Partido Social-Democrata da Áustria

O Partido Social-Democrata da Áustria (Sozialdemokratische Partei Österreichs, SPÖ) é um partido político da Áustria.

Partido Social-Democrata da Áustria
Sozialdemokratische Partei Österreichs
Presidente Pamela Rendi-Wagner
Fundação 1888 (Partido Social-Democrata Operário da Áustria)
Sede Viena,  Áustria
Ideologia Social-democracia
Liberalismo social
Pró-Europeísmo
Espectro político Centro-esquerda
Ala jovem Sozialistische Jugend Österreich
Membros (2014) 205.224
Afiliação internacional Internacional Socialista,
Aliança Progressista
Afiliação europeia Partido Socialista Europeu
Grupo no Parlamento Europeu Aliança Progressista dos Socialistas e Democratas
Parlamento Austríaco
40 / 183
Conselho Federal
21 / 62
Parlamento Europeu
5 / 18
Cores Vermelho
Página oficial
http://www.spoe.at/

O partido foi fundado em 1888, com o nome de Partido Social-Democrata Operário da Áustria, que, foi alterado em 1945, para Partido Socialista da Áustria, só adoptando o nome actual em 1991.

O partido segue uma linha social-democrata,[1][2] além de defender o federalismo europeu, a igualdade de géneros e a defesa das minorias LGBT. A nível económico, o partido destaca-se por se ter distanciado dos seus parceiros europeus, ao recusar a Terceira via, tendo no seu programa descrito, a importância de ultrapassar o antagonismo de classes e alcançar uma sociedade igualitária.

A actual líder do partido é Pamela Rendi-Wagner, actual líder da oposição austríaca, e, é membro do Partido Socialista Europeu, da Internacional Socialista e da Aliança Progressista.

Nomes do PartidoEditar

  • Partido Social-Democrata Operário da Áustria (SDAPÖ) de 1889 a 1945
  • Partido Socialista da Áustria (SPÖ) de 1945 a 1991
  • Partido Social-Democrata da Áustria (SPÖ) de 1991 até actualidade

IdeologiaEditar

No seu programa político, decidido no congresso do partido em 2018, o SPÖ está comprometido com a social-democracia, com os valores da liberdade, igualdade, justiça, solidariedade e pleno emprego. Ao mesmo tempo, no entanto, a necessidade de liberalização política, modernização e mudança também é discutida.

Política externa e europeiaEditar

O SPÖ vê a unificação europeia como um projeto de paz crucial para resolver conflitos entre estados e grupos étnicos. Independentemente do programa, o ex-líder do SPÖ Werner Faymann anunciou referendos sobre futuros tratados da UE na sua lendária carta ao Kronen Zeitung em 2008[3].

Política educacionalEditar

No programa do SPÖ, a educação é vista como um direito social fundamental[4]. Nesse sentido, o SPÖ defende a igualdade de oportunidades, uma das demandas centrais é a escola comum para crianças de 6 a 14 anos como modelo de escola integral[5]. Outra preocupação é a expansão nacional de creches acessíveis e baseadas nas necessidades e a redução da escolaridade obrigatória para a idade de cinco anos[5]. No campo dos estudos, o SPÖ exige o acesso gratuito às universidades austríacas: em 2008, por exemplo, foram abolidas as propinas introduzidas alguns anos antes.

Politica socialEditar

A igualdade para as mulheres e a tolerância das minorias étnicas são consideradas importantes. O SPÖ quer promover o diálogo intercultural e defende a integração dos imigrantes[4]. Na luta contra a falta de liberdade e a discriminação, faz campanha contra o terror, a tortura e a pena de morte. O manifesto eleitoral de 2008 também aborda a questão da homossexualidade e, portanto, defende a igualdade social para casais do mesmo sexo[5].

Política interna e de segurançaEditar

O SPÖ defende a introdução de um exército profissional e também fez campanha para isso no referendo de 2013 sobre o serviço militar obrigatório. O SPÖ rejeita juntar-se a uma aliança militar e a um exército europeu comum[6].

