NDTV Criciúma

emissora de televisão brasileira de Criciúma, SC

NDTV Criciúma é uma emissora de televisão brasileira sediada em Criciúma, porém concessionada em Xanxerê, ambas cidades do estado de Santa Catarina. Opera no canal 3 (28 UHF digital), e é afiliada à RecordTV. Integra a NDTV, rede de televisão pertencente ao Grupo ND. Em Criciúma, seus estúdios estão localizados no bairro Próspera, e seus transmissores no Morro Cechinel. A geradora da emissora em Xanxerê mantém sua estrutura localizada no bairro Nossa Senhora de Fátima.

NDTV Criciúma
Televisão Xanxerê Ltda.
Criciúma / Xanxerê, Santa Catarina
Brasil
Tipo Comercial
Cidade de concessão Bandeira de Xanxerê (Santa Catarina).jpg Xanxerê, SC
Canais Digital: 28 UHF
Virtual: 3 PSIP
Outros canais ver mais
Analógico:
3 VHF (1992-2021)
Sede BandeiraCriciuma.svg Criciúma, SC
Slogan Noite e dia com você
Rede NDTV (RecordTV)
Rede(s) anterior(es) Rede OM, CNT (1992-1995)
Fundador(es) Manoel Dilor de Freitas
Pertence a Grupo ND
Proprietário(s) Marcelo Corrêa Petrelli
Antigo(s) proprietário(s) Manoel Dilor de Freitas (1992-1995)
Edir Macedo (1995-2019)
Presidente Marcelo Corrêa Petrelli
Fundação 29 de dezembro de 1992 (29 anos)
Prefixo ZYB 772
Nome(s) anterior(es) TV Xanxerê (1992-1995)
TV Record Oeste Catarinense (1995-2008)
RIC TV Xanxerê (2008-2019)
NDTV Xanxerê (2019-2020)
Cobertura Cobertura da NDTV Criciúma.svg
Coord. do transmissor 26° 53' 0.2" S 52° 25' 21" O
Potência 0,3 kW
Agência reguladora ANATEL
Informação de licença
CDB
PDF
Página oficial ndmais.com.br/ndtv

HistóriaEditar

Sua história se confunde com a história das demais emissoras do grupo RCE. No princípio, esta era apenas uma retransmissora gerando o canal 3 com a programação TVS/SBT, depois da Band e por último da Rede OM, que mais tarde se tornou CNT.

A emissora foi instalada na metade de 1992 e inaugurada em 29 de dezembro de 1992, período em que a RCE veiculava a Rede OM que, em 1993, se tornou CNT.

Em 1995 aconteceu o grande marco, onde a RCE foi vendida e suas emissoras foram separadas. A TV de Criciúma foi para o Grupo RBS e as emissoras de Florianópolis, Itajaí e Xanxerê foram integradas à Rede Record.

Em Outubro de 2007, o Grupo RIC, dono da Rede SC e RIC TV, no Paraná, assinaram um acordo com a Record e o grupo fundou a RIC TV em SC e esta agregou a Record Xanxerê. As transmissões iniciaram, oficialmente, no dia 1 de fevereiro de 2008. Na primeira fase estava operando junto com a RIC TV Chapecó.

Em uma reformulação passou a gerar somente a programação do meio-dia com 3 blocos do Jornal do Meio-dia (notícias, esporte e bloco comunidade) com apresentação de Gilmar Santini e um bloco com comentário esportivo gerado em Chapecó. Em nova alteração, RIC TV Xanxerê gera toda a programação do Meio-dia, mais ainda recebe de Chapecó o conteúdo do Ver Mais e do RIC Notícias - bloco local.

A partir de junho de 2009 também passou a gerar a sua programação para o RIC Notícias - bloco local. Em maio de 2010, começou a gerar uma edição própria para o Ver Mais. Em meados de 2011, voltou a não mais gerar uma edição própria do bloco local do RIC Notícias, e houve uma integração com a RIC TV Chapecó com reportagens de ambas as emissoras a partir de Chapecó.

