Liga Mundial de Voleibol de 2002

Liga Mundial de 2002
Voleibol Volleyball (indoor) pictogram.svg
Informações gerais
País-sede Fase final: Belo Horizonte e Recife, Brasil
Organizador Federação Internacional de Voleibol (FIVB)
Período de 27 de junho a 18 de agosto
Participantes 16
Premiações
Campeão Rússia (1.º título)
Vice-campeão Brasil
MVP Iugoslávia Ivan Miljković
◄◄ Polónia 2001 Bola de volei de quadra.svg 2003 Espanha ►►

A Liga Mundial de Voleibol de 2002 foi um torneio organizado pela Federação Internacional de Voleibol (FIVB). Foi a décima terceira edição da Liga Mundial de Voleibol, uma competição realizada desde 1990. Composta por partidas semanais, a competição foi disputada por dezesseis seleções entre 27 de junho e 18 de agosto.

Na primeira fase, denominada "intercontinental", os participantes foram divididos em quatro grupos e disputaram partidas contra os membros do próprio grupo nas condições de mandante e visitante. No término desta, cada seleção atuou doze vezes e as duas melhores de cada grupo se classificaram. Em seguida, as oito seleções qualificadas protagonizaram dois grupos sediados em Belo Horizonte e Recife. Após seis partidas, as duas melhores de cada grupo se classificaram para as semifinais.

Após quase ter sido eliminada, a Rússia obteve um triunfo sobre os anfitriões brasileiros e conquistaram o primeiro título da nação nesta competição. Já o bronze ficou com a Iugoslávia, que venceu os italianos.

AntecedentesEditar

A Liga Mundial de Voleibol nasce de uma ideia concebida em 1987, na qual a Federação Internacional de Voleibol pretendia criar uma competição que propiciaria uma maior visibilidade. Uma das características peculiares desta é a estrutura itinerante da competição, com os participantes viajando constantemente.[1] Nas últimas doze edições, a organização distribuiu 76 milhões de dólares, com a Itália recebendo a maior parte desse montante. Esta lidera a competição, conquistando oito vezes o título em doze oportunidades. Logo em seguida vem o Brasil, detentor de duas conquistas. Por fim, Cuba e Países Baixos completam o quadro dos campeões com um título cada.[2]

Participantes e regulamentoEditar

O regulamento da décima terceira edição permaneceu idêntico ao do ano anterior: as dezesseis nações de elite que participaram foram divididas em quatro grupos. Essa fase inicial denomina-se "intercontinental" e prossegue por seis semanas. Nesse ínterim, cada equipe disputou doze partidas confrontando os adversários do mesmo grupo, classificando as duas melhores de cada ao término da sexta semana. O Brasil, por sua vez, qualificou-se automaticamente para a próxima fase por sediar a competição nos municípios de Belo Horizonte e Recife.[3][4] Os dezesseis participantes foram: Alemanha, Argentina, Brasil, China, Cuba, Espanha, França, Grécia, Itália, Iugoslávia, Japão, Países Baixos, Polônia, Portugal, Rússia e Venezuela.[3]

Fase intercontinentalEditar

Equipes classificadas para a fase final
Equipes eliminadas

A competição iniciou em 27 de junho, prosseguindo na fase intercontinental por seis semanas. O Brasil iniciou o grupo A disputando o derby sul-americano contra a Argentina e triunfou nas duas ocasiões (3–1 e 3–0). O segundo embate terminou com uma vitória de Portugal diante da Polônia (3–2); contudo, os poloneses devolveram o placar no dia seguinte.[5] Os sul-americanos saíram vitoriosos na segunda semana, com o Brasil permanecendo invicto.[6] Porém os poloneses retiraram esse invencibilidade com um triunfo em Goiânia e voltaram a derrotar os brasileiros nas duas partidas em territórios polonês. Já os lusos se recuperaram com duas vitórias sobre os argentinos, mas terminaram perdendo em território adversário.[7][8] Com esses resultados, o Brasil liderava o grupo ao término da quinta semana e era seguido pela Polônia; o posicionamento não sofreu alterações na última semana.[9][10] No grupo B, a Itália predominou do início ao fim e venceu onze das doze partidas disputadas. A seleção europeia somente foi derrotada para a China durante a terceira semana[7]. Com o desempenho positivo, os italianos terminaram na liderança do grupo, ultrapassando a Espanha na quinta semana. Apesar dos reveses, os espanhóis se classificaram em segundo do grupo.[9][10]

