Raimundo Nonato Bona

político brasileiro
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados de Raimundo Nonato, veja Raimundo Nonato (desambiguação).

Bona Carboreto
Carbureto com Mão Santa e Adalgisa Moraes Souza.
Vereador Campo Maior Campo Maior
Período 1977-1989
Prefeito Campo Maior Campo Maior
Período 1989-1993, 2001-2005
Deputado estadual  Piauí
Período 1995-1999
Dados pessoais
Nascimento 29 de agosto de 1946 (74 anos)
Campo Maior
Cônjuge Ivone Bona (já separados)
Partido ARENA, PDS, PFL, PDT, PMDB
Profissão agropecuarista, comerciante
Assinatura Assinatura de Raimundo Nonato Bona

Raimundo Nonato Bona (Campo Maior, 29 de agosto de 1946) é um agropecuarista, comerciante e político brasileiro. Conhecido pelo apelido de Carboreto, foi prefeito de sua cidade natal por duas vezes.

Antiga caixa dágua do tempo da gestão de Carbureto como prefeito de Campo Maior nos anos de 2001 a 2004.

BiografiaEditar

 
Convite em que o prefeito de Campo Maior, Raimundo Nonato Bona, o Carbureto, convida para inauguração da sede da Biblioteca Municipal de Campo Maior, em 2004.

Filho de José Bona e Delsuíta Correia Bona, trabalhou como agropecuarista e comerciante antes de ingressar na ARENA e depois no PDS sendo eleito vereador em 1976 e 1982 chegando ao cargo de residente da Câmara Municipal no biênio 1977-1979.[1]

Em 1986 foi eleito suplente de deputado estadual pelo PFL e em 1988 foi eleito prefeito de Campo Maior pelo PDT.[1] Findo o mandato ingressou no PMDB e em 1994 foi eleito deputado estadual no pleito das Eleições estaduais no Piauí em 1994 afastando-se do mandato para ocupar a Secretaria de Programas Especiais no primeiro governo Mão Santa.[2]

Devido a questões judiciais não pôde disputar um novo mandato parlamentar em 1998 e no segundo turno da referida eleição aderiu ao senador Hugo Napoleão (PFL) como candidato a governador em detrimento do governador Mão Santa, embora não tenha abandonado o PMDB. Em 2000 Carboreto foi eleito prefeito de Campo Maior pela segunda vez tendo a mãe como vice-prefeita,[2] não se reelegendo em 2004, mesmo ano que seu filho Raimundo Nonato Bona Júnior, perdeu a eleição para prefeito no município de Sigefredo Pacheco.[3]

Foi derrotado ao disputar um mandato de deputado estadual em 2006, de prefeito de Campo Maior em 2008 e de deputado federal em 2010.[2]

Referências

  1. a b SANTOS, José Lopes dos. Piauí: A Força do Poder Municipal. v. III. Teresina: Gráfica Mendes, 1989.
  2. a b c «Tribunal Regional Eleitoral do Piauí: acervo eletrônico». Consultado em 26 de outubro de 2012 
  3. FORTES, Heráclito. Resultado oficial das eleições no Piauí. Brasília, Senado Federal, 2004.


Precedido por
César Melo
Prefeito de Campo Maior
1989-1993
Sucedido por
Marco Bona

Precedido por
Antonio Lustosa
Prefeito de Campo Maior
2001-2003
Sucedido por
Delsuíta Bona

Precedido por
Delsuíta Bona
Prefeito de Campo Maior
2003-2004
Sucedido por
João Félix
  Este artigo sobre um político é um esboço relacionado ao Projeto Biografias de Políticos. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.