Abrir menu principal
Mohammad Javad Zarif
Mohammad Javad Zarif
Ministro de Relações Exteriores do Irã Irã
Período 15 de agosto de 2013
a atualidade
Presidente Hassan Rouhani
Antecessor Ali Akbar Salehi
Embaixador do Irã às Nações Unidas IrãFlag of the United Nations.svg
Período 5 de agosto de 2002
a 25 de julho de 2007
Antecessor Hadi Nejad-Hosseinian
Sucessor Mohammad Khazaee
Dados pessoais
Nome completo Mohammad Javad Zarif Khonsari
Nascimento 7 de janeiro de 1960 (59 anos)
Teerã,  Irão
Nacionalidade iraniano
Alma mater Universidade de São Francisco
Universidade Columbia[1]
Universidade de Denver
Cônjuge Maryam Imanieh (c. 1979)
Partido Independente
Religião Islã
Profissão Diplomata
Professor universitário

Mohammad Javad Zarif Khonsari (Teerã, 7 de janeiro de 1960) é um acadêmico e diplomata de carreira iraniano,[2] atual Ministro de Relações Exteriores de seu país. Zarif ocupou diversos cargos diplomáticas significantes ao longo de sua carreira desde a década de 1990, tendo sido também professor na Universidade de Teerã na área de diplomacia e organizações internacionais. Foi Representante Permanente do Irã à Nações Unidas de 2002 a 2007.[3]

Durante sua gestão como ministro de assuntos exteriores, liderou a negociação iraniana com os países do P5+1, culminando na criação do Plano de Ação Conjunto Global em 14 de julho de 2015,[4] definindo limites à produção nuclear iraniana e relativizando as sanções econômicas que haviam contra o país.[5]

Zarif também ocupou cargos na política interna, como conselheiro de ministério exterior e vice-ministro de relações exteriores. Foi também membro da Comissão de Desarmamento das Nações Unidas e do "Diálogo entre Civilizações". Foi também vice-presidente do setor de estudos diplomáticos da Universidade Islâmica de Azad.[6]

Índice

BiografiaEditar

Mohammad Javad Zarif Khonsari nasceu em 7 de janeiro de 1960 em Teerã, capital iraniana.[7][8] De acordo com a revista norte-americana The New Republic, Zarif é de uma família "influente, religiosamente devota e politicamente conservadora de comerciantes". Seu pai foi um dos maiores empresários de Isfahan e sua mãe herdeira de um dos mais conhecidos empresários de Teerã. Zarif estudou no Instituto Alavi, uma instituição privada religiosa.[1]

Apesar de ter sido afastado de contatos com mídia por conta das convicções religiosas de sua família, Zarif acabou por se interessar por ideais revolucionários ao ler obras de Ali Shariati e Samad Behrangi.[1] Aos 17 anos de idade, deixou o país natal e foi viver nos Estados Unidos. Zarif frequentou a Escola Preparatória Drew, em São Francisco, Califórnia.[1] Posteriormente, ingressou na Universidade Estadual de São Francisco, onde bacharelou-se em 1981 e um concluiu o mestrado em 1982, ambos em Relações internacionais.[9] Após estes estudos, Zarif continuou os estudos na área na Escola de Estudos Internacionais Josef Korbel, na Universidade de Denver, onde graduou-se em relações internacionais em 1984 e a obteve a pós-graduação em direito internacional em 1988.[10][11]

Missões nos Estados UnidosEditar

Em maio de 1982, Zarif veio a ser indicado membro da delegação iraniana às Nações Unidas devido principalmente à sua fluência na língua inglesa e sua relação com os Estados Unidos, muito mais do que sua formação acadêmica na área.[1] Como diplomata iniciante, Zarif envolveu-se em negociações pela liberatação de reféns americanos detidos no Líbano. Apesar das reações frias por parte do governo americano, Zarif permaneceu trabalhando em ampliar e aprofundar os laços entre os países.[12]

Em 2000, Zarif serviu como presidente do encontro preparatório asiático da Conferência Mundial sobre Racismo e como presidente da Comissão de Desarmamento das Nações Unidas. Zarif também lecionou direito internacional na Universidade de Teerã. Entre 2010 e 2012, serviu como vice-presidente da Universidade Islâmica de Azad na área de relações internacionais.[13]

Carreira políticaEditar

Representante Permanente (2002-2007)Editar

Zarif serviu como Representante Permanente do Irã junto às Nações Unidas de 2002 a 2007, durante os governos de Mohammad Khatami e Mahmoud Ahmadinejad. Em 2003, esteve fortemente ligado ao desenvolvimento da chamada "Grande Barganha", um plano para resolver as questões incidentes entre os Estados Unidos e o Irã.[14] Durante sua estadia nas Nações Unidas, Zarif buscou reunir-se com vários representantes estadunidenses, incluindo os então senadores Joseph Biden e Chuck Hagel.[14] Zarif renunciou ao cargo em julho de 2007, sendo sucedido por Mohammad Khazaee.[15]

Em 2007, Zarif liderou a conferência do Conselho Iraniano-Americano em New Brunswick, Nova Jérsei, que também contou com a participação de Hagel, Dennis Kucinich, Nicholas Kristof e Anders Liden, debatendo as relações diplomáticas entre os dois países e formas potenciais de dialogar e evitar conflitos.[16]

Em 18 de novembro de 2008, Zarif denunciou que Washington estaria conspirando para fomentar discórdia entre os iranianos, visando derrubar o governo.[17]

Ministro de Relações Exteriores (2013-presente)Editar

 
Javad Zarif em reunião com o Secretário de Estado estadunidense John Kerry durante as negociações sobre o programa nuclear iraniano, em Paris, janeiro de 2015.