A Rússia também dominou a classificatória, qualificando-se na liderança e com uma ampla vantagem sobre os Países Baixos, segundo do grupo.[6] Apesar da derrota diante da Alemanha logo na segunda semana, os russos se recuperaram e triunfaram nas demais partidas.[10] Já o último grupo iniciou com duas vitórias de França e Grécia sobre Iugoslávia e Japão, respectivamente.[5] O ímpeto francês permaneceu, a equipe se classificou com tranquilidade mesmo terminando a classificatória com três derrotas. A segunda vaga ficou com a Iugoslávia, que conquistou dois pontos a mais do que a Grécia.[10]

Grupo AEditar

Classificação
Jogos Resultados Sets Pontos
Pos Equipe Pts T V D 3–0 3–1 3–2 2–3 1–3 0–3 V P R V P R
1   Brasil 21 12 9 3 6 1 2 2 0 1 31 14 2.214 1059 926 1.144
2   Polônia 20 12 8 4 2 3 4 1 0 2 28 21 1.333 1141 1116 1.022
3   Argentina 16 12 4 8 3 0 1 2 3 3 19 26 0.731 1004 1040 0.965
4   Portugal 15 12 3 9 0 1 2 2 2 5 15 32 0.469 976 1098 0.889
Resultados
Data Hora Placar Set 1 Set 2 Set 3 Set 4 Set 5 Total Relatório
28 jun 15:32 Brasil   3–1   Argentina 23–25 25–17 25–23 25–20   98–85 Relatório
29 jun 10:00 Brasil   3–0   Argentina 25–21 25–21 25–19     75–61 Relatório
29 jun 18:00 Portugal   3–2   Polônia 21–25 25–19 28–30 25–21 15–11 114–106 Relatório
30 jun 18:00 Portugal   2–3   Polônia 25–22 25–23 17–25 22–25 15–17 104–112 Relatório
6 jul 18:00 Portugal   0–3   Brasil 16–25 24–26 22–25     62–76 Relatório
6 jul 20:15 Argentina   3–0   Polônia 25–22 36–34 25–19     86–75 Relatório
7 jul 18:10 Argentina   3–0   Polônia 25–23 33–31 25–21     83–75 Relatório
7 jul 18:00 Portugal   0–3   Brasil 17–25 17–25 17–25     51–75 Relatório
12 jul 15:37 Brasil   0–3   Polônia 21–25 22–25 25–27     68–77 Relatório
13 jul 10:03 Brasil   3–2   Polônia 30–28 22–25 21–25 25–10 15–9 113–97 Relatório
13 jul 17:55 Portugal   3–1   Argentina 19–25 25–23 25–22 25–23   94–93 Relatório
14 jul 17:55 Portugal   3–2   Argentina 25–21 14–25 22–25 25–18 15–11 101–100 Relatório
19 jul 15:35 Brasil   3–0   Portugal 25–23 25–15 25–17     75–55 Relatório
19 jul 19:07 Polônia   3–1   Argentina 23–25 25–22 25–20 25–18   98–85 Relatório
20 jul 10:05 Brasil   3–0   Portugal 25–14 25–16 25–17     75–47 Relatório
20 jul 15:07 Polônia   3–0   Argentina 25–13 27–25 25–20     77–58 Relatório
26 jul 19:12 Polônia   3–2   Brasil 25–23 20–25 22–25 25–23 15–13 107–109 Relatório
27 jul 15:10 Polônia   3–2   Brasil 25–22 23–25 27–25 21–25 15–12 111–109 Relatório
27 jul 18:07 Argentina   3–0   Portugal 25–18 25–20 25–18     75–56 Relatório
28 jul 17:12 Argentina   3–2   Portugal 25–19 26–24 21–25 18–25 15–12 105–105 Relatório
2 ago 19:10 Polônia   3–1   Portugal 26–28 25–21 25–20 25–22   101–91 Relatório
2 ago 21:07 Argentina   2–3   Brasil 25–17 19–25 20–25 27–25 13–15 104–107 Relatório
3 ago 15:08 Polônia   3–1   Portugal 35–33 25–15 20–25 25–23   105–96 Relatório
3 ago 16:07 Argentina   0–3   Brasil 27–29 22–25 20–25     69–79 Relatório

