Porta dos Fundos

Canal humorístico do Youtube

Porta dos Fundos é uma produtora de vídeos de comédia veiculados na internet.[6] Originalmente o elenco era composto por Antonio Tabet, Clarice Falcão, Fábio Porchat, Gregório Duvivier, Gabriel Totoro, João Vicente de Castro, Júlia Rabello, Letícia Lima, Luis Lobianco, Marcos Veras, Marcus Majella e Rafael Infante.[7]

Porta dos Fundos
Proprietário ViacomCBS (51%)
Antonio Tabet, Fábio Porchat, Gregório Duvivier, Ian SBF e João Vicente de Castro (49%)
Origem 6 de agosto de 2012 (8 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Carreira na internet
Servidor(es)
Gênero
Período de atividade 2012–presente
Inscritos + 16,8 milhões
Influência(s)
Placas do YouTube
0000YouTube Silver Play Button 2.svg0000100 mil inscritos.
0000YouTube Gold Play Button 2.svg00001 milhão de inscritos.
0000YouTube Diamond Play Button.svg000010 milhões de inscritos.

HistóriaEditar

No final de 2011 Fábio Porchat e Ian SBF, fundadores do canal de Youtube Anões em Chamas, e Antônio Tabet, criador do site de humor Kibe Loco, decidiram formar uma parceria para lançar um canal com esquetes humoradas e ácidas abordando temáticas que eles não conseguiam fazer na televisão no tempo em que eram roteiristas. Eles convidaram para se juntar a concepção do projeto Gregório Duvivier, que também era roteirista e estava infeliz com as restrições televisivas, e João Vicente de Castro, publicitário que trazia uma visão comercial do trabalho. Em março de 2012 os cinco amigos registraram oficial o Porta dos Fundos, que teve o primeiro trabalho liberado em 6 de agosto de 2012.[8] Em 6 meses, a marca de 30 milhões de visualizações no site de compartilhamentos de vídeos YouTube foi alcançada. A maior parte de seu público possui idades entre 20 a 45 anos.[9]

O Porta dos Fundos se tornou o maior canal brasileiro no YouTube em abril de 2013,[6][10] tendo sido ultrapassado pelo canal do Whindersson Nunes em outubro de 2016.[11] Em novembro de 2015 a equipe do Porta dos Fundos recebeu o Play de Diamante, uma das maiores recompensas dadas pelo Youtube aos criadores de conteúdo que alcançam a marca de 10 milhões de inscritos. O prêmio foi dado à equipe durante o evento denominado Youtube FanFest realizado naquele ano pela primeira vez no Brasil. Mundialmente, é o 6º canal com mais inscritos entre canais de comédia[12] e o 35º com mais inscritos em geral (em outubro de 2016).[13] Em 8 de novembro de 2015 o Porta dos Fundos comemorou o recorde de 2 bilhões de visualizações em todos os vídeos publicados no Youtube, sendo o vídeo denominado "Na Lata" responsável por 20 milhões de visualizações.

Apesar do sucesso, os integrantes afirmaram em 2012 que não pensavam em migrar para a televisão.[14] Em 2014 o grupo assinou um contrato com a emissora de televisão à cabo Fox Brasil para a criação de alguns seriados.[15] Em 2015 a Ancine (Agência Nacional do Cinema do Governo) liberou R$ 7,3 milhões para 1º filme do Porta dos Fundos lançado nos cinemas em 2016[16] Em abril de 2017, o conglomerado de mídia Viacom anunciou a compra de parte majoritária da produtora Porta dos Fundos.[17] Os detalhes da negociação, incluindo valores e o percentual de controle, não foram divulgados oficialmente, mas segundo algumas divulgações a Viacom teria adquirido 51% do controle da produtora a um custo de aproximadamente 60 milhões de reais.[18] No dia seguinte ao comunicado, a produtora divulgou um vídeo satirizando a venda à Viacom.[19]

EpisódiosEditar

Os vídeos são gravados nos mais diversos locais, que vai da redação do Jornal LANCE até o VIP's Suítes.[20] Geralmente, há parcerias ou as marcas cedem gentilmente,[21] entretanto, o produtor de locação costuma ter trabalho para encontrar o lugar perfeito e autorizá-lo. Pelas polêmicas sempre criadas com religião e política, muitas empresas preferem nem receber o diretor para negociações. Dentre as várias participações especiais nos episódios, constam nomes como Alexandre Nero,[22] Maitê Proença,[23] Fernanda Paes Leme,[24] Ivete Sangalo, Rodrigo Hilbert, David Brazil e Xuxa.

ControvérsiasEditar

O programa ganhou destaque com o episódio Fast Food, que ironizava o atendimento dos restaurantes Spoleto (restaurante). Surpreendendo, a rede de fast food passou a usar o viral como publicidade: o vídeo foi renomeado como Spoleto[25] e a equipe foi contratada para produzir mais 2 vídeos publicitários para o restaurante.[9][26] No dia 22 de junho de 2014 os acessos à conta do YouTube chegaram a 1 bilhão de visualizações. O programa também tem recebido elogios da crítica, tendo se tornado o primeiro canal on-line a vencer o prêmio da APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte), concorrendo na categoria de TV, como programa de comédia.[27]

Ao final de 2013, o canal divulgou um vídeo chamado Especial de Natal, que acabou gerando uma grande controvérsia com grupos cristãos e islâmicos, sob a alegação de possuir conteúdo baseado de intolerância religiosa. O vídeo mostra que teria havido relações sexuais de Maria com Deus (o que teria levado à sua gestação e ao nascimento de Jesus), mostra tentativas de "negociações" de Jesus com os soldados que o pregaram na cruz, etc[vago].

