Learjet 31

Learjet 31
Avião
Learjet 31A
Descrição
Tipo / Missão Jato executivo
País de origem  Estados Unidos
Fabricante Learjet
Período de produção 1987 - 2003
Quantidade produzida 246 [1]
Primeiro voo em 11 de maio de 1987 (33 anos)
Introduzido em outubro de 1990
Tripulação 2
Passageiros 8
Especificações
Dimensões
Comprimento 14,83 m (48,7 ft)
Envergadura 13,36 m (43,8 ft)
Altura 3,73 m (12,2 ft)
Área das asas 24,57  (264 ft²)
Alongamento 7.3
Peso(s)
Peso vazio 4 471 kg (9 860 lb)
Peso carregado 7 031 kg (15 500 lb)
Propulsão
Motor(es) 2x Garrett TFE731-2
Força de empuxo (por motor) 15,6 kgf (153 N)
Performance
Velocidade de cruzeiro 829 km/h (447 kn)
Velocidade máx. em Mach 0.81 Ma
Alcance (MTOW) 3 021 km (1 880 mi)
Teto máximo 16 000 m (52 500 ft)
Razão de subida 27.8 m/s
Notas
Fonte: Jane's All The World's Aircraft 1988–89[2]

O Learjet 31 é um avião a jato executivo bimotor produzido nos Estados Unidos pela Learjet, uma subsidiária da Bombardier Aerospace, como sucessor ao Learjet 29, possuindo uma capacidade para 8 passageiros e dois tripulantes.

HistóriaEditar

 
Winglet na ponta da asa "Longhorn"

O primeiro voo do LJ31 ocorreu no dia 11 de maio de 1987. A variante Learjet 31A foi introduzida em outubro de 1990. Esta versão possuía uma velocidade maior em cruzeiro, um sistema de aviônicos digitais com EFIS fornecido pela AlliedSignal (atualmente Honeywell) e uma mudança no layout do painel de instrumentos. A roda do trem de pouso de nariz é controlada por um sistema de cabos. O pára brisa podia ser aquecido eletricamente.

O primeiro 31A com número de série 31A-035 entrou em serviço no dia 15 de agosto de 1991. o 200º 31A foi entregue em outubro de 2000.[1] O último 31A entregue, com número de série 31A-242 entrou em serviço em 1 de outubro de 2003.

Em 2018, os Learjet 31A produzidos no final da década de 1990 e início de 2000 tinham os preços a partir de US$600.000.[3]

O Learjet 31ER com um alcance maior também foi produzido.

VariantesEditar

Learjet 31Editar

O Learjet 31 é, sem dúvida, a realização final da série original da Learjet que remonta ao Learjet 23 do ano de 1963. Combinando essencialmente a fuselagem e os motores do Learjet 35/36 com a asa "Longhorn" dos modelos 28, 29 e 55, resultou em um desempenho que é equiparado por poucas aeronaves. As altitudes normais em cruzeiro variam entre 41.000 a 47.000 pés (12.500 a 14.900 m) e a altitude máxima de cruzeiro da aeronave de 51.000 pés (15.500 m) é uma distinção compartilhada por apenas poucas aeronaves civis. As melhorias sobre os modelos anteriores, tais como as "Delta-Fins" e um "Ski-Locker" aumentaram a utilidade e melhoraram o desempenho do modelo 31. A adição dos "Delta-Fins" sob a empenagem simplificaram o processo de certificação da aeronave ao eliminar a necessidade de um dispositivo que evite o estol, conhecido como "stick pusher". A estabilidade direcional melhorada, resultado dos "Delta-Fins", também foi benéfica. Entretanto, uma pequena cabine com pouco espaço para bagagem e o fato de não possuir uma galley, além do relativamente curto alcance pelo fato de os tanques de ponta de asa que equipavam o Learjet 35/36 terem sido eliminados em favor do aerofólio "Longhorn" equipado com winglets, fez que apenas 38 Learjet 31 fossem construídos.[4]

Learjet 31AEditar

 
Um Learjet 31A do Governo de Balochistan, Paquistão

O Learjet 31A foi anunciado em 1990 como um substituto. Este modelo trouxe uma série de modificações, entretanto as mais notáveis foram na cabine de pilotagem. Modificações chave e atualizações à cabine e aviônicos em relação ao 31 incluem: um EFIS Bendix King 50 (agora Honeywell após a junção com a Allied Signal), com um sistema de gerenciamento de voo Universal 1M, 1B e 1C, um piloto automático duplo de dois eixos KFC 3100 e diretor de voo com yaw damper, além de dois rádios de comunicação Bendix King VCS-40A (vendidos à Chelton Avionics quando a Allied Signal se fundiu com a Honeywell) e receptores de navegação VN-411B Series III.

No ano de 2000 o Learjet 31A foi novamente revisado. Os pesos máximos de decolagem e pouso foram aumentados.[5] O controle digital eletrônico de motor (DEEC) original baseado em N2 foi substituído por um DEEC baseado em N1,[5][6] e os reversores de empuxo se tornaram equipamento padrão. Outra melhoria notável foi do motor Honeywell TFE731-2 para o -2C.[4] O sistema de ar condicionado original de freon R12 foi substituído por um sistema R134A dividido em duas zonas - cabine de pilotagem e cabine de passageiros.[6]

Learjet 31A/EREditar

A versão com alcance estendido do Learjet 31A possuía um alcance de 1.911 nm (2.199 miles ou 3539 km). As numerosas melhorias levaram a haver mais de 200 Learjet 31 em serviço com operadores privados e governos mundo afora.[4]

OperadoresEditar

  Paquistão
  • Governo de Balochistan, Paquistão
  Estados Unidos
  Indonésia
  • Ministério de Transportes [7]
  Canadá
  • Vinci Aviation[8]
  Estónia

ReferênciasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Learjet 31
Notas
  1. a b «Airliners.net» (em inglês) 
  2. Taylor 1988, pp. 407–409.
  3. Mark Huber (Dezembro de 2018). «For many models, market hitting the apex» (pdf). Aviation International News (em inglês). pp. 20–21, 24 
  4. a b c «Quick Look: Learjet 31/31A» (em inglês). 7 de maio de 2014 
  5. a b Learjet 31A Type Certificate Data Sheet
  6. a b Learjet 31A Pilot's Manual
  7. «Armada» (em inglês). Arquivado do original em 4 de março de 2016 
  8. «Vinci Aviation - Vol nolisé charter au Canada - Agence aérienne en jet privé» (em inglês) 
  9. «Home - Panaviatic» (em inglês) 
Bibliografia
  • Taylor, John W. R. (1988). Jane's All The World's Aircraft 1988–89. Coulsdon, Reino Unido: Jane's Defence Data. ISBN 0-7106-0867-5 .