Grupo BEditar

Classificação
Jogos Resultados Sets Pontos
Pos Equipe Pts T V D 3–0 3–1 3–2 2–3 1–3 0–3 V P R V P R
1   Itália 23 12 11 1 5 5 1 0 0 1 33 10 3.300 1044 908 1.150
2   Espanha 20 12 8 4 4 2 2 0 2 2 26 18 1.444 1002 1008 0.994
3   China 16 12 4 8 2 1 1 3 3 2 21 27 0.778 1069 1088 0.983
4   Venezuela 13 12 1 12 0 1 0 1 4 6 9 34 0.265 936 1047 0.894
Resultados
Data Hora Placar Set 1 Set 2 Set 3 Set 4 Set 5 Total Relatório
28 jun 19:30 China   2–3   Itália 27–25 23–25 25–18 11–25 8–15 94–108 Relatório
28 jun 20:00 Espanha   3–0   Venezuela 25–21 25–23 25–21     75–65 Relatório
30 jun 12:10 Espanha   3–0   Venezuela 25–23 25–19 31–29     81–71 Relatório
30 jun 16:00 China   0–3   Itália 20–25 18–25 23–25     61–75 Relatório
5 jul 20:05 Itália   3–1   Venezuela 25–21 25–18 22–25 25–21   97–85 Relatório
6 jul 12:30 Espanha   3–0   China 25–22 25–23 25–17     75–62 Relatório
7 jul 13:00 Espanha   3–1   China 19–25 25–19 25–22 25–23   94–89 Relatório
7 jul 20:30 Itália   3–0   Venezuela 25–19 25–21 25–18     75–58 Relatório
12 jul 19:04 Itália   3–1   China 20–25 25–23 25–21 25–21   95–90 Relatório
12 jul 19:30 Venezuela   0–3   Espanha 18–25 23–25 16–25     57–75 Relatório
14 jul 19:30 Venezuela   1–3   Espanha 24–26 19–25 25–23 22–25   90–99 Relatório
14 jul 20:30 Itália   0–3   China 23–25 23–25 25–27     71–77 Relatório
19 jul 19:30 Venezuela   1–3   Itália 19–25 25–18 25–27 20–25   89–95 Relatório
20 jul 19:30 China   2–3   Espanha 27–29 25–17 25–18 23–25 16–18 116–107 Relatório
21 jul 19:30 China   2–3   Espanha 25–23 25–19 21–25 25–27 17–19 113–113 Relatório
21 jul 19:30 Venezuela   0–3   Itália 31–33 18–25 22–25     71–83 Relatório
27 jul 12:00 Espanha   0–3   Itália 19–25 18–25 15–25     52–75 Relatório
27 jul 19:30 China   3–0   Venezuela 25–19 25–21 25–18     75–58 Relatório
28 jul 12:00 Espanha   1–3   Itália 21–25 23–25 25–22 21–25   90–97 Relatório
28 jul 19:30 China   3–1   Venezuela 22–25 25–22 25–21 25–18   97–86 Relatório
2 ago 19:30 Venezuela   2–3   China 27–29 25–19 25–20 16–25 12–15 105–108 Relatório
2 ago 20:30 Itália   3–1   Espanha 25–14 22–25 25–18 25–23   97–80 Relatório
4 ago 19:50 Venezuela   3–1   China 25–20 25–18 26–28 25–21   101–87 Relatório
4 ago 20:32 Itália   3–0   Espanha 26–24 25–18 25–19     16–61 Relatório

