Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde maio de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Rio Solimões
Manaus Encontro das aguas 10 2006 105 xoom8x6.jpg

Rio Solimões (de águas claras) no ponto de "encontro das águas" com o rio Negro

Localização
Continente
País
Parte de
Coordenadas
Dimensões
Comprimento
1.700 km
Hidrografia
Tipo
Bacia hidrográfica
Área da bacia
2 200 000 km2Visualizar e editar dados no Wikidata
Afluentes
principais
Caudal médio
100 000 m3/sVisualizar e editar dados no Wikidata
Foz

Rio Solimões é um nome brasílico frequentemente dado ao trecho superior do Rio Amazonas no Brasil desde sua confluência com o Rio Negro até a tríplice fronteira do Brasil com o Peru e a Colômbia, o nome foi dado pelos cronistas ibéricos na época do descobrimento por não possuírem de conhecimento e equipamentos suficientes para a navegação na região, a fim de facilitar suas entradas no reconhecimento das regiões compreendidas pelo grande rio. As razões da alcunha ainda são incertas, apenas é sabido que uma nação ameríndia vulgarmente alcunhada por cronistas lusófonos de “Soriman”, corrompida como “Solimao” ou “Solimum”, deu a este trecho o nome do rio e região do Estado do Amazonas. Em algumas literaturas é aceito o uso da palavra “rio” anterior à “Solimões”, outras no entanto apenas usa somente o termo “Solimões”, mas universalmente em muitas literaturas usa-se o nome “Amazonas” reconhecida como nome único deste rio. Tem como afluentes da margem direita os rios Javari, Jutaí, Juruá e Purus na margem esquerda os rios Içá e Japurá e percorre os municípios de São Paulo de Olivença, Amaturá, Santo Antônio do Içá, Tonantins, Jutaí, Fonte Boa, Alvarães, Tefé, Coari, Codajás, Anamã, Anori, Manacapuru, totalizando aproximadamente 1.700 km até chegar a Manaus, onde ao encontrar o rio Negro, recebe novamente o nome de rio Amazonas.

Índice

Origem do nomeEditar

O rio Solimões recebe esse nome devido aos povos que habitavam as suas margens e foram descritos pelos primeiros cronistas espanhóis e portugueses no século XVI. Em suas margens, entre os atuais municípios de Coari e Anamã, havia as tribos do Yurimáguas.[nota 1] Esses mesmos povos receberam diversas variações ao longo dos séculos e cada cronista os nomeava de forma diferente como: Joriman,[nota 2] Sorimões, [nota 3] e Sorimão. [nota 4]

As derivações de Sorimão, Sorimões e Solimões vêm da palavra Solimum do latim, em referência ao veneno utilizado nas pontas de flechas e dardos daqueles povos.[nota 5] Por ser uma das sociedades mais belicosas do rio Solimões, [nota 6] teve seu destaque nas pontas de flechas envenenadas, dando origem ao nome do rio.

AfluentesEditar

Nesta tabela estão os principais afluentes do rio Solimões, sendo do sentido oeste para leste, desde a cidade de Tabatinga até Manaus.

O rio Solimões e seus afluentes
Foz País Extensão (km) Coord.
Rio Solimões Rio Amazonas   Brasil 1.700
- Rio Javari Rio Solimões   Peru -   Brasil 1.050 7° 08′ S, 73° 49′ O
- - Rio Curuça Rio Javari   Brasil 530 6° 42′ S, 72° 42′ O
- - Rio Itui Rio Javari   Brasil 480 6° 54′ S, 72° 10′ O
- Rio Jandiatuba Rio Solimões   Brasil 500 6° 05′ S, 70° 41′ O
- Rio Putumayo (ou Rio Içá) Rio Solimões   Colômbia -   Equador -   Peru -   Brasil 1.610 1° 15′ N, 76° 55′ O
- - Rio Igara Paraná Rio Putumayo   Colômbia 430 0° 24′ S, 73° 39′ O
- Rio Jutaí Rio Solimões   Brasil 1.050 6° 18′ S, 70° 49′ O
- - Rio Zinho Rio Jutaí   Brasil 430 5° 21′ S, 67° 55′ O
- - Rio Bia Rio Jutaí   Brasil 470 5° 48′ S, 68° 22′ O
- - Rio Mutum Rio Jutaí   Brasil 320 6° 00′ S, 68° 50′ O
- Rio Juruá Rio Solimões   Peru -   Brasil 3.100 10° 09′ S, 73° 15′ O
- - Rio Gregório Rio Juruá   Brasil 350 8° 59′ S, 72° 04′ O
- Rio Caqueta-Japurá Rio Solimões   Colômbia -   Brasil 2.820 1° 55′ N, 76° 40′ O
- - Rio Apaporis Rio Caquetá   Colômbia -   Brasil[nota 7] 770 1° 00′ N, 72° 20′ O
- - Rio Cahuinari Rio Caquetá   Colômbia 400 0° 35′ S, 72° 54′ O
- - Rio Yarí Rio Caquetá   Colômbia 530 2° 37′ N, 74° 55′ O
- - Rio Caguan Rio Caquetá   Colômbia 470 2° 38′ N, 74° 59′ O
- Rio Tefé Rio Solimões   Brasil 450 5° 44′ S, 66° 32′ O
- Lago de Coari Rio Solimões (d)   Brasil 530 6° 12′ S, 66° 31′ O
- Rio Badajós Rio Solimões   Brasil 220 3° 44′ 07″ S, 62° 17′ 15″ O
- Rio Purus Rio Solimões   Peru -   Brasil 3.379 10° 50′ S, 72° 28′ O
- - Rio Ipixuna Rio Purus   Brasil 370 7° 59′ S, 63° 27′ O
- - Rio Tapauá Rio Purus   Brasil 640 7° 10′ S, 67° 45′ O
- - Rio Mucuim Rio Purus   Brasil 350 8° 51′ S, 64° 28′ O
- - Rio Ituxi Rio Purus   Brasil 640 10° 07′ S, 67° 35′ O
- - Rio Sepatini Rio Purus   Brasil - 8° 47′ S, 67° 02′ O
- - Rio Pauini Rio Purus   Brasil 450 8° 26′ S, 69° 38′ O
- - Rio Acre Rio Purus   Brasil 680 10° 56′ S, 70° 31′ O
- - Rio Iaco Rio Purus   Peru -   Brasil 480 10° 57′ S, 71° 00′ O
- - Rio Chandless Rio Purus   Peru -   Brasil 370 10° 57′ S, 71° 35′ O
- Rio Manacapuru Rio Solimões   Brasil 171 3° 16′ 42″ S, 60° 51′ 10″ O

Notas

  1. O padre Samuel Fritz foi o responsável pela catequização dos Yurimáguas no século XVI
  2. Relatos de Laureano de La Cruz em 1653
  3. Relatos de Maurício de Heriarte em 1662
  4. Relatos de Sampaio em 1775
  5. Antonio Porro. O Povo das Aguas: ensaios de etno-história amazônica. Editora Vozes, 1981.
  6. Cristobal de Acuña em 1641 descreve os Yurimáguas como sendo uma das sociedades mais belicosas daquelas águas e suas margens eram densamente povoadas
  7. O rio Apaporis não corre pelo Brasil, mas no seu baixo curso forma uma fronteira natural, de menos de 50 km, entre Colômbia e Brasil.

Ver tambémEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Rio Solimões
  Este artigo sobre Geografia do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.