Em 2014, passou a produzir apenas o Jornal do Meio-Dia, em 2015 deixou de produzir edição própria do Ver Mais sendo exibido o produzido em Chapecó e também passou a também transmitir o Jornal da Uma Joaçaba, extinto em 2016 fazendo com que o JMD tenha maior duração.

Em 8 de agosto de 2017, a emissora deixou de produzir programas locais após a demissão da maioria dos seus profissionais. A medida, segundo o presidente do Grupo RIC, Marcello Petrelli, foi tomada por conta da crise econômica do país. Com a extinção das produções locais, a emissora passou a retransmitir a programação gerada pela RIC TV Chapecó, tendo apenas a inserção de comerciais locais e produção de matérias para os telejornais.[1]

Em 3 de dezembro de 2019, com o desmembramento do Grupo RIC em Santa Catarina e a criação da NDTV, passou a se chamar NDTV Xanxerê.[2] Ao mesmo tempo, para equiparar o controle acionário das demais emissoras que pertenciam diretamente ao Grupo ND, o Grupo Record vendeu 70% das ações da NDTV Xanxerê, passando a ser apenas acionista minoritário da emissora.[3]

Mudança para CriciúmaEditar

Em 2020, a NDTV elaborou um projeto para implantar uma filial da rede na cidade de Criciúma, no sul catarinense, algo que já era desejo dos seus proprietários há anos. O plano inicial do Grupo ND e do Grupo Record era a aquisição da TV Primavera, controlada pela Igreja Internacional da Graça de Deus, mas o negócio não foi adiante porque os donos rejeitaram a proposta.[4] A NDTV partiu então para um plano B, criando uma nova estrutura do zero e utilizando a concessão da NDTV Xanxerê como geradora.[5]

A partir de outubro, foram investidos quase R$ 3 milhões na compra de equipamentos e contratação de profissionais, como técnicos, jornalistas e repórteres, e no aluguel de uma galeria comercial no bairro Próspera, nos arredores do Parque das Nações Cincinato Naspolini, onde foram montados os estúdios e os escritórios. Toda a transferência e implantação da emissora em Criciúma levou cerca de 60 dias, tempo recorde para os padrões da comunicação.[6] A essa altura, a NDTV Xanxerê já tinha o seu sinal restrito apenas ao município sede, enquanto suas retransmissoras já haviam sido passadas para o controle da NDTV Chapecó. No início de dezembro, foi instalado um gap filler da emissora de Chapecó em Xanxerê, reforçando o sinal do canal 30 UHF, ao mesmo tempo em que era diminuída a potência do canal 3 VHF analógico e do 28 UHF digital, que por determinação legal, precisam ser mantidos no ar para justificar a geração, mesmo a 359 km de distância da sede.

A NDTV Criciúma foi lançada oficialmente em 8 de dezembro, sem uma cerimônia em razão do distanciamento social provocado pela pandemia do COVID-19,[6] mas contando com a presença do presidente do Grupo ND, Marcelo Corrêa Petrelli, e do prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, além de nomes da NDTV como Cacau Menezes e Moacir Pereira, que também vieram à Criciúma para participar da estreia. A nova programação local estreou às 11h50 com o Balanço Geral Criciúma, apresentado por João Paulo Messer, seguido do Ver Mais, revista eletrônica apresentada por Giselle Tiscoski. Com sua entrada no ar, a NDTV Criciúma também passou a atender outros 45 municípios do sul catarinense que antes recebiam o sinal da NDTV Florianópolis.[7]

Sinal digitalEditar

Canal virtual Canal digital Proporção de tela Programação
3.1 28 UHF 1080i Programação principal da NDTV Criciúma / Record