Política social e económicaEditar

De acordo com os princípios da social-democracia, o objetivo do SPÖ é uma sociedade em que todas as diferenças de classe tenham sido superadas. Na opinião do SPÖ, qualquer forma de trabalho entre homens e mulheres deve ser distribuída de forma justa. O SPÖ nomeia o pleno emprego como meta. Defende a acessibilidade dos equipamentos públicos para todos, independentemente da classe social, e defende o que considera uma relação laboral justa e o direito de co-determinação dos colaboradores das empresas como base do desenvolvimento económico e social[4]. Além disso, defende um sistema tributário que permita uma distribuição justa de renda e riqueza[4]. O SPÖ vê o Estado como o portador de uma política económica ativa[4]. Rejeita a política de privatização seguida pelos governos liderados pelo SPÖ no início dos anos 1990. Durante a campanha eleitoral de 2008, as demandas centrais no campo da política económica e social foram a introdução do rendimento mínimo baseado nas necessidades e do imposto sobre ganhos de capital[5].

Resultados EleitoraisEditar

Eleições legislativasEditar

Data Líder CI. Votos % +/- Deputados +/- Status
1919 Karl Seitz 1.º 1 211 814
40,8 / 100,0
72 / 170
Governo
1920 Karl Seitz 2.º 1 072 709
36,0 / 100,0
 4,8
69 / 183
 3 Oposição
1923 Karl Seitz 2.º 1 311 870
39,6 / 100,0
 3,6
68 / 165
 1 Oposição
1927 Karl Seitz 2.º 1 539 635
42,3 / 100,0
 2,7
71 / 165
 3 Oposição
1930 Karl Seitz 1.º 1 517 146
41,1 / 100,0
 1,2
72 / 165
 1 Oposição
Banido de 1933 a 1945
1945 Adolf Schärf 2.º 1 434 898
44,6 / 100,0
76 / 165
Governo
1949 Adolf Schärf 2.º 1 623 524
38,7 / 100,0
 5,9
67 / 165
 9 Governo
1953 Adolf Schärf 1.º 1 818 517
42,1 / 100,0
 3,4
73 / 165
 6 Governo
1956 Adolf Schärf 2.º 1 873 295
43,1 / 100,0
 1,0
74 / 165
 1 Governo
1959 Bruno Kreisky 1.º 1 953 935
44,8 / 100,0
 1,7
78 / 165
 4 Governo
1962 Bruno Kreisky 2.º 1 960 685
44,0 / 100,0
 0,8
76 / 163
 2 Governo
1966 Bruno Kreisky 2.º 1 928 985
42,6 / 100,0
 1,4
74 / 165
 2 Oposição
1970 Bruno Kreisky 1.º 2 221 981
48,4 / 100,0
 5,8
81 / 165
 7 Governo
1971 Bruno Kreisky 1.º 2 280 168
50,0 / 100,0
 1,6
93 / 183
 12 Governo
1975 Bruno Kreisky 1.º 2 326 201
50,4 / 100,0
 0,4
93 / 183
  Governo
1979 Bruno Kreisky 1.º 2 413 226
51,0 / 100,0
 0,6
95 / 183
 2 Governo
1983 Bruno Kreisky 1.º 2 312 529
47,6 / 100,0
 3,4
90 / 183
 5 Governo
1986 Fred Sinowatz 1.º 2 092 024
43,1 / 100,0
 4,5
80 / 183
 10 Governo
1990 Franz Vranitzky 1.º 2 012 787
42,8 / 100,0
 0,3
80 / 183
  Governo
1994 Franz Vranitzky 1.º 1 617 804
34,9 / 100,0
 7,9
65 / 183
 15 Governo
1995 Franz Vranitzky 1.º 1 843 474
38,1 / 100,0
 3,2
71 / 183
 6 Governo
1999 Viktor Klima 1.º 1 532 448
33,2 / 100,0
 4,9
65 / 183
 6 Oposição
2002 Alfred Gusenbauer 2.º 1 792 499
36,5 / 100,0
 3,3
69 / 183
 4 Oposição
2006 Alfred Gusenbauer 1.º 1 663 986
35,3 / 100,0
 1,2
68 / 183
 1 Governo
2008 Werner Faymann 1.º 1 430 206
29,3 / 100,0
 6,0
57 / 183
 11 Governo
2013 Werner Faymann 1.º 1 258 605
26,8 / 100,0
 2,5
52 / 183
 5 Governo
2017 Christian Kern 2.º 1 361 746
26,9 / 100,0
 0,1
52 / 183
  Oposição
2019 Pamela Rendi-Wagner 2.º 1 006 749
21,2 / 100,0
 5,7
40 / 183
 12 Oposição