Grupo CEditar

Classificação
Jogos Resultados Sets Pontos
Pos Equipe Pts T V D 3–0 3–1 3–2 2–3 1–3 0–3 V P R V P R
1   Rússia 23 12 11 1 5 3 3 0 1 0 34 12 2.833 1102 967 1.140
2   Países Baixos 19 12 7 5 1 4 2 0 2 3 23 23 1.000 1021 1056 0.967
3   Alemanha 16 12 4 8 0 2 2 3 3 2 21 30 0.700 1145 1164 0.984
4   Cuba 14 12 2 10 1 1 0 4 4 2 18 31 0.581 1045 1126 0.928
Resultados
Data Hora Placar Set 1 Set 2 Set 3 Set 4 Set 5 Total Relatório
27 jun 19:30 Alemanha   3–1   Países Baixos 25–17 22–25 25–20 25–14   97–76 Relatório
28 jun 18:00 Rússia   3–0   Cuba 25–21 25–22 25–18     75–61 Relatório
28 jun 19:30 Alemanha   0–3   Países Baixos 22–25 19–25 27–29     68–79 Relatório
29 jun 18:00 Rússia   3–2   Cuba 19–25 25–14 20–25 25–22 15–10 104–96 Relatório
5 jul 18:00 Rússia   3–2   Alemanha 25–27 25–22 25–21 30–32 17–15 122–117 Relatório
5 jul 20:02 Países Baixos   3–1   Cuba 25–15 24–26 25–17 25–18   99–76 Relatório
6 jul 16:00 Rússia   1–3   Alemanha 18–25 25–17 23–25 17–25   83–92 Relatório
6 jul 20:01 Países Baixos   3–1   Cuba 25–17 23–25 25–20 29–27   102–89 Relatório
12 jul 20:00 Países Baixos   1–3   Rússia 12–25 25–23 20–25 17–25   74–98 Relatório
12 jul 20:40 Cuba   3–1   Alemanha 17–25 25–21 28–26 25–21   95–93 Relatório
13 jul 20:00 Países Baixos   0–3   Rússia 19–25 27–29 18–25     64–79 Relatório
13 jul 20:40 Cuba   3–0   Alemanha 25–22 25–23 26–24     76–69 Relatório
19 jul 20:03 Países Baixos   3–2   Alemanha 27–25 25–19 22–25 23–25 15–12 112–106 Relatório
19 jul 20:40 Cuba   1–3   Rússia 25–21 20–25 19–25 18–25   82–96 Relatório
20 jul 20:00 Países Baixos   3–1   Alemanha 19–25 25–21 25–23 25–21   94–90 Relatório
20 jul 20:40 Cuba   0–3   Rússia 19–25 22–25 19–25     60–75 Relatório
26 jul 20:40 Cuba   1–3   Países Baixos 22–25 20–25 26–24 23–25   91–99 Relatório
27 jul 14:00 Alemanha   1–3   Rússia 13–25 26–28 25–18 33–35   97–106 Relatório
27 jul 20:40 Cuba   2–3   Países Baixos 20–25 25–17 21–25 25–22 11–15 102–104 Relatório
28 jul 11:00 Alemanha   2–3   Rússia 18–25 26–24 22–25 25–13 15–17 106–104 Relatório
2 ago 18:00 Rússia   3–0   Países Baixos 25–19 25–15 35–33     85–67 Relatório
3 ago 15:00 Alemanha   3–2   Cuba 25–20 24–26 25–23 19–25 20–18 113–112 Relatório
3 ago 18:00 Rússia   3–0   Países Baixos 25–14 25–20 25–17     75–51 Relatório
4 ago 11:00 Alemanha   3–2   Cuba 25–23 17–25 15–25 25–19 15–13 97–105 Relatório

