətːəd] 'voltar (n)' > /kətəd͇͡t͇ʰ-ən/ [kəˈtəd͇͡t͇ʰən] 'para não ser pronunciada'

Existem vários argumentos que sugerem que as consoantes sonoras aspiradas são segmentos em vez de encontros consonantais:

  • Não há (outros) grupos de de consoantes permitidos no idioma. Algumas línguas permitem apenas consoantes geminadas em encontros, mas não há (outros) geminados fonêmicos no kelabit. Em algumas línguas relacionadas, como o ida'an, os reflexos desses sons claramente se comportam como clusters.
  • A quebra de sílaba ocorre antes das consoantes (ou seja, [a.bpa], e não no meio ([ab.pa]), este também é o comportamento dos encontros consonantais (incluindo geminados) em línguas relacionadas que os permitem. /i, u/ se tornam [ɪ, ʊ] antes de qualquer consoante final não glotal. Eles não se tornam [ɪ, ʊ] antes de consoantes sonoras aspiradas, novamente sugerindo que não são encontros consonantais.

Notas

Referências

  1. Blust, Robert A. (1974). «A Double Counter‐Universal in Kelabit». Paper in Linguistics. 7 (3-4): 309–324. doi:10.1080/08351817409370376 
  2. Blust, Robert A. (2006). «The Origin of the Kelabit Voiced Aspirates: A Historical Hypothesis Revisited». Oceanic Linguistics. 45 (2): 311–338. JSTOR 4499967. doi:10.1353/ol.2007.0001 

BibliografiaEditar

  • Asmah Haji Omar (1983). The Malay Peoples of Malaysia and Their Languages. Kuala Lumpur: Art Printing Works.
  • Blust, Robert (1974). The Proto-North Sarawak vowel deletion hypothesis. PhD Dissertation, University of Hawai‘i at Manoa.
  • Blust, Robert (1993). ‘Kelabit-English vocabulary’. Sarawak Museum Journal 44 (65): 141‑226.
  • Blust, Robert (2006). ‘The Origin of the Kelabit Voiced Aspirates: A Historical Hypothesis Revisited’. Oceanic Linguistics 45 (2): 311-338.
  • Blust, Robert (2016). Kelabit-Lun Dayeh Phonology, with Special Reference to the Voiced Aspirates. Oceanic Linguistics 55 (1): 246-277.
  • Bolang, Alexander & Tom Harrisson (1949). ‘Murut and related vocabularies with special reference to North Borneo terminology’. Sarawak Museum Journal 5: 116-124
  • Douglas, R. S. (1911). ‘A comparative vocabulary of the Kayan, Kenyan and Kelabit dialects’. Sarawak Museum Journal 1 (1): 75-119.
  • Galih, Balang (1965). Kapah Ayo’ Tana’ Inih Pangah Penudut Guma Nepeled. How the World was Made by Guma Nepeled: A Kelabit-Murut Story. The Sarawak Gazette, May 31, 152.
  • Hemmings, Charlotte (2015). Kelabit Voice: Philippine-Type, Indonesian-Type or Something a Bit Different? Transactions of the Philological Society 113(3): 383-405.
  • Hemmings, Charlotte (2016). The Kelabit Language, Austronesian Voice and Syntactic Typology. PhD Dissertation, Department of Linguistics, SOAS, University of London. [1]
  • Martin, Peter W (1996). A Comparative Ethnolinguistic Survey of the Murut (Lun Bawang) with Special Reference to Brunei. In Peter W. Martin, Conrad Oz̊óg & Gloria Poedjosoedarmo (eds.), Language Use and Language Change in Brunei Darussalam, 268-279. Athens, OH: Ohio University Press.
  • Martin, Peter W. & Eileen Yen (1994). Language use among the Kelabit living in urban centres. In Peter W. Martin (ed.), Shifting Patterns of Language Use in Borneo, 147 163. Williamsburg VA: Borneo Research Council.

Ligações externasEditar