O Destino Marca a Hora

filme de 1970 dirigido por Henrique Campos

O Destino Marca a Hora é um filme português, de 1970, dos gêneros de drama e romance, dirigido por Henrique Campos e roteirizado por Paulo da Fonseca, César de Oliveira e Rogério Bracinha, música de João Nobre.

O Destino Marca a Hora
O Destino Marca a Hora (PRT)
Portugal Portugal
1970 •  p&b •  102 min 
Direção Henrique Campos
Produção António Ferrão
Roteiro Paulo da Fonseca
César de Oliveira
Rogério Bracinha
Elenco Tony de Matos
Isabel de Castro
Anabela
Gênero drama
romance
Música João Nobre
Distribuição Internacional Filmes
Lançamento 11 de fevreiro de 1970
Idioma português

SinopseEditar

Paulo Falcão é um cantor bem sucedido e numa festa conhece a empresária da construção Cristina Sampaio e os dois ficão atraídos um pelo outro, mas também lá o Paulo conhece a Helena, a secretária da Cristina e fervente admiradora do cantor. O artista ofrece-se para levá-la a sua casa e ela aceita, mas depois eles descobrem que têm muito em comum e acabam passando a noite juntos.

Ao mesmo tempo, o Paulo começa a namorar a Cristina e o casal concorda em casar formalmente, mas como resultado disso, a Helena decide largar o emprego -e o convívio com a Cristina- dizendo que é para cuidar da sua irmã doente, mas na verdade é por uma razão mais grave: A Helena ficou grávida do noivo da sua patroa.

Logo do casamento do Paulo e a Cristina, ela também fica grávida, mas numa discussão com o marido quando ela descobre um caso dele com uma atriz, Cristina cai de uma escada abaixo e morre após dar à luz. Este acidente faz com que o Paulo decide afastar-se completamente do mundo do Show Business (incluindo até do seu nome artístico, já que o nome verdadeiro do Paulo é Miguel de Freitas) e dedicar-se a criança e ao negócio da Cristina.

Alguns anos depois José Paulo, o filho da Helena, conhece no Liceu a um menino da classe alta chamado Vítor com quem faz amizade. Porém a relação entre as crianças não gosta ao Jorge, um amigo da Helena quem quere namorar-la, já que ele descobre que o Vítor é o filho do Paulo Falcão e, por isso, quere tentar evitar aquela amizade a qualquer preço...

ElencoEditar

NotasEditar

Os roteristas do filme também escreveram os versos das músicas: "O Destino Marca a Hora", "Não Digas Que Me Conheces", "Digo Adeus à Saudade", "Viver Sem Ter Amor" e "Aos Domingos o Ceu é Mais Azul", cantadas pelo Tony de Matos.

Nicolau Breyner faz uma breve aparição neste filme.

ReferênciasEditar

de Pina, Luís (1977). A aventura do cinema português. Lisboa: [s.n.] p. 211 

Leitão Ramos, Jorge (1989). Dicionário do cinema português, 1962-1988. Lisboa: Editorial Caminho. ISBN 9722104462 

Parish, James Robert; Kingsley Canham (1976). Film directors guide--Western Europe (em inglês). Metuchen, New Jersey: Scarecrow Press. p. 73. ISBN 0810809087 

Passek, Jean-Louis (1982). Centre Georges Pompidou, ed. Le Cinéma portugais (em francês). Paris: [s.n.] p. 46. ISBN 2864250292 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre um filme português é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.