Grupo DEditar

Classificação
Jogos Resultados Sets Pontos
Pos Equipe Pts T V D 3–0 3–1 3–2 2–3 1–3 0–3 V P R V P R
1   França 21 12 9 3 3 3 3 0 2 1 29 18 1.611 1094 1028 1.064
2   Iugoslávia 20 12 8 4 5 1 2 2 1 1 29 17 1.706 1056 985 1.072
3   Grécia 18 12 6 6 2 3 1 2 1 3 23 23 1.000 1045 1025 1.020
4   Japão 13 12 1 11 0 1 0 2 4 5 11 34 0.324 946 1103 0.858
Resultados
Data Hora Placar Set 1 Set 2 Set 3 Set 4 Set 5 Total Relatório
28 jun 18:00 França   3–0   Iugoslávia 25–21 25–22 25–18     75–61 Relatório
28 jun 22:02 Grécia   3–0   Japão 25–17 25–19 25–23     75–59 Relatório
29 jun 18:00 França   3–1   Iugoslávia 19–25 25–20 25–22 25–18   94–85 Relatório
30 jun 22:04 Grécia   3–1   Japão 20–25 25–22 25–22 26–24   96–93 Relatório
5 jul 20:15 Iugoslávia   3–0   Grécia 25–19 25–22 25–19     75–60 Relatório
6 jul 15:05 Japão   0–3   França 35–37 20–25 18–25     73–87 Relatório
7 jul 14:05 Japão   1–3   França 16–25 22–25 25–23 21–25   84–98 Relatório
7 jul 20:15 Iugoslávia   2–3   Grécia 19–25 25–23 24–26 25–20 14–16 107–110 Relatório
12 jul 21:00 Grécia   2–3   França 27–29 25–22 20–25 25–21 13–15 110–112 Relatório
13 jul 20:15 Iugoslávia   3–0   Japão 25–13 25–17 25–20     75–50 Relatório
14 jul 20:15 Iugoslávia   3–0   Japão 25–20 25–15 25–20     75–55 Relatório
14 jul 21:00 Grécia   3–0   França 25–12 25–21 25–23     75–56 Relatório
19 jul 20:00 França   3–2   Japão 22–25 25–21 26–28 25–14 15–7 113–95 Relatório
20 jul 20:01 França   3–1   Japão 25–14 27–29 25–18 25–23   102–84 Relatório
21 jul 21:00 Grécia   0–3   Iugoslávia 17–25 22–25 27–29     66–79 Relatório
22 jul 21:00 Grécia   2–3   Iugoslávia 25–19 23–25 19–25 25–18 14–16 106–103 Relatório
26 jul 20:04 França   1–3   Grécia 20–25 17–25 25–17 24–26   86–93 Relatório
27 jul 15:05 Japão   2–3   Iugoslávia 25–23 21–25 23–25 27–25 10–15 106–113 Relatório
27 jul 20:00 França   3–0   Grécia 25–21 25–21 25–23     75–65 Relatório
28 jul 14:05 Japão   0–3   Iugoslávia 17–25 22–25 28–30     67–80 Relatório
2 ago 20:15 Iugoslávia   2–3   França 25–20 23–25 21–25 25–19 11–15 105–104 Relatório
3 ago 15:06 Japão   1–3   Grécia 22–25 25–23 23–25 16–25   86–98 Relatório
4 ago 14:05 Japão   3–1   Grécia 19–25 25–21 25–23 25–22   94–91 Relatório
4 ago 20:15 Iugoslávia   3–1   França 19–25 29–27 25–22 25–18   98–92 Relatório

Fase finalEditar

Equipes classificadas para as semifinais
Equipes eliminadas

As oito equipes qualificadas foram divididas em dois grupos. Os jogos do primeiro foram disputados no ginásio Geraldo Magalhães, em Recife. O líder do grupo foi o Brasil, que venceu os seus três adversários.[11] As demais posições foram marcadas por um empate triplo entre Espanha, Países Baixos e Rússia. Os posicionamentos terminaram sendo decididos pelo coeficiente de sets vencidos por cada nação, o set average, um critério de desempate que beneficiou os russos.[12] No grupo de Belo Horizonte, Itália e Iugoslávia garantiram a classificação na segunda rodada.[13][14] Os italianos venceram o embate pela liderança,[15] enquanto Polônia e França, eliminadas, completaram o grupo.[16] Dois dias depois do término da classificatória, as semifinais foram realizadas; Brasil e Iugoslávia iniciaram o embate. No início da partida, os brasileiros apresentaram uma deficiência no serviço e enfrentaram uma diferença de 23 a 20. Apesar dos anfitriões conseguirem o empate, os iugoslavos saíram vitoriosos no set. O jogo prosseguiu com uma ampla vantagem brasileira, a Iugoslávia sofria com os erros forçados e os eficientes contra ataques do adversário – porém, conseguiu vencer o quatro set e empatar a partida. O tie breaker foi marcado por momentos, os brasileiros abriram vantagens na pontuação por duas ocasiões, mas cederam a igualdade. O equilíbrio permaneceu até o décima sexto ponto, quando os anfitriões pontuaram duas vezes na sequência e encerraram a partida.[17][18] Poucos minutos depois, a seleção italiana defendeu a hegemonia diante dos russos; contudo, a maior campeã da competição foi superada com tranquilidade.[19][18]

