Luís de Almada
Nascimento Lisboa
Cidadania Portugal
Prêmios Comendador da Ordem de Cristo
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados de Luís de Almada, veja Luís de Almada (desambiguação).

Luís de Almada (-Condeixa, 1660[1]), 11.º senhor dos Lagares d´El-Rei, 6.º senhor de Pombalinho e comendador de São Vicente de Vimioso na Ordem de Cristo[2].

Seguindo as pisadas do seu pai, Antão de Almada, foi um dos "40 Conjurados[3] da Restauração da Independência de Portugal contra o governo castelhano, dito espanhol. E ambos os seus nomes constam, com a sua presença, no 1.º "Auto do Levantamento e Juramento d' El-Rei Dom João IV" (de fidelidade) realizado no dia 15 de Dezembro de 1640[4] e assim como no seguinte, solenemente confirmando-o, em 28 de Janeiro de 1641[5].

Foi indigitado a 13 de Março de 1642 para Capitão-mor e Governador de armas de Coimbra[6] e foi Fronteiro-mor da vila de Buarcos e Mestre de campo[2]. Exerceu igualmente o cargo de provedor da Santa Casa da Misericórdia de Santarém entre 1657 e 1659[7].

Dados genealógicosEditar

Luís de Almada (11º senhor dos Lagares d' El-Rei) (6º senhor de Pombalinho (Soure). Morreu em 1660, no seu palácio de Condeixa

Filho de:

Casou com:

Teve 7 filhos, desta 2.ª união:

Referências

  1. a b Historia genealogica da casa real Portugueza, Antonio Caetano de Sousa, vol. 10, 1743, pág. 616
  2. a b Affonso de Ornellas, «Os Almadas na História de Portugal», Lisboa, 1942, p. 22
  3. «Relação de tudo o que passou na felice Aclamação do mui Alto & mui Poderoso Rei Dom João o Quarto, nosso Senhor, cuja Monarquia prospere Deos por largos anos». Texto publicado em 1641, sem indicação do autor, impresso à custa de Lourenço de Anveres e na sua oficina (atribuído ao Padre Nicolau da Maia de Azevedo)
  4. «Auto do Levantamento e Juramento d' El-Rei Dom João IV». Consultado em 15 de julho de 2010. Arquivado do original em 2 de abril de 2015 
  5. Cronicas e Vidas dos Reys de Portugal ... , por Duarte Nunez do Lião, e autos de Levantamento e Juramentos a El-Rey D. João IV, Tomo II, compilação de D. Rodrigo da Cunha, em Lisboa, na oficina de José de Aquino Bolhões, de 1780
  6. Boletim da Biblioteca da Universidade de Coimbra, Volumes 5-7, 1920, pág. 58 e
  7. Provedores da Santa Casa da Misericórdia de Santarém
  8. Historia genealógica da casa real Portugueza, por d. Antonio Caetano de Sousa, Tomo 1. Volume 11, ano de 1745, pág. 691 e 698
  9. Historia genealógica da casa real Portugueza, por d. Antonio Caetano de Sousa, Tomo 1. Volume 11, ano de 1745, pág. 699
  10. Diligência de habilitação para a Ordem de Cristo de D. Antão de Almada, Arquivo Nacional da Torre do Tombo, Código de ref.: PT/TT/MCO/A-C/002-001/0046/00084
  11. José de Almada (dom), 1685-10-01 a 1690-07-14, referência PT/AUC/ELU/UC-AUC/B/001-001/A/001722
  12. http://pt.wiktionary.org/wiki/chantre
  13. http://www.ciberduvidas.com/pergunta.php?id=22172
  14. Corografia portugueza, e descripçam topografica do famoso reyno de Portugal, António Carvalho da Costa, na Off. de Valentim da Costa Deslandes, 1708, pág. 28
  15. Historia genealogica da casa real Portugueza, Antonio Caetano de Sousa, vol. 10, 1743, pág. 618
  16. «Genealogias das Famílias de Portugal», por Afonso Torres e continuada por Luís Vieira da Silva, capitulo dos Almadas, ano de 1694

BibliografiaEditar

ControvérsiaEditar

Segundo alguns, não terá sido conde de Avranches ou Abranches, tal como tinham sido seus antepassados, apesar de representar a varonia do último que há a certeza de ter usado o respectivo título nobiliárquico.

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar