Abrir menu principal

Ricardo Kirk

Avidor e militar brasileiro
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde julho de 2018). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Capitão Kirk
Exército Brasileiro
Nome completo Ricardo Kirk
Dados pessoais
Nascimento 1874 Campos dos Goytacazes
Morte 1 de março de 1915 (41 anos) General Carneiro
Nacionalidade brasileiro
Vida militar

Ricardo Kirk (Campos dos Goytacazes, 1874General Carneiro, 1 de março de 1915) foi um militar brasileiro, primeiro oficial aviador do Exército Brasileiro.

O tenente Kirk nasceu na cidade de Campos, no Rio de Janeiro, no ano de 1874; matriculou-se na Escola Militar em 1891; foi promovido a alferes em novembro de 1893 e a primeiro-tenente em março de 1898 e capitão, post-mortem, em 1915.

É considerado o patrono da Aviação do Exército Brasileiro.

Índice

HistóriaEditar

Kirk foi o primeiro oficial do Exército Brasileiro a aprender a pilotar aviões. Foi brevetado em 22 de outubro de 1912, na École d'Aviation d'Etampes[1], na França. Ao retornar para o Brasil, participou do nascimento do Aeroclube Brasileiro, onde desempenhou o cargo de Diretor Técnico[2].

Ao deflagrar a Guerra do Contestado, na divisa do Paraná com Santa Catarina, o tenente Ricardo Kirk foi convocado pelo general Setembrino de Carvalho para conduzir operações aéreas em apoio às operações terrestres, tendo executado basicamente missões de reconhecimento.

Três monoplanos foram deslocados para a área de conflito, estacionados no campo de aviação de União da Vitória, sob o comando do tenente Ricardo Kirk; o outro aviador era o civil italiano Ernesto Darioli. Esses três aviões, assim como o que foi destruído no transporte ferroviário, entre o Rio de Janeiro e a cidade de União da Vitória, pertenciam ao remanescente da flotilha da "Escola Brasileira de Aviação", que já havia funcionado no Campo dos Afonsos, em 1914, ou eram aviões cedidos pelo Aeroclube Brasileiro.

 
Oficiais do Exército Brasileiro, dentre eles o general Setembrino de Carvalho, ao centro com a mão na cintura, e o tenente Ricardo Kirk a seu lado usando o capacete, em Porto União, região do Contestado.

Em 1º de março de 1915, cumprindo uma dessas missões, sob condições desfavoráveis de visibilidade, Kirk teve uma pane mecânica que associada às condições meteorológicas marginais, acabou levando ao acidente que o vitimou.[3]

No local do acidente, as margens da rodovia que leva União da Vitória a Caçador, no município de General Carneiro, foi erigido um monumento denominado "Cruz do Aviador". Inicialmente constava apenas de uma cruz de madeira, feita pelo camponês que socorreu o aviador acidentado. Rústica, feita de dormentes da Ferrovia do Contestado com o nome de Kirk entalhado a faca, permanece até hoje lembrando o infortúnio do primeiro acidente fatal de um aviador brasileiro. Em 05 de outubro de 1980, foi inaugurado um monumento no local pela prefeitura de General Carneiro, com a construção de uma estrutura de concreto armado simbolizando um o avião de Ricardo Kirk ao redor da cruz de dormentes. Em 10 de março de 2002, o Comando de Aviação do Exército erigiu no local um busto em bronze do aviador.

Em outubro de 1943, os restos mortais do tenente Kirk foram transladados para o Mausoléu dos Aviadores, no cemitério São João Batista, no Rio de Janeiro. Em 1996 foram transladados para monumento em sua homenagem, erguido no Comando de Aviação do Exército, em Taubaté - SP.

No vértice nordeste do Campo dos Afonsos, existe uma colina denominada Ricardo Kirk, em homenagem ao bravo precursor da Aviação Militar; essa colina acha-se, hoje, muito diminuída por excessivos desmontes.[4]

Ver tambémEditar

Referências

Ligações externasEditar