Abrir menu principal

Maria da Conceição de Manso Saião

12.ª Primeira-dama da República Federativa do Brasil
(Redirecionado de Mary Pessoa)
Mary Pessoa
Maria Pessoa por volta de 1915.
12.ª Primeira-dama do Brasil
Período 28 de julho de 1919
até 15 de novembro de 1922
Presidente Epitácio Pessoa
Antecessor Francisca Ribeiro
Sucessor Clélia Bernardes
Dados pessoais
Nome completo Maria da Conceição de Manso Saião da Silva Pessoa
Nascimento 3 de junho de 1878
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Morte 31 de outubro de 1958 (80 anos)
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Nacionalidade Brasileira
Cônjuge Epitácio Pessoa (1898–1942)

Maria da Conceição de Manso Saião da Silva Pessoa, conhecida como Mary Pessoa[1] GCC (Rio de Janeiro, 3 de junho de 1878Rio de Janeiro, 31 de outubro de 1958), foi a segunda esposa de Epitácio Pessoa, 11.º Presidente do Brasil, e a primeira-dama do país de 1919 a 1922.

BiografiaEditar

FamíliaEditar

Natural do Rio de Janeiro, Maria da Conceição era filha do médico Dr. José Francisco Manso Saião e de Maria Olímpia Brandão de Manso Saião, através da qual era bisneta do Barão de Massambará e trineta do Barão de Campo Belo.[2]

Casou-se com Epitácio Pessoa em 8 de novembro de 1898, quando tinha vinte anos de idade.[3] O local da cerimônia foi a Igreja da Candelária, no centro do Rio de Janeiro,[4] tendo como oficiante o monsenhor Francisco Hildebrando Gomes Angelim.

Epitácio, que tinha treze anos a mais do que Maria da Conceição, era viúvo de Francisca Justiniana das Chagas (prima-irmã do sanitarista Carlos Chagas), falecida em abril de 1895, quando deu à luz um menino natimorto.

O casal teve três filhas[5]:

  • Laura "Laurita" Pessoa Raja Gabaglia, casada com o engenheiro Edgar de Barros Raja Gabaglia, filho do professor Eugênio de Barros Raja Gabaglia;
  • Angelina Pessoa Pardelas, casada com o médico Dr. Rafael Garcia Pardelas;
  • Helena Pessoa de Lima Câmara, casada com o veterinário Arquimedes de Lima Câmara.

Primeira-damaEditar

Em setembro de 1920, quando da visita oficial do rei Alberto I da Bélgica ao Brasil, Dona Mary Pessoa coordenou pessoalmente a reforma de um casarão do século XIX no bairro de Laranjeiras, no Rio de Janeiro, para abrigar o rei e sua rainha consorte.[6]

 
Dona Mary e Epitácio Pessoa e uma das filhas, cerca de 1915.

Em 1921, durante o translado dos restos mortais do Imperador Dom Pedro II e da Imperatriz Teresa Cristina ao Brasil, Dona Mary Pessoa foi oficialmente nomeada presidente de honra da comissão de senhoras dirigida pela Baronesa de Loreto, uma dama de companhia e amiga da Princesa Isabel, a qual não se fez presente no evento por motivos de saúde. Durante o cortejo, a primeira-dama e sua filha mais velha Laurita acompanharam no carro presidencial o marido da princesa, o conde d'Eu, e o filho deles, o príncipe Pedro Augusto. Ao chegarem na Capela de Nossa Senhora do Carmo, onde foram dispostos os caixões, eles participaram de uma cerimônia religiosa.[7]

Em 1922, na ocasião da Primeira travessia aérea do Atlântico Sul, Dona Mary Pessoa e seu marido receberam os aviadores no Palácio do Catete, no Rio de Janeiro. Ela se tornou madrinha do hidroavião Fairey Fairey F III-D nº 17 e o batizou como "Santa Cruz".

Em 7 de junho de 1923, já não sendo mais primeira-dama, foi agraciada com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo de Portugal.[8]

Últimos anosEditar

Mary Pessoa ficou viúva de Epitácio em 1942, quando ele faleceu em sua residência na "Granja Nova Betânia", em Nogueira, na cidade de Petrópolis.[9].

Um pouco antes de falecer, em 1958, ela doou ao Museu Histórico Nacional uma série de objetos que recordam fatos de sua vida de seu marido.[10]

Uma rua na Gávea leva seu nome como homenagem.

Referências

  1. MELO, Fernando. "Epitácio Pessoa: uma biografia. Idebia Editora, 2005
  2. Família Avelar e Almeida e sua descendência brasileira
  3. Base de dados de todos os parentes, colaterais e não parentes
  4. Epitácio Pessoa - o prodígio da Paraíba que governou o Brasil
  5. Série Presidentes do Brasil
  6. CAULFIELD, SUEANN. In Defense of Honor: Sexual Morality, Modernity, and Nation in Early-Twentieth-Century Brazil. Page 51.
  7. FAGUNDES, Luciana Pessanha. De volta à terra pátria: o translado dos restos mortais de D. Pedro II e Thereza Cristina para o Brasil (1921). XXVVIII Simpósio Nacional de História, Florianópolis, 2015.
  8. «Cidadãos Estrangeiros Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Mary Pessoa". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 7 de abril de 2016 
  9. Instituto Histórico de Petrópolis (IHP) - Os verões presidenciais em Petrópolis
  10. Anais do Museu Histórico Nacional, Volumes 11-14. Ano 1960.

Ver tambémEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Maria da Conceição de Manso Saião



Precedido por
Francisca Ribeiro
12.ª Primeira-dama do Brasil
19191922
Sucedido por
Clélia Bernardes