São Jorge do Patrocínio

Disambig grey.svg Nota: Para outras cidades com este nome, veja São Jorge (desambiguação).

São Jorge do Patrocínio é um município brasileiro do estado do Paraná, localizado na região noroeste do estado. Está distante 85 km de Umuarama, 250 km de Maringá, 180 km de Cascavel e 698 km da Capital Curitiba. Possui uma altitude de 372 metros acima do nível do mar; Área de 361,853 km². Possui um clima subtropical, úmido mesotérmico, sem estação seca definida. O solo da região é originado da formação Arenito Caiuá, situado dentro da barra do Rio Paraná, que possui dois afluentes que correm nas divisas do Município, Ribeirão São João, ao sul e Rio Paracai ao norte.

São Jorge do Patrocínio
  Município do Brasil  
Paço Municipal
Paço Municipal
Símbolos
Bandeira de São Jorge do Patrocínio
Bandeira
Brasão de armas de São Jorge do Patrocínio
[[Brasão|Brasão de armas]]
Hino
Gentílico patrocinense
Localização
Localização de São Jorge do Patrocínio no Paraná
Localização de São Jorge do Patrocínio no Paraná
Mapa de São Jorge do Patrocínio
Coordenadas 23° 44' 27" S 53° 55' 37" O
País Brasil
Unidade federativa Paraná
Região metropolitana Umuarama
Municípios limítrofes Altônia, Pérola, Esperança Nova, Alto Paraíso
Distância até a capital 659[1] km
História
Fundação 22 de junho de 1981 (39 anos)
Aniversário 22 de junho
Administração
Prefeito(a) Jose Carlos Baraldi (PSD, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [2] 404,689 km²
População total (Censo IBGE/[2010[3]) 6 047 hab.
Densidade 14,9 hab./km²
Clima subtropical (Cfa)
Altitude 274 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2000[4]) 0,701 alto
PIB (IBGE/2008[5]) R$ 44 576,878 mil
PIB per capita (IBGE/2008[5]) R$ 7 267,18

HistóriaEditar

Em 1940, o Estado do Paraná devia serviços ferroviários à empresa inglesa Byington, como pagamento, foi cedida uma área de terra que abrangia os atuais municípios de Iporã, Pérola, Altônia, São Jorge do Patrocínio, Esperança Nova e Xambrê.

A empresa Byington então dividiu essa área em pequenos lotes de 1 a 20 alqueires paulistas, que foram comprados pelas pessoas que trabalham como parceiros e porcenteiros nas propriedades de café na região norte do Estado e que passaram a ser mão – de – obra ociosa, na década de 1950, com a derrocada do café naquela região.

No início da década de 1960, começaram a chegar a esta localidade os primeiros moradores, atraídos pelo solo fértil, para exploração agrícola, principalmente para o café. Em 1968, foi criado o Município de Altônia, que abrangia o povoado de São Jorge. Um fato marcante foi à participação da igreja Católica na organização das primeiras comunidades. Instalada em fevereiro de 1976, é elevado a Categoria de Distrito pela lei estadual n.º 6964, de 20 de dezembro de 1977.

 
Paróquia Imaculada Conceição (1973)

Então liderados pelo Padre Ernesto Pereira, o povo do distrito de São Jorge, depois de muita luta, consegui elevá-lo à Categoria de Município. Emancipado politicamente pela lei estadual n.º 7474, de 22 de junho de 1981, foi desmembrado de Altônia e reconhecido oficialmente em primeiro de fevereiro de 1983, passando a se chamar de São Jorge do Patrocínio. Com sua instalação e posse do primeiro Prefeito Municipal, Aparecido Faleiros de Souza e da primeira Câmara de Vereadores.



GeografiaEditar

Localiza-se a uma latitude 23º49'42" sul e a uma longitude 49º25'45" oeste, estando a uma altitude de 274 metros. Sua população estimada em 2005 era de 5.017 habitantes.

