Abrir menu principal

Pedro da Maia

Intitulado de "O Corno"
Pedro da Maia
Personagem fictícia de Os Maias
Sexo Masculino
Características Pequenino, face oval de um trigueiro cálido, olhos belos
Criado por Eça de Queirós
Romance(s) Os Maias

Pedro da Maia é uma das personagens principais do romance Os Maias, de Eça de Queiroz.

Pedro da Maia é filho de Afonso da Maia e de Maria Eduarda Runa e pai de Carlos da Maia e de Maria Eduarda, suicida-se após a sua esposa, Maria Monforte, ter fugido de casa com o napolitano (Tancredo) que acolheu em sua casa. Tem uma educação típicamente portuguesa, o que vai contra as ideias de seu pai. Em Londres a sua mãe tenta dar-lhe a educação mais beatificada possível (para o efeito, chama de Portugal o capelão do conde de Runa, o padre Vasques), e, por isso, torna-se um homem de aparência frágil e melancólica.

Era pequenino, face oval de "um trigueiro cálido", olhos belos – "assemelhavam-no a um belo árabe". Valentia física.

Pedro da Maia apresentava um temperamento nervoso, fraco e de grande instabilidade emocional. Tinha assiduamente crises de "melancolia negra que o traziam dias e dias mudo, murcho, amarelo, com as olheiras fundas e já velho". Eça de Queirós dá grande importância à vinculação dessa personagem ao ramo familiar dos Runa e à sua semelhança psicológica com esses. Pedro é vítima do meio baixo lisboeta e de uma educação retrógrada. O seu único sentimento vivo e intenso fora a paixão pela mãe, até se apaixonar por Maria Monforte, paixão que lhe dá até força para contrariar o pai. Apesar da robustez física, é de uma enorme covardia moral (como demonstra a reacção do suicídio face à fuga da sua mulher).