No dia 18 de agosto, a Iugoslávia superou uma equilibrada partida contra a Itália. Os países vizinhos protagonizaram um embate intenso; aos 25 minutos, o placar apresentava um empate por 23 pontos. Andrija Gerić, no entanto, pontuou e abriu a vantagem para os iugoslavos, que concretizaram a vitória no set com um bloqueio (28–26). A equipe balcânica conquistou também o segundo set, revertendo quatro pontos de desvantagem; contudo, garantiram a medalha de bronze somente no quarto set.[20] O embate decisivo ocorreu no mesmo dia, os anfitriões brasileiros iniciaram a partida em desvantagem no placar; os russos, com uma ampla colaboração defensiva de Alexei Kuleshov e Roman Iakovlev, neutralizaram os ataques dos adversários. Aos catorze minutos, Andrey Yegorchev pontuou de bloqueio e aumentou o marcador (17–13). Com uma atuação mais eficiente, a vantagem russa permaneceu até o término do set, garantindo o triunfo. O set posterior seguiu mais equilibrado, com as equipes alternando o comando do placar; contudo, Vadim Khamuttskikh proveio bons serviços, contribuindo para uma nova vitória russa, 2–0. Necessitando de um resultado positivo para prorrogar a decisão, os brasileiros reverteram uma desvantagem no terceiro set e diminuíram o placar com dois pontos de saque de Gustavo Endres. No entanto, os russos venceram o quarto set e conquistaram o primeiro título na história da Liga Mundial.[12][21][22]

Grupo EEditar

Classificação
Jogos Resultados Sets Pontos
Pos Equipe Pts T V D 3–0 3–1 3–2 2–3 1–3 0–3 V P R V P R
1   Brasil 6 3 3 0 2 1 0 0 0 0 9 1 9.000 249 214 1.164
2   Rússia 4 3 1 2 1 0 0 1 0 1 5 6 0.833 256 255 1.004
3   Espanha 4 3 1 2 0 0 1 0 2 0 5 8 0.625 285 308 0.925
4   Países Baixos 4 3 1 2 0 1 0 0 0 2 3 7 0.429 225 238 0.945
Resultados
Data Hora Placar Set 1 Set 2 Set 3 Set 4 Set 5 Total Relatório
13 ago 15:33 Brasil   3–1   Espanha 25–17 21–25 25–18 25–21   96–81 Relatório
13 ago 18:00 Rússia   3–0   Países Baixos 25–22 25–22 25–17     75–61 Relatório
14 ago 15:35 Brasil   3–0   Países Baixos 25–23 25–18 25–23     75–64 Relatório
14 ago 18:00 Rússia   2–3   Espanha 21–25 25–23 24–26 25–23 17–19 112–116 Relatório
15 ago 15:32 Brasil   3–0   Rússia 25–23 28–26 25–20     78–69 Relatório
15 ago 18:00 Países Baixos   3–1   Espanha 25–20 25–27 25–23 25–18   100–88 Relatório

Grupo FEditar

Classificação
Jogos Resultados Sets Pontos
Pos Equipe Pts T V D 3–0 3–1 3–2 2–3 1–3 0–3 V P R V P R
1   Itália 6 3 3 0 1 1 1 0 0 0 9 3 3.000 283 238 1.189
2   Iugoslávia 5 3 2 1 2 0 1 0 0 0 8 3 2.667 256 222 1.153
3   Polônia 4 3 1 2 1 0 0 0 1 1 4 6 0.667 207 239 0.866
4   França 3 3 0 3 0 0 0 0 0 3 0 9 0.000 181 228 0.794
Resultados
Data Hora Placar Set 1 Set 2 Set 3 Set 4 Set 5 Total Relatório
13 ago 17:30 Itália   3–0   França 25–14 25–23 25–21     75–58 Relatório
13 ago 20:02 Iugoslávia   3–0   Polônia 25–20 25–22 25–13     75–55 Relatório
14 ago 17:30 Itália   3–1   Polônia 22–25 25–19 25–15 25–15   97–74 Relatório
14 ago 20:00 Iugoslávia   3–0   França 25–19 25–20 25–17     75–56 Relatório
15 ago 17:30 Iugoslávia   2–3   Itália 25–22 23–25 18–25 25–22 15–17 106–111 Relatório
15 ago 20:00 França   0–3   Polônia 26–28 23–25 18–25     67–78 Relatório

SemifinaisEditar

Data Hora Placar Set 1 Set 2 Set 3 Set 4 Set 5 Total Relatório
17 ago 10:10 Brasil   3–2   Iugoslávia 25–27 25–19 25–12 21–25 18–16 114–99 Relatório
17 ago 12:40 Rússia   3–1   Itália 23–25 25–19 25–20 25–22   98–86 Relatório