Em 23 de julho de 2013, foi divulgado que Zarif estaria entre as opções de Hassan Rouhani para assumir o ministério de relações exteriores do país.[18] Zarif foi confirmado pelo gabinete do Presidente-eleito em 4 de agosto, quando Rouhani o nomeou oficialmente para o cargo perante o Parlamento.[19] Zarif foi confirmado pelo Parlamento com 232 votos, sucedendo Ali Akbar Salehi no cargo.[20]

O novo ministro recebeu a primeira visita diplomática ao Irã do governo Rouhani dez dias após sua posse no cargo, com a chegada de Qaboos bin Said Al Said, Sultão de Omã. Foram espalhados rumores de que o sultão teria como objetivo denunciar temas debatidos com autoridades americanas em sua viagem anterior. Em setembro de 2013, tendo prestado homenagem ao Rosh Hashaná, Zarif publicou em sua conta no Twitter que o Irã não nega o Holocausto, distanciando o governo das "estâncias beligerantes" de Mahmoud Ahmadinejad. A autenticidade da publicação foi confirmada posteriormente pela jornalista Christiane Amanpour. Dias depois, Zarif reuniu-se com o Secretário de Estado John Kerry para negociações entre os dois países. Foi o maior contato diplomático direto entre as duas partes em mais de seis anos. Em seguida, Kerry afirmou que "o encontro foi construtivo".

Após um suspensão nos diálogos, em 12 de novembro, Zarif rejeitou as suposições de John Kerry de que o Irã estaria inapto a aceitar o acordo no momento. Ele afirmou que "um punhado de fios" não poderia mudar o que ocorreu em Genebra, porém poderia prejudicar "a confiança futuramente". Representantes do Irã e do P5+1 reuniram-se novamente em 20 de novembro.

Em outubro de 2014 duradouras conversações entre diplomatas estadunidenses, iranianos e europeus não chegaram a um acordo positivo sobre a contenção do programa nuclear iraniano, porém autoridades afirmaram que as partes ainda objetivavam um acordo até o final daquele ano. Um porta-voz do Departamento de Estado caracterizou cada etapa das negociações como "corrosivas" devido a divergências técnicas, salientando a quantidade de tópicas ainda a serem abordados.


Referências

  1. a b c d e Alfoneh, Ali; Gerecht, Reuel Marc (23 de janeiro de 2014). «Mohammad-Javad Zarif: Iran's Foreign Minister Is a Religious Zealot». The New Republic 
  2. Zarif, Javad (14 de janeiro de 2016). «Javad Zarif, Author at Harvard International Review». Universidade Harvard. Consultado em 4 de agosto de 2016. Arquivado do original em 7 de fevereiro de 2016 
  3. «CV Dr. M. Javad Zarif» (PDF). UNESCO 
  4. Gearan, Ann; Warrick, Joby (23 de novembro de 2013). «World powers reach nuclear deal with Iran to freeze its nuclear program». The Washington Post 
  5. «International sanction against Iran lifted». The Washington Post. 16 de janeiro de 2016 
  6. «Who's Who in Iranian Politics. Mohammad Javad Zarif». Iranian Diplomacy. 13 de agosto de 2013 
  7. «Minister's Biography: Mohammad Javad Zarif» 
  8. Foroohar, Kanbiz (4 de agosto de 2013). «Rohani taps US-educated as foreign minister to end Iran sanctions». Bloomberg 
  9. Esfendiari, Golnaz (12 de agosto de 2013). «Iran's 'Olive Branch' Foreign Minister Nominee Makes His Case In Parliament». Radio Free Europe 
  10. «Iran's Rouhani unveils cabinet of technocrats». The Daily Star. 4 de agosto de 2013 
  11. Kirkpatrick, Nick (15 de agosto de 2013). «Key figures in the Cabinet of Iran's new president». The Washington Post 
  12. «Iran's Foreign Minister Nominee Seen as Olive Branch to US». Reuters. 29 de julho de 2013 
  13. «محمد جواد ظریف معاون جاسبي». Shafaf 
  14. a b Foroohar, Kambiz (4 de agosto de 2013). «Rohani Taps U.S.-Educated Minister to End Iran Sanctions». Bloomberg 
  15. «"وب سایتهای ایرنا». IRNA. 2 de setembro de 2011. Consultado em 4 de agosto de 2016. Arquivado do original em 22 de julho de 2011 
  16. «Has the U.S. Played a Role in Fomenting Unrest During Iran's Election?». Foreign Policy Journal. 23 de junho de 2009 
  17. «US plotting Velvet Revolution in Iran?». PressTV. 18 de novembro de 2008. Consultado em 4 de agosto de 2016. Arquivado do original em 8 de setembro de 2012 
  18. «Mohammad Javad Zarif, Iran's Nominee For Foreign Minister, Seen As Olive Branch To United States». Huffington Post. 29 de julho de 2013 
  19. «هشت نفر از اعضای کابینه روحانی نهایی شدند +اسامی». Consultado em 4 de agosto de 2016. Arquivado do original em 23 de julho de 2013 
  20. Kamali Dehghan, Saeed (15 de agosto de 2013). «Iran's parliament approves 15 of Hassan Rouhani's 18 cabinet ministers». The Guardian