Abrir menu principal

Públio Metílio Nepos (cônsul em 103)

Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Públio Metílio Nepos, cônsul sufecto em 91 e seu pai.
Públio Metílio Nepos
Cônsul do Império Romano
Consulado 103 d.C.
Morte 128 d.C.

Públio Metílio Nepos (em latim: Publius Metilius Nepos; m. 128) foi um senador romano nomeado cônsul sufecto para o nundínio de abril a junho de 103 com Quinto Bébio Mácer. Era filho de Públio Metílio Sabino Nepos, cônsul sufecto em 91 e governador da Britânia entre 95 e 97[1]. Públio Metílio Segundo, cônsul sufecto em 123, e Públio Metílio Nepos, cônsul em 128, eram seus filhos[2].

Índice

CarreiraEditar

Sabe-se que Nepos foi legado imperial de uma província romana entre 105 e 106, mas não se sabe qual (ela foi chamada apenas de "maximia provincia" em latim[3], possivelmente uma das Germânias, cujos governadores no período são desconhecidos[nota 1]. Segundo uma carta de Plínio, o Jovem, ele tinha consigo as obras de Nepos[4][5].

Em 128, já no reinado de Adriano, Nepos estava designado para um novo consulado sufecto, mas morreu antes de assumir o posto[6].

Ver tambémEditar

NotasEditar

  1. Não pode ser a Síria, com Aulo Cornélio Palma Frontoniano entre 104 e 108, nem a Judeia com Quinto Pompeu Falcão entre 105 e 107, nem a Capadócia-Galácia com Públio Calvísio Rusão Júlio Frontino entre 103 e 108, nem as duas Mésias com Aulo Cecílio Faustino entre 104 e 105 e Lúcio Fábio Justo entre 105 e 107 na Inferior e Lúcio Herênio Saturnino entre 103 e 107 na Superior. Na Panônia, é possível que Lúcio Nerácio Prisco tenha governado entre 103 e 106. Restam a Britânia, que Lúcio Nerácio Marcelo governou até 104, as Germânias e a Hispânia Tarraconense, cujos governadores na época são desconhecidos.

Referências

  1. Der Neue Pauly, Stuttgardiae 1999, T. 8, c. 101.
  2. Der Neue Pauly, Stuttgart 1999, T. 9, c. 7101
  3. Annette Flobert, Lettres de Pline, Flammarion, 2002, p. 178.
  4. Annette Flobert, Lettres de Pline, Flammarion, 2002, p. 178, « Lettre IV, 26 - À Metilius Nepos ».
  5. Plínio, o Jovem, Epístolas, IV, 26
  6. Der Neue Pauly, Stuttgardiae 1999, T. 9, c. 7101.