Luís Vilhena

arquitecto e político português

Luís Miguel Vilhena de Carvalho (Lisboa, 7 de julho de 1963) é um arquiteto e político português. Foi deputado à Assembleia da República pelo Partido Socialista, tendo sido eleito pelo círculo da Madeira.[1]

Luís Vilhena
Deputado à Assembleia da República
Período 23 de outubro de 2015
a 24 de outubro de 2019
Dados pessoais
Nome completo Luís Miguel Vilhena de Carvalho
Nascimento 7 de julho de 1963 (58 anos)
Lisboa
Nacionalidade portuguesa
Alma mater Universidade Técnica de Lisboa
Partido independente
Profissão arquiteto

BiografiaEditar

Percurso profissionalEditar

Terminou a licenciatura em Arquitetura pela Faculdade de Arquitetura da Universidade Técnica de Lisboa em 1987.[1] Em 1989, começou a trabalhar na Madeira e fundou ateliê próprio em 1995. Entre 2003 e 2005, foi presidente da delegação da Madeira da Ordem dos Arquitetos e, entre 2010 e 2013, presidente do Conselho Nacional de Delegados da mesma ordem profissional. Em julho de 2019, anunciou que se iria candidatar a bastonário da Ordem dos Arquitetos no final do ano.[2][3]

Percurso políticoEditar

Foi vereador sem pelouro da Câmara Municipal do Funchal, eleito pelo Partido Socialista, entre 2005 e 2007, tendo perdido o mandato por entrega tardia da declaração de interesses. Foi o segundo candidato da lista do Partido Socialista pelo círculo da Madeira às eleições legislativas de 2015, acabando por ser eleito.[2][3]

Em abril de 2018, foi um dos deputados insulares envolvidos numa polémica sobre alegado uso indevido de subsídios públicos, por utilizarem dois subsídios que visavam os mesmos fins. Estes deputados recebiam, por inerência ao cargo, um subsídio de deslocação à respetiva morada fiscal (calculado em função da distância entre o Parlamento e o local de residência), mas levantavam ainda um subsídio atribuído a todos os ilhéus e que cobre parte do preço das viagens aéreas entre os arquipélagos e Portugal Continental.[4][5]

Referências

  1. a b «Biografia - Luís Vilhena». Assembleia da República. Consultado em 19 de agosto de 2019 
  2. a b Espada, Maria Henrique (7 de julho de 2019). «Vilhena: o deputado que desenha e quer mandar nos arquitetos». Sábado. Consultado em 19 de agosto de 2019 
  3. a b Lança, Filomena (26 de julho de 2019). «Luís Vilhena deixa o Parlamento e avança com candidatura à Ordem dos Arquitetos». Jornal de Negócios. Consultado em 19 de agosto de 2019 
  4. Lacerda, Sofia (13 de abril de 2018). «Expresso revela que deputados da Madeira são reembolsados por viagens que não pagam». JM. Consultado em 1 de setembro de 2019 
  5. Mozos, José Pedro (16 de abril de 2018). «Duplicação de reembolsos. Luís Vilhena (PS) só deixa cargo de deputado se a prática for considerada ilegal». Visão. Consultado em 1 de setembro de 2019