Roma (couraçado de 1907)

O Roma foi um navio couraçado pré-dreadnought operado pela Marinha Real Italiana e a terceira embarcação da Classe Regina Elena, depois do Regina Elena e Vittorio Emanuele e seguido pelo Napoli. Sua construção começou em setembro de 1903 no Arsenal de La Spezia e foi lançado ao mar três anos e meio depois em abril de 1907, sendo finalizado e comissionado na frota italiana em dezembro de 1908. Era armado com uma bateria principal de dois canhões de 305 milímetros montados em duas torres de artilharia simples, tinha um deslocamento de quase catorze mil toneladas e conseguia alcançar uma velocidade máxima de 22 nós (41 quilômetros por hora).[1]

Roma
 Itália
Operador Marinha Real Italiana
Fabricante Arsenal de La Spezia
Homônimo Roma
Batimento de quilha 20 de setembro de 1903
Lançamento 21 de abril de 1907
Comissionamento 17 de dezembro de 1908
Descomissionamento 3 de setembro de 1926
Destino Desmontado
Características gerais
Tipo de navio Couraçado pré-dreadnought
Classe Regina Elena
Deslocamento 13 993 t (carregado)
Maquinário 2 motores de tripla-expansão
28 caldeiras
Comprimento 144,6 m
Boca 22,4 m
Calado 8,58 m
Propulsão 2 hélices
- 21 970 cv (16 200 kW)
Velocidade 22,1 nós (41 km/h)
Autonomia 10 000 milhas náuticas a 10 nós
(18 520 km a 19 km/h)
Armamento 2 canhões de 305 mm
12 canhões de 203 mm
16 canhões de 76 mm
2 tubos de torpedo de 450 mm
Blindagem Cinturão: 250 mm
Torres de artilharia: 200 mm
Convés: 38 mm
Torre de comando: 250 mm
Tripulação 742 a 764

O Roma passou seus primeiros anos de serviço participando principalmente de exercícios junto com seus irmãos e o restante da frota italiana no Mar Mediterrâneo.[2] A embarcação lutou na Guerra Ítalo-Turca de 1911 e 1912,[3] participando de um ataque contra Bengasi e de operações anfíbias nas ilhas de Rodes e Dodecaneso.[4] O navio também serviu na Primeira Guerra Mundial, porém não entrou em combate por políticas navais cautelosas por parte dos italianos e também de seus inimigos, a Marinha Austro-Húngara.[5] O Roma permaneceu junto com a Marinha Real depois do final do conflito, porém acabou removido do serviço em setembro de 1926 e desmontado.[1]

Referências

  1. a b Gardiner 1979, p. 344
  2. Brassey 1908, p. 52
  3. Beehler 1913, p. 9
  4. Beehler 1913, pp. 27, 74–76
  5. Halpern 1995, pp. 141–142

Bibliografia editar

  • Beehler, William Henry (1913). The History of the Italian-Turkish War: September 29, 1911, to October 18, 1912. Annapolis: Naval Institute Press. OCLC 1408563 
  • Brassey, Thomas A. (1908). The Naval Annual. Portsmouth: J. Griffin & Co. 
  • Gardiner, Robert (1979). Conway's All the World's Fighting Ships: 1860–1905. Annapolis: Conway Maritime Press. ISBN 0-85177-133-5 
  • Halpern, Paul G. (1995). A Naval History of World War I. Annapolis: Naval Institute Press. ISBN 1-55750-352-4 

Ligações externas editar

  Este artigo sobre tópicos navais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.