Disputa pelo bronzeEditar

Data Hora Placar Set 1 Set 2 Set 3 Set 4 Set 5 Total Relatório
18 ago 09:00 Iugoslávia   3–1   Itália 28–26 29–27 23–25 25–21   105–99 Relatório

FinalEditar

Data Hora Placar Set 1 Set 2 Set 3 Set 4 Set 5 Total Relatório
18 ago 11:30 Brasil   1–3   Rússia 21–25 23–25 25–22 17–25   86–97 Relatório

Classificação finalEditar

De acordo com a própria Federação Internacional, a classificação final segue:[4]

Posição Nação
    Rússia
    Brasil
    Iugoslávia
4   Itália
5   Polônia
  Espanha
7   França
  Países Baixos
9   Argentina
  China
  Alemanha
  Grécia
13   Cuba
  Japão
  Portugal
  Venezuela

PremiaçõesEditar

 
O iugoslavo Ivan Miljković, o maior pontuador da competição.

Após o término da competição, o iugoslavo Ivan Miljković totalizou 61 pontos, sendo 56 ataques, três bloqueios e dois serviços. Ele foi condecorado com o prêmio de maior pontuador, equivalente ao Most Valuable Player.[23][24] Este e o líbero brasileiro Sérgio Dutra Santos, com uma razão eficiente de 2.89, foram os dois não russos condecorados.[25] Os demais premiados foram: Pavel Abramov (melhor atacante e receptor),[26][27] Vadim Khamuttskikh (melhor levantador e sacador),[28][29] e Alexei Kuleshov (melhor bloqueador).[30]

Premiação Atleta Ref.
Maior pontuador   Ivan Miljković [24]
Melhor atacante   Pavel Abramov [26]
Melhor bloqueador   Alexei Kuleshov [30]
Melhor sacador   Vadim Khamuttskikh [29]
Melhor líbero   Sérgio Dutra Santos [25]
Melhor levantador   Vadim Khamuttskikh [28]
Melhor receptor   Pavel Abramov [27]

NotaEditar

  • Os horários das partidas correspondem aos horários oficiais de cada país.

