Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde abril de 2017). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Helena Isabel
Nome completo Helena Isabel Correia Ribeiro
Nascimento 6 de fevereiro de 1952 (67 anos)
Lisboa, Lisboa, Portugal
Nacionalidade Portugal Portuguesa
Ocupação Actriz
Cônjuge Paulo de Carvalho (divórcio, 1 filho)

Helena Isabel Correia Ribeiro (Lisboa, 6 de fevereiro de 1952) é uma actriz portuguesa. É mãe do cantor português Agir.

Índice

CarreiraEditar

Faz a sua estreia em televisão em 1965, no programa Riso e Ritmo, de Francisco Nicholson.

Estreou-se na Companhia de Teatro Alegre, sediada no Teatro Variedades, em Lisboa, tinha então 17 anos, com uma peça que se chamava Os Direitos da Mulher.

Participa nos filmes Bonança & C.a (1969), A Maluquinha de Arroios (1970) e Os Touros de Mary Foster (1972). Foi uma das 5 finalistas do Miss Portugal 1971. Em 29 de Maio de 1971 é capa da revista "R&T - Rádio & televisão" com o título de capa "À Conquista Do Cinema Europeu".

Em 1971 colaborou com a Companhia Laura Alves no Teatro ABC, com repertório de sucesso no teatro de revista [1].

Em 1974 participa no Festival RTP da Canção com Canção Solidão da autoria de José Drummond.

Ajudou a fundar o Teatro Adóque iniciado em Setembro de 1974. Participa no filme O Princípio da Sabedoria (1975) de António de Macedo. Entre 1975 e 1981, fez parte de "Os Bonecreiros" com João Mota, de onde passou para o Grupo 4, dirigido por João Lourenço.

Participa nos filmes A Santa Aliança (1980) de Eduardo Geada e A Vida é Bela?! (1982) de Luís Galvão Telles. [1].

Em 1982 entrou no elenco da primeira telenovela portuguesa, "Vila Faia", exibida pela RTP[1]. No mesmo ano, estreou-se no cinema num filme de António de Macedo, "Os Abismos da Meia-Noite", onde contracenou com Rui Mendes. A sua interpretação em Os Abismos da Meia Noite (1984) de António de Macedo, valeu-lhe o Prémio de Melhor Actriz do Instituto Português de Cinema.

Em 1983 foi a protagonista da telenovela "Origens" onde interpretou a personagem Sara Teles.

Na década de 1980 colaborou ainda com Herman José no elenco de O Tal Canal (RTP, 1983) e Hermanias (RTP, 1984)[2]. Participou também em Duarte & Companhia (RTP, 1985).

Em 1995, regressa ao cinema para participar no filme indiano Shejar, de Raju Parsekar, tendo regressado à televisão, em 1997, para fazer o espetáculo "Comédias d'Ouro", de Filipe La Féria, que passou na RTP[1].

Estreia-se, em 1999, na TVI, onde integra o elenco da série "Todo o Tempo do Mundo". Sendo que, em 2000 volta à RTP para fazer a telenovela "Ajuste de Contas". Em 2001, faz algumas séries como "Um Estranho em casa", da RTP, "Cuidado com as Aparências" ou "Bairro da Fonte", na SIC. Entrou no filme francês "Combat d'Amour en Songe", de Raoul Ruiz. [1]

Regressa à TVI, em 2002, onde entra na telenovela "Sonhos Traídos" e, em 2004, em "Morangos com Açúcar". Ao mesmo tempo regressa ao teatro com a peça "Mulheres em Frente ao Espelho"[1].

Participou nas peças Jantar de Idiotas (2004) e O Chato (2005) de Francis Veber, encenações de António Feio no Teatro Villaret.

Em Setembro de 2018 lançou um canal de Youtube, "A Idade Não Me Define"[3].

Vida pessoalEditar

Filha de mãe Assistente de Bordo e pai Empresário, cresceu em Lisboa, na Avenida João XXI, com a irmã, Berta, sete anos mais velha que Helena. A sua irmã é casada com o jornalista Joaquim Letria.

Os pais tentaram convencê-la a ir para a aviação, para Assistente de Bordo. Tirou o curso na Escola Lusitana feminina e mais tarde, estudou línguas na Alliance Française e no British Council. Os pais divorciaram-se quando Helena tinha 17 anos, tendo ficado a viver com a mãe[4]

Foi casada com o cantor Paulo de Carvalho durante 16 anos, tendo os dois tido um filho, Bernardo (1988), que agora é compositor de música, conhecido pelo nome de Agir.

Participações no Festival RTP da CançãoEditar

  • 1974 - Canção Solidão, Letra e Música de José Drummond. Fica em 6º Lugar, com 2 Pontos.
  • 1980 - Um Abraço, Mais Nada, Letra de Nuno Gomes dos Santos, Música de Carlos Alberto Moniz. e Alegria Em Mi Maior, dentro do grupo As Alegres Comadres (composto também por Adelaide Ferreira, Ana Bola e Mila Ferreira), com Letra de José Jorge Letria e Música de Carlos Mendes. Ambas participações ficam em 7º jogo Lugar na primeira semifinal, com 11 pontos, não se classificando para a Final.
  • 1983 - E Afinal, Quem És Tu?, Letra de Nuno Gomes dos Santos, Música de José Calvário. Fica em 3º Lugar, com 149 Pontos. É a sua melhor colocação.
  • 1984 - (Já) Pode Ser Tarde, Dentro do Quarteto Paulo de Carvalho (Paulo De Carvalho, Helena Isabel, Miguel Braga, Carlos Araújo e André Sarbib), Letra e Música de Paulo de Carvalho. Fica em 7º Lugar na Primeira Rodada, não se classificando para a Rodada Final.

TelevisãoEditar

FilmografiaEditar

ReferênciasEditar

  1. a b c d e f Infopédia (2003). «Helena Isabel - Infopédia». Consultado em 6 de Julho de 2012 
  2. Escape (17 de Outubro de 2011). «A escolha de... Helena Isabel». Consultado em 6 de Julho de 2012 [ligação inativa]
  3. «Helena Isabel cria canal de Youtube». Lux 
  4. Revista Sábado n.º 612, Entrevista de vida a Helena Isabel, 21 de Janeiro de 2016.
  Este artigo sobre um ator ou atriz de cinema é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.