Abrir menu principal
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Quati.
Quatis
  Município do Brasil  
Símbolos
Bandeira de Quatis
Bandeira
Brasão de armas de Quatis
Brasão de armas
Hino
Lema Quatis, Terra Esperança nossa!
Gentílico quatiense
Localização
Localização de Quatis no Rio de Janeiro
Localização de Quatis no Rio de Janeiro
Quatis está localizado em: Brasil
Quatis
Localização de Quatis no Brasil
Mapa de Quatis
Coordenadas 22° 24' 25" S 44° 15' 28" O
País Brasil
Unidade federativa Rio de Janeiro
Região intermediária[1] Volta Redonda–Barra Mansa
Região imediata[1] Resende
Municípios limítrofes Barra Mansa, Passa-Vinte (MG), Porto Real, Resende e Valença
Distância até a capital 145 km
História
Fundação 25 de novembro de 1991 (28 anos)
Aniversário 25 de novembro
Administração
Prefeito(a) Bruno (MDB, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [2] 286,244 km²
População total (estatísticas IBGE/2017[3]) 13 785 hab.
Densidade 48,16 hab./km²
Clima Tropical de Altitude (Cwa)
Altitude 415 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2010[4]) 0,690 médio
 • Posição RJ: 67º
PIB (IBGE/2012[5]) R$ 184 508 mil
PIB per capita (IBGE/2012[6]) R$ 14 079,20
www.quatis.rj.gov.br (Prefeitura)

Quatis é um município na Microrregião do Vale do Paraíba Fluminense, no estado do Rio de Janeiro, no Brasil. Se emancipou do município de Barra Mansa em 1990, juntamente com os distritos de Falcão e Ribeirão de São Joaquim. Localiza-se a uma latitude 22º24'26" sul e a uma longitude 44º15'29" oeste, estando a uma altitude de 415 metros. Sua população estimada em 2016 é de 13 666 habitantes.

Possui uma área de 286,244 km², dos quais 2,254 km² estão em zona urbana. Possui a seguinte divisão político-administrativa: Quatis (sede), Ribeirão de São Joaquim (2º distrito) e Falcão (3º distrito).

Abriga em sua área rural o Quilombo de Santana, comunidade existente desde o século XIX nas antigas propriedades do Barão de Cajuru e que foram doadas à ex-escravos no ano de 1903.

HistóriaEditar

Até o século XVIII, quando ocorreu a chegada dos primeiros colonizadores de origem portuguesa, a Serra da Mantiqueira, na qual se localiza o município, era território habitado pelos índios puris[7].

O município criado em 1991 foi, a princípio, administrado pelo Conselho Popular de Quatis, presidido pela irmã Elizabeth Alves, enquanto não se fazia eleição para prefeito. Coube a este conselho fazer a ligação entre as necessidades da nossa população e o prefeito de Barra Mansa, até que o Tribunal Regional Eleitoral marcou a primeira eleição para a prefeitura em 3 de outubro de 1992, sendo então eleito José Laerte d'Elias para o período 1993/1996.

O segundo prefeito eleito foi Alfredo José de Oliveira para o período de 1997/2000, sendo substituído por José Laerte d' Elias no período de 2001/2004. Alfredo foi novamente eleito para o mandato 2005/2008. Em 2008, José Laerte D'Elias foi eleito pela terceira vez para o mandato 2009/2012. Atualmente, o prefeito do município é o senhor Bruno de Souza,que foi eleito para o período de 2013 a 2016, e posteriormente, primeiro prefeito reeleito de Quatis, para o período de 2017 a 2020.

Com a eleição do primeiro prefeito, em 1992, foi eleita também a primeira câmara de vereadores, que foi constituída por: Aroldo Cabral, Engrácia Vera Maia Rafael, Rosa Idalina Nunes de Macedo, José Cardoso Fonseca, Geraldo de Souza Marques, Cláudio Luiz de Lima, Altamyr Gomes de Oliveira, Raimundo Valeriano da Silva e Hugo de Elias. Coube a esta Câmara elaborar a nossa Lei Orgânica, promulgada em 30 de junho de 1993, na presidência de Aroldo Cabral.