Possui uma área de 405 km², representando 0.203 % do estado, 0.0718 % da região e 0.0048 % de todo o território brasileiro

DemografiaEditar

Dados do Censo - 2000

População total: 4.561

  • Urbana: 2.633
  • Rural: 1.928
  • Homens: 2.224
  • Mulheres: 2.337

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,712

  • IDH-M Renda: 0,668
  • IDH-M Longevidade: 0,684
  • IDH-M Educação: 0,798

AdministraçãoEditar

  • Prefeito: José Carlos Baraldi (2017/2020)
  • Vice-Prefeito: Ronaldo Tinti

Meio Ambiente e SustentabilidadeEditar

São Jorge do Patrocínio é uma referência na proteção do meio ambiente, na conservação dos recursos naturais e no desenvolvimento sustentável. Em seu município fica localizada a sede do Consórcio Intermunicipal para Conservação do Remanescente do Rio Paraná e Áreas de Influência (CORIPA), primeiro consórcio intermunicipal do Brasil a atuar na conservação da biodiversidade.[6]

Resíduos SólidosEditar

Possui 100% da área urbana do município coberta pela coleta seletiva e em algumas comunidades da zona rural possui também PEVs (pontos de entrega voluntária). Os resíduos sólidos recicláveis são encaminhados para uma central de triagem e depois encaminhados para a reciclagem. O resíduos não recicláveis são encaminhados para um aterro sanitário modelo construído pioneiramente em 2008.[6]

Recursos HídricosEditar

A captação da água da chuva já é uma realidade em alguns prédio públicos como no pátio municipal, onde a água é utilizada para lavar veículos e máquinas, assim como nas escolas que utilizam a água da chuva para regar hortas. Todas os rios do município estão isolados e protegidos em cumprimento à legislação que estipula as áreas de preservação permanente (Código Florestal Brasileiro) e a maior parte dessas estão em processo regenerativo.[6]

BiodiversidadeEditar

O município possui três unidades de conservação: uma APA Municipal, criada em 1994, o Parque Nacional de Ilha Grande e a Área de Proteção Ambiental das Ilhas e Várzeas do Rio Paraná, ambas criadas em 1997. Estas unidades de conservação representam 60% da área do território municipal e o ICMS Ecológico gerado por elas representa 30% de sua arrecadação tributária. Inclusive, São Jorge do Patrocínio ao receber o ICMS Ecológico desde o início da década de 90, foi um dos municípios pioneiros no estado do Paraná e do Brasil a receber pagamento por serviços ambientais, antes mesmo deste termo ter sido cunhado. Em 2007 foi o município que mais arrecadou ICMS Ecológico no estado Paraná sendo R$ 2.878.333,01 exclusivamente pela conservação da biodiversidade dos ecossistemas associados à planície de inundação do rio Paraná e arquipélago de Ilha Grande.

 
Acesso à Praia do Paracaí no Parque Nacional de Ilha Grande em São Jorge do Patrocínio

Proteção aos AnimaisEditar

Desde 2008 o município conta com um Centro de Zoonoses onde são recolhidos animais domésticos feridos, abandonados ou que sofreram maus tratos. O trabalho inclui recolhimento, alimentação, tratamento de doenças e ferimentos e ainda a castração. A prevenção de zoonoses é amparada pela Lei Municipal No 1.220/2008. Um programa de conscientização, doação de rações e medicamentos e de adoção de animais também é realizado com a população.[6]

Referências

  1. «Distâncias entre a cidade de Curitiba e todas as cidades do interior paranaense». EmSampa. Consultado em 22 de setembro de 2017 
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  6. a b c d Oliveira, Marina (22 de fevereiro de 2017). «São Jorge do Patrocínio desponta como modelo para centros urbanos». Medium (em inglês). Consultado em 30 de julho de 2020 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre municípios do estado do Paraná é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.