Com mais de dez milhões de visualizações e 208 mil marcações positivos, o vídeo tem quase 100 mil marcações de "não gostei" no YouTube, o que faz com que seja um dos conteúdos publicados com maior índice de rejeição do canal[carece de fontes?]. O episódio polêmico desencadeou uma rejeição muito forte por parte de grupos religiosos, que têm feito campanhas constantes contra o Porta dos Fundos. Uma petição online chegou a ser criada para que a cervejaria Itaipava deixe de patrocinar o canal de humor. O diretor do Porta dos Fundos, Ian SBF, alegou que não houve a intenção de atacar os cristãos, apenas divertir seus fãs.[28][29][30]

O vídeo "Dura", de fevereiro de 2014, foi acusado de ser igual a uma outra produção de humor publicada no YouTube em 2006. Na época, Fábio Porchat, alegou que apesar das semelhanças, tudo não passava de uma coincidência.[31]

Ainda em julho de 2014, o grupo foi acusado por internautas de plagiar o roteiro de um desenho animado em sua última produção, "Suspeito". O diálogo retratado é extremamente semelhante ao do episódio "The Game", de The Amazing World of Gumball (O Incrível Mundo de Gumball). Um internauta chegou a editar uma comparação entre os dois, cujo vídeo foi postado no YouTube, mas foi retirado pouco tempo depois por solicitação da própria produtora. Apesar disso, todavia circulam vídeos que reforçam o argumento de que houve, sim, plágio.[32]

Em fevereiro de 2016, Porta dos Fundos retrata Jesus Cristo como um humano seletivo no seu amor, alguém que acha a missa chata, falsa e entediante e alguém que odeia partidários de Jair Bolsonaro. A crítica viu o vídeo de maneira negativa, com vídeos respostas de youtubers cristãos famosos. A marca de "não gostei" do youtube chegou à 92 mil.[33]

Em março de 2016 o grupo postou um vídeo intitulado "Delação", onde o mesmo faz sátiras sobre uma suposta parcialidade das investigações da Operação Lava Jato.[34]

Em março de 2017, no vídeo intitulado "Esquerda túnica"[2], Jesus é retratado como um partidário da esquerda política. Ao citar Mateus 19:24, que trata da quase impossibilidade de um rico ir para o céu, é repreendido como "gayzista", "maconheiro" e "comunista", e é sugerido que vá para Cuba.[35]

Já em junho de 2017, o Porta dos Fundos lança um vídeo intitulado "Céu Católico", onde satirizam a doutrina cristã e supostos critérios católicos para se chegar ao céu . A produção gerou polêmica entre internautas. A quantia de "não gostei" no YouTube supera 97 mil. Além disso, uma associação católica entrou com um processo na justiça por causa do vídeo.[36]

Ataque ao estúdioEditar

Na madrugada do dia 24 de dezembro de 2019, a sede da produtora do programa de humor Porta dos Fundos foi atacada com dois coquetéis molotov. O incidente foi associado ao “Especial de Natal Porta dos Fundos: a Primeira Tentação de Cristo”, exibido pela plataforma de streaming Netflix, onde Gregorio Duvivier interpreta o personagem de um Jesus Cristo em um relacionamento homoafetivo com Orlando (Fábio Porchat).[37] O grupo fictício[38] Comando de Insurgência Popular Nacionalista da Família Integralista Brasileira assumiu a autoria da ação;[39] em nota, a Frente Integralista Brasileira nega qualquer ligação com o grupo.[40] Em 31 de dezembro de 2019, a polícia identificou um dos responsáveis pelo incidente, Eduardo Fauzi Richard Cerquise, que se refugiou na Rússia dia 29 de dezembro de 2019;[41] no dia 8 de janeiro de 2020, seu nome foi incluído na lista de difusão vermelha da Interpol após pedido da Justiça do Rio de Janeiro.[42]

O ataque gerou bastante repercussão e controvérsias nas redes sociais, com pessoas, de um lado, condenando esse evento, alegando extremismo religioso e desrespeito à liberdade de expressão e, do outro, lembrando do histórico de polêmicas e processos do grupo Porta dos Fundos em relação a crenças religiosas, especialmente cristãs, flertando com a intolerância religiosa e o discurso de ódio.[43]

Antonio Tabet, em fevereiro de 2021, afirmou que à época do atentado as autoridades policiais disseram que havia cinco suspeitos, mas se tratava de um grupo amador e logo seriam identificados. “Já passou um ano e três meses, e só um foi preso. E a polícia não conseguiu encontrar esses, entre aspas, amadores. O que está acontecendo? Será que alguém os protege? Será que tem alguém impedindo que isso vá para frente? A gente não sabe.[44]

ElencoEditar

PrincipalEditar

Atuais