A então RIC TV Xanxerê iniciou suas transmissões digitais em caráter experimental em 20 de julho de 2016, pelo 28 UHF. Em 25 de julho, lançou oficialmente seu sinal digital e sua programação local totalmente em alta definição.[8]

Transição para o sinal digital

Com base no decreto federal de transição das emissoras de TV brasileiras do sinal analógico para o digital, a NDTV Criciúma cessou suas transmissões pelo canal 3 VHF em 15 de outubro de 2021.[9]

ProgramasEditar

Além de retransmitir a programação nacional da RecordTV, atualmente a NDTV Criciúma produz e exibe os seguintes programas:

Retransmitidos da NDTV Florianópolis
  • SC no Ar: Telejornal, com Márcia Dutra;
  • A Hora da Venenosa: Quadro do Balanço Geral SC, com Raphael Polito e Marta Gomes;
  • Cidade Alerta Santa Catarina: Jornalístico policial, com Henrique Zanotto;
  • ND Notícias: Telejornal, com Ildiane Silva;
  • Clube da Bola: Jornalístico esportivo, com Marcelo Mancha;
  • ND Agro: Jornalístico sobre agronegócio, com Karina Koppe

RetransmissorasEditar

Lista de retransmissoras
Cidade Analógico Digital Cidade Analógico Digital Cidade Analógico Digital Cidade Analógico Digital
Araranguá - 25 (30) Armazém 07 - Cocal do Sul 25 30 Criciúma - 25 (30)
Grão-Pará 06 - Gravatal 11 - Içara 25 - Imbituba - 24 (30)
Jacinto Machado 44 25 (30) Jaguaruna 02 - Laguna - 22 (30) Laguna (Itapirubá) 44 -
Maracajá 55 - Meleiro 22 - Morro Grande 44 - Nova Veneza 25 -
Orleans 05 - Pedras Grandes 13 - Praia Grande 44 - Rio Fortuna 12 -
Santa Rosa de Lima 04 - São João do Sul 44 - São Ludgero 12 - São Martinho 12 -
Siderópolis 08 - Treze de Maio 11 - Tubarão - 07 (30) Urussanga 04 -
* - Em implantação

Referências

  1. «Presidente do Grupo RIC/SC comenta sobre demissão de profissionais de Xanxerê». Tudo Sobre Xanxerê. 8 de agosto de 2017. Consultado em 10 de agosto de 2017 
  2. Levin, Teresa (4 de dezembro de 2019). «Grupo RIC separa operações do Paraná e Santa Catarina». Meio & Mensagem. Consultado em 16 de janeiro de 2022 
  3. «TELEVISÃO XANXERÊ LTDA. | 9ª ALTERAÇÃO DO CONTRATO SOCIAL». ANATEL - SEI. 16 de junho de 2020. Consultado em 31 de janeiro de 2022 
  4. «RecordTV pode ter nova afiliada em SC». SulBRTV. 3 de outubro de 2020. Consultado em 9 de dezembro de 2020 
  5. «NDTV Criciúma tem data de estreia definida; NSC TV contra-ataca». SulBRTV. 25 de outubro de 2020. Consultado em 25 de novembro de 2020 
  6. a b David, Nícolas Horácio (6 de dezembro de 2020). «Grupo ND passa a operar a NDTV Criciúma com programação para a região Sul». ND+. Consultado em 9 de dezembro de 2020 
  7. «NDTV Criciúma estreia dando visibilidade para o Sul». ND+. 8 de dezembro de 2020. Consultado em 9 de dezembro de 2020 
  8. «RICTV RECORD lança sinal HD em Xanxerê e Joaçaba». RIC Mais. 25 de julho de 2016. Consultado em 27 de julho de 2016 
  9. Higa, Paulo (15 de fevereiro de 2016). «Quando a TV analógica será desligada na sua cidade». Tecnoblog. Consultado em 8 de dezembro de 2020 

Ligações externasEditar