Eleições presidenciais da ÁustriaEditar

Data Candidato Apoiado 1ª Volta 2ª Volta
CI. Votos % CI. Votos %
1951 Theodor Körner 2.º 1 682 881
39,2 / 100,0
1.º 2 178 631
52,1 / 100,0
1957 Adolf Schärf 1.º 2 258 255
51,1 / 100,0
1963 Adolf Schärf 1.º 2 473 349
55,4 / 100,0
1965 Franz Jonas 1.º 2 324 436
50,7 / 100,0
1971 Franz Jonas 1.º 2 487 239
52,8 / 100,0
1974 Rudolf Kirchschläger 1.º 2 392 367
51,7 / 100,0
1980 Rudolf Kirchschläger 1.º 3 538 748
79,9 / 100,0
1986 Kurt Steyrer 2.º 2 061 104
43,7 / 100,0
2.º 2 107 023
46,1 / 100,0
1992 Rudolf Streicher 1.º 1 888 599
40,7 / 100,0
2.º 1 915 380
41,1 / 100,0
1998 Nenhum candidato apoiado
2004 Heinz Fischer 1.º 2 166 690
52,4 / 100,0
2010 Heinz Fischer 1.º 2 508 373
79,3 / 100,0
2016 Rudolf Hundstorfer 4.º 482 790
11,3 / 100,0

Eleições europeiasEditar

Data CI. Votos % +/- Deputados +/-
1996 2.º 1 105 910
29,2 / 100,0
6 / 21
1999 1.º 888 338
31,7 / 100,0
 2,5
7 / 21
 1
2004 1.º 833 517
33,3 / 100,0
 1,6
7 / 18
 
2009 2.º 680 041
23,7 / 100,0
 9,6
4 / 17
5 / 19
 3

 1

2014 2.º 680 180
24,1 / 100,0
 0,4
5 / 18
 
2019 2.º 903 151
23,9 / 100,0
 0,2
5 / 18
 

Referências

  1. Almeida, Dimitri (2012-04-27). The Impact of European Integration on Political Parties: Beyond the Permissive Consensus. [S.l.]: Taylor & Francis. ISBN 9781136340390  Verifique data em: |ano= (ajuda)
  2. «Parties and Elections in Europe». www.parties-and-elections.eu. Consultado em 17 de novembro de 2015 
  3. Aichinger, 08 06 2015 um 17:05 von Philipp (8 de junho de 2015). «Was SPÖ und FPÖ noch trennt - und eint». Die Presse (em alemão). Consultado em 7 de abril de 2021 
  4. a b c d e «GRUNDSATZPROGRAMM: Beschlossen am 44. ordentlichen Bundesparteitag in Wels 2018» (PDF). Consultado em 7 de abril de 2021 
  5. a b c d «Wayback Machine» (PDF). web.archive.org. 20 de setembro de 2008. Consultado em 7 de abril de 2021 
  6. https://www.derstandard.at/consent/tcf/2000047417064/doskozil-lehnt-juncker-vorschlag-fuer-eu-armee-entschieden-ab