Com o início da administração própria, houve a municipalização da educação e da saúde.

A principal atividade econômica do município é a agricultura.

Desde o início de 2009, a cidade, assim como sua vizinha Porto Real, sofria com o bloqueio da única ponte que liga os dois municípios. A ponte de estrutura metálica é histórica e foi inutilizada devido a danos críticos causados pelas fortes chuvas que assolaram a região. Desde agosto de 2009, a ponte está sendo reformada e reestruturada, graças a uma parceria firmada entre a prefeitura e o Departamento de Estrada de Rodagem, órgão do Governo do Estado do Rio de Janeiro. A previsão era de que a ponte ficasse pronta até março de 2010, sendo que os motoristas teriam que usar uma rota alternativa, que aumentava em 7 quilômetros o percurso. Hoje, a ponte metálica que liga o Município de Porto Real a Quatis já está concluída. Em Santana estima-se que há 663 pessoas.

DemografiaEditar

A população do município de Quatis, de acordo com a última estimativa realizada pelo IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, referente ao ano de 2014, apresenta os seguintes dados:

  • População masculina: 6 651 habitantes - 49,58%,
  • População feminina: 6 764 habitantes - 50,42%,
    • Total das populações por gênero: 13 415 habitantes - 100,00%.
  • Zona urbana: 12 067 habitantes - 89,95%,
  • Zona rural: 1 348 habitantes - 10,05%,
    • Total da população do município: 13 415 habitantes - 100,00%.

Filhos IlustresEditar

Segurança pública e defesa civilEditar

  • Polícia Militar

O policiamento ostensivo da cidade está a cargo da 3ª Companhia do 37º Batalhão da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (37º BPM/3ªCia), com sede na cidade de Porto Real, contando a cidade com um Destacamento de Policiamento Ostensivo no Centro, além de um Posto de Policiamento Móvel (trailer) no Distrito de Falcão, à beira da RJ-159.

  • Polícia Civil

A responsabilidade pela polícia judiciária no município fica a cargo da 100ª Delegacia de Polícia, localizada na cidade de Porto Real.

  • Corpo de Bombeiros Militar

As atividades de defesa civil, combates à incêndio e resgate desenvolvidos pelo Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro em Quatis é de responsabilidade do 7º Grupamento situado em Barra Mansa.

  • Guarda e Defesa Civil Municipais

A prefeitura também possui uma equipe de defesa civil, para monitoramento e auxílio da população em caso de desastres naturais, bem como mantém uma guarda municipal, responsável pela vigia do patrimônio público e organização do trânsito na cidade.

Referências

  1. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 10 de fevereiro de 2018 
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1º de julho de 2014). «Estimativas da população residente nos municípios brasileiros com data em 1º de julho de 2014» (PDF). Consultado em 7 de setembro de 2014. Cópia arquivada em 7 de setembro de 2014 
  4. Atlas do Desenvolvimento Humano (29 de julho de 2013). «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Consultado em 7 de setembro de 2013. Cópia arquivada (PDF) em 1 de agosto de 2013 
  5. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2012). «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2012 » PIB a preços correntes » Comparação entre os Municípios: Minas Gerais». Consultado em 3 de janeiro de 2015. Cópia arquivada em 3 de janeiro de 2015 
  6. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2012). «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2012 » PIB a preços correntes » Comparação entre os Municípios: Minas Gerais». Consultado em 3 de janeiro de 2015. Cópia arquivada em 3 de janeiro de 2015 
  7. OLIVEIRA, E. S. C. Anais do XV encontro regional de história da ANPUH-Rio. Disponível em http://www.encontro2012.rj.anpuh.org/resources/anais/15/1338164121_ARQUIVO_OParadigmadaExtincao.pdf. Acesso em 7 de junho de 2013.

Ligações externasEditar