Abrir menu principal
Madalena Sotto
Nome completo Maria Madalena Pereira Othão
Nascimento 21 de julho de 1916
Lavos
Nacionalidade Portuguesa
Morte 18 de agosto de 2016 (100 anos)
Porto
Ocupação Atriz
Outros prêmios
Melhor Actriz Cinematográfica (1945)

Madalena Sotto, nome artístico de Maria Madalena Pereira Othão (Lavos, 21 de julho de 1916Porto, 18 de agosto de 2016), foi uma actriz portuguesa.

Nascida nos arredores da Figueira da Foz, mudou-se para Oliveira de Azeméis aos dez anos, onde o pai, o pintor Othão Luís, foi o primeiro director da Escola de Artes e Ofícios (actual Escola Secundária Soares Basto), e a mãe, Aida Augusta Pereira, mestra de costura, bordados e tapeçaria.

Madalena Sotto concluiu naquela o escola o curso de tapeçaria, lecionando em seguida, como auxiliar de oficina.

Em 1939 voltou à Figueira da Foz, quando os pais foram transferidos, em comissão de serviço. É então que o jornalista Artur Inês, seu amigo, a apresenta a Leitão de Barros, realizador que a leva a estrear-se no cinema, em A Varanda dos Rouxinóis, de 1939. Um ano depois, com Alves da Cunha, estreia-se no teatro com a peça Os Velhos, de D. João da Câmara, no Teatro Sá da Bandeira.

Até 1978 teve uma carreira repartida entre o teatro — integrou a companhia Rey Colaço-Robles Monteiro — e o cinema, voltando às telas com Feitiço do Império (1940) e A Vizinha do Lado (1945), de António Lopes Ribeiro, Três Espelhos (1947), de Ladislao Vajda, Vidas Sem Rumo (1956), de Manuel Guimarães e Sinal Vermelho (1972), de Rafael Romero Marchent.

Recebeu o prémio de Melhor Actriz Cinematográfica, do Secretariado Nacional de Informação, em 1945.

Em finais de dezembro de 2011, houve rumores da sua morte.[1] A notícia veio a revelar-se falsa, com a notícia da sua morte, no dia 18 de agosto de 2016, aos 100 anos, no Porto.[2]

TeatroEditar

  Esta lista está incompleta. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-a.

Referências