Referências

  1. «A história da Liga Mundial» (em inglês). GloboEsporte.com. 15 de julho de 2000. Consultado em 5 de junho de 2020. Cópia arquivada em 5 de junho de 2020 
  2. «The history» (em inglês). Website oficial da Federação Internacional de Voleibol. Consultado em 5 de junho de 2020. Cópia arquivada em 18 de janeiro de 2020 
  3. a b «2002 World League: From strength to strength in its 13th season» (em inglês). Website oficial da Federação Internacional de Voleibol. Consultado em 5 de junho de 2020. Cópia arquivada em 22 de outubro de 2019 
  4. a b «World League 2002 - Standings» (em inglês). Website oficial da Federação Internacional de Voleibol. Consultado em 4 de junho de 2020. Cópia arquivada em 20 de dezembro de 2019 
  5. a b «World League 2002 - Previews & Reviews: Week 1» (em inglês). Website oficial da Federação Internacional de Voleibol. Consultado em 5 de junho de 2020. Cópia arquivada em 4 de agosto de 2002 
  6. a b «World League 2002 - Previews & Reviews: Week 2» (em inglês). Website oficial da Federação Internacional de Voleibol. Consultado em 5 de junho de 2020. Cópia arquivada em 20 de dezembro de 2019 
  7. a b «World League 2002 - Previews & Reviews: Week 2» (em inglês). Website oficial da Federação Internacional de Voleibol. Consultado em 5 de junho de 2020. Cópia arquivada em 20 de dezembro de 2019 
  8. «World League 2002 - Previews & Reviews: Week 4» (em inglês). Website oficial da Federação Internacional de Voleibol. Consultado em 5 de junho de 2020. Cópia arquivada em 20 de dezembro de 2019 
  9. a b «World League 2002 - Previews & Reviews: Week 5» (em inglês). Website oficial da Federação Internacional de Voleibol. Consultado em 5 de junho de 2020. Cópia arquivada em 20 de dezembro de 2019 
  10. a b c d «World League 2002 - Previews & Reviews: Week 6» (em inglês). Website oficial da Federação Internacional de Voleibol. Consultado em 5 de junho de 2020. Cópia arquivada em 20 de dezembro de 2019 
  11. «Brazil delivers a 3-0 lesson to Russia to qualify for semifinals» (em inglês). Website oficial da Federação Internacional de Voleibol. Consultado em 4 de junho de 2020. Cópia arquivada em 3 de novembro de 2019 
  12. a b «Brasil perde da Rússia e deixa escapar tri da Liga Mundial em casa». Folha de S. Paulo. 18 de agosto de 2002. Consultado em 4 de junho de 2020. Cópia arquivada em 4 de junho de 2020 
  13. «Yugoslavia demolishes France in straight sets to score a place in the semifinals.» (em inglês). Website oficial da Federação Internacional de Voleibol. Consultado em 4 de junho de 2020. Cópia arquivada em 3 de novembro de 2019 
  14. «Italy recovers from first set fright to defeat Poland 3-1» (em inglês). Website oficial da Federação Internacional de Voleibol. Consultado em 4 de junho de 2020. Cópia arquivada em 3 de novembro de 2019 
  15. «Italy defeats Yugoslavia in five set thriller» (em inglês). Website oficial da Federação Internacional de Voleibol. Consultado em 4 de junho de 2020. Cópia arquivada em 4 de novembro de 2019 
  16. «Poland goes out honorably with a straights sets win over France» (em inglês). Website oficial da Federação Internacional de Voleibol. Consultado em 4 de junho de 2020. Cópia arquivada em 3 de novembro de 2019 
  17. «Brazil wins five set thriller for first finals berth» (em inglês). Website oficial da Federação Internacional de Voleibol. Consultado em 4 de junho de 2020. Cópia arquivada em 3 de novembro de 2019 
  18. a b Fernão Silveira (17 de agosto de 2002). «Brasil chega à final da Liga Mundial de Vôlei». Diário do Grande ABC. Consultado em 4 de junho de 2020. Cópia arquivada em 5 de junho de 2020 
  19. «Russia cuts down Italy for second finals berth» (em inglês). Website oficial da Federação Internacional de Voleibol. Consultado em 4 de junho de 2020. Cópia arquivada em 3 de novembro de 2019 
  20. «Yugoslavia takes bronze medal with 3-1 against Italy» (em inglês). Website oficial da Federação Internacional de Voleibol. Consultado em 4 de junho de 2020. Cópia arquivada em 3 de novembro de 2019 
  21. «Rússia derrota Brasil e é campeã». O Estado de S. Paulo. 18 de agosto de 2002. Consultado em 4 de junho de 2020. Cópia arquivada em 4 de junho de 2020 
  22. «Powerful Russia takes first ever World League title» (em inglês). Website oficial da Federação Internacional de Voleibol. Consultado em 4 de junho de 2020. Cópia arquivada em 3 de novembro de 2019 
  23. Guilherme Costa (21 de maio de 2018). «Os MVPs de todas as edições da Liga das Nações» (em inglês). Olimpiadatododia.com.br. Consultado em 4 de junho de 2020. Cópia arquivada em 5 de junho de 2020 
  24. a b «World League 2002 / Final Round - Best Scorers» (em inglês). Website oficial da Federação Internacional de Voleibol. Consultado em 4 de junho de 2020. Cópia arquivada em 20 de dezembro de 2019 
  25. a b «World League 2002 / Final Round - Best Diggers» (em inglês). Website oficial da Federação Internacional de Voleibol. Consultado em 4 de junho de 2020. Cópia arquivada em 7 de maio de 2010 
  26. a b «World League 2002 / Final Round - Best Spikers» (em inglês). Website oficial da Federação Internacional de Voleibol. Consultado em 4 de junho de 2020. Cópia arquivada em 19 de maio de 2011 
  27. a b «World League 2002 / Final Round - Best Receivers» (em inglês). Website oficial da Federação Internacional de Voleibol. Consultado em 4 de junho de 2020. Cópia arquivada em 7 de maio de 2010 
  28. a b «World League 2002 / Final Round - Best Setters» (em inglês). Website oficial da Federação Internacional de Voleibol. Consultado em 4 de junho de 2020. Cópia arquivada em 7 de maio de 2010 
  29. a b «World League 2002 / Final Round - Best Servers» (em inglês). Website oficial da Federação Internacional de Voleibol. Consultado em 4 de junho de 2020. Cópia arquivada em 7 de maio de 2010 
  30. a b «World League 2002 / Final Round - Best Blockers» (em inglês). Website oficial da Federação Internacional de Voleibol. Consultado em 4 de junho de 2020. Cópia arquivada em 7 de maio de 2010 

Ligações externasEditar