Abrir menu principal
Luísa
Princesa de Saxe-Gota-Altemburgo
Duquesa de Saxe-Coburgo-Gota
Cônjuge Ernesto I de Saxe-Coburgo-Gota
Alexandre de Hanstein, Conde de Pölzig e Beiersdrof
Descendência Ernesto II de Saxe-Coburgo-Gota
Alberto de Saxe-Coburgo-Gota
Casa Saxe-Gota-Altemburgo
Saxe-Coburgo-Gota
Nome completo
Luísa Doroteia Paulina Carlota Frederica Augusta de Saxe-Gota-Altemburgo
Nascimento 21 de dezembro de 1800
  Gota, Ducado de Saxe-Gota-Altemburgo, Sacro Império Romano-Germânico
Morte 30 de agosto de 1831 (30 anos)
  Paris, França
Enterro Cemitério em Glockenberg, Coburgo, Alemanha
Pai Augusto, Duque de Saxe-Gota-Altemburgo
Mãe Luísa Carlota de Mecklemburgo-Schwerin

Luísa de Saxe-Gota-Altemburgo (Luísa Doroteia Paulina Carlota Frederica Augusta; Gota, 21 de dezembro de 1800Paris, 30 de agosto de 1831), princesa de Saxe-Gota-Altemburgo e duquesa de Saxe, foi a primeira esposa de Ernesto I de Saxe-Coburgo-Gota e mãe do príncipe Alberto de Saxe-Coburgo-Gota, marido da rainha Vitória do Reino Unido.

Índice

FamíliaEditar

 
Luísa com os seus filhos.

A princesa Luísa foi a única filha de Augusto, Duque de Saxe-Gota-Altemburgo, e da sua primeira esposa, a princesa Carlota de Mecklenburg-Schwerin, filha de Frederico Francisco I, Grão-Duque de Mecklemburgo-Schwerin e da princesa Luísa de Saxe-Gota-Altemburgo (de quem Luísa herdou o nome).

CasamentoEditar

A 31 de julho de 1817, em Gota, Luísa, na altura com dezasseis anos de idade, casou-se com o seu parente Ernesto III, Duque de Saxe-Coburgo-Saalfeld, de trinta-e-nove anos, depois de este não ter conseguido casar-se com uma grã-duquesa russa.[1] Luísa era considerada "jovem, inteligente e bonita".[2]

Juntos, tiveram dois filhos: Ernesto, que herdou os títulos e terras do pai, e Alberto, que, mais tarde, se casou com a rainha Vitória do Reino Unido.

O casamento foi infeliz devido às infidelidades de Ernesto e o casal separou-se em 1824. Nessa altura, Luísa teve direito a ficar com uma propriedade em Sankt Wendel, no Principado de Lichtenberg, que era um território independente que estava sob o governo de Saxe-Coburgo-Gota. Por causa da sua decisão de se separar do marido, Luísa foi obrigada a deixar os dois filhos. O biografo Lytton Strachey escreveu em 1921 que "a nova corte ducal não era conhecida pelo seu exemplo moral. O duque era um homem dado a galantarias e corriam rumores de que a duquesa seguia o exemplo do marido. Rebentaram dois escândalos: falou-se de um dos mordomos da corte, um homem charmoso e culto de origem judaica que terá causado a separação e, mais tarde, o divórcio do casal."[3]

Vida após o divórcioEditar

A 31 de março de 1826, o casamento de Luísa e Ernesto foi dissolvido oficialmente. Sete meses depois, a 18 de outubro de 1826, Luísa casou-se em segredo com o seu antigo amante, o barão Alexander von Hanstein (posteriormente conde de Pölzig e Beiersdrof). Durante o seu casamento anterior, Luísa tinha tido uma vida social muito activa e tinha recebido a alcunha de Landesmutter (literalmente, a "mãe da região). No entanto, toda a sua felicidade terminou quando, em fevereiro de 1831, o seu casamento secreto com von Hanstein foi descoberto e ela foi proibida de voltar a ver os filhos.

Luísa morreu de cancro a 30 de agosto de 1831, quando tinha apenas trinta anos de idade. Vários anos após a sua morte, a rainha Vitória escreveu uma descrição da sua sogra num memorando datado de 1864: "a princesa foi descrita como tendo sido muito bonita, embora muito baixa. Era loura, tinha olhos azuis e disseram que o príncipe Alberto era muito parecido com ela".[4] Inicialmente, Luísa foi sepultada na Morizkirche, no entanto, em 1859, após a conclusão do mausuleu ducal em Friedhof am Glockenberg, o seu corpo foi transladado para lá.[5]

DescendênciaEditar

Nome Nascimento Morte Notas
  Ernesto II de Saxe-Coburgo-Gota 21 de junho de 1818 22 de agosto de 1893 Casou-se com Alexandrina de Baden, sem descendência.
  Alberto de Saxe-Coburgo-Gota 26 de agosto de 1819 14 de dezembro de 1861 Príncipe consorte da Rainha Vitória do Reino Unido, com descendência.

GenealogiaEditar

FontesEditar

Referências

  1. Grey, p. 29.
  2. Weintraub, p. 21.
  3. Strachey, Lytton (1921). Queen Victoria. [S.l.]: New York, Harcourt, Brace and company 
  4. Grey, p. 30.
  5. Klüglein, Norbert (1991). Coburg Stadt und Land (em alemão). Verkehrsverein Coburg.