Abrir menu principal

Quirino de Neuss

(Redirecionado de São Quirino de Neuss)
São Quirino
São Quirino e Santa Balbina, sua filha.
Nascimento  em Roma(provavelmente)
Morte 116 ou 117? em Roma
Veneração por Igreja Católica
Principal templo Neuss
Festa litúrgica 30 de março;[1] 30 de abril
Atribuições roupa militar; cavaleiro com lança, espada, falcão; bandeira ou flâmula com nove bolas.[2]
Padroeiro Neuss, Alemanha; Correggio, Itália; invocado contra a peste bubônica, varíola e gota; doenças relacionadas às pernas, pés e orelhas; paralisias; úlceras; doenças de pele; bócio; doenças que afetam o gado bovino e equino;[1] padroeiro dos animais;[3] padroeiro dos cavaleiros e soldados.[4]
Gloriole.svg Portal dos Santos

São Quirino de Neuss (em alemão: Quirin, Quirinus), por vezes chamado de São Quirino de Roma (nome que ele partilha com outro mártir), ou apenas São Quirino, ou São Cirino, é venerado como mártir e santo tanto pela Igreja Católica quanto pela Igreja Ortodoxa. Seu culto tinha como centro a cidade de Neuss, na Alemanha, embora tenha sido um mártir romano.

De acordo com a Catholic Encyclopedia, um mártir romano chamado Quirino teria sido enterrado na catacumba de Prætextatus, na Via Ápia. O Martyrologium Hieronymianum[5] menciona o nome de Quirino e o local onde estaria enterrado. Os Itinerários das sepulturas dos mártires romanos[6] também mencionam estas informações.[7]

O Martyrologium Hieronymianum o comemora no dia 30 de abril, data que aparece no catálogo de mártires romanos do século IV.[7]

LendaEditar

Quirino é introduzido nos lendários Atos dos Santos Alexandre e Balbina, onde é descrito como um tribuno romano.[8] Teria sido decapitado em 116. Outras lendas afirmam que seria um tribuno romano responsável por ter executado Alexandre, Evêncio e Teodolo, presos por ordem do imperador romano Trajano.[3] Quirino se converte então ao cristianismo, depois de testemunhar milagres sendo executados por estes três santos, e é batizado, juntamente com sua filha, Balbina.[3] Sofreu o martírio em 30 de março, quando foi decapitado e enterrado na catacumba de Prætextatus, na Via Ápia.

CultoEditar

 
Relicário contendo os restos de Quirino, em Neuss.

Ado, arcebispo de Vienne, na Lotaríngia, colocou o nome do santo em sua Martiriologia, sob a data 30 de março, data em que também é encontrado na Martiriologia Romana[9] Para o dia 30 de abril, a Martiriologia Romana declara: “Item Romae in coemetério Praetextáti via Appia, sancti Quirini mártyris, qui tribúnus confessiónem fídei martyrio coronávit.”[3]

De acordo com um documento de Colônia que data de 1485, o corpo de Quirino teria sido doado em 1050 pelo Papa Leão IX a uma abadessa de Neuss chamada Gepa (que também é chamada de "uma irmã do papa").[3] Desta maneira as relíquias chegaram até à Igreja de São Quirino (Quirinus-Münster), de estilo romanesco, em Neuss. Uma estátua de Quirino localiza-se no topo do edifício, que Jean-Baptiste Bernadotte tentou saquear durante as Guerras Napoleônicas.[10]

Os habitantes da cidade oraram a ele por ajuda durante o cerco de Neuss feito por Carlos, o Audaz, ocorrido entre 1474 e 1475.[1][3] Seu culto se espalhou a Colônia, à Alsácia, Escandinávia, Alemanha ocidental, Países Baixos e Itália, onde se tornou o santo padroeiro de Correggio.[3] Diversas fontes e nascentes foram dedicadas a ele, e foi invocado durante epidemias de peste bubônica, varíola e gota; também é considerado um padroeiro dos animais.[3] Peregrinos que visitam Neuss costumam procurar a Quirinuswasser ("água de Quirino"), da Quirinusbrunnen ("fonte de Quirino").[10]

Um ditado popular entre os fazendeiros de Neuss relacionado ao dia de São Quirino, em 30 de março, diz "Wie der Quirin, so der Sommer" ("Assim como [o dia de São] Quirino se vai, também se vai o verão").[1]

Juntamente com Huberto, Cornélio e Antônio, é venerado como um dos Quatro Marechais Sagrados ('Vier Marschälle Gottes) na região da Renânia.[1][11][12] Retratos de São Quirino e São Valentim aparecem no topo do recto das Crônicas de Nuremberg (Folio CXXII [Genebra]).[13]

Referências

  1. a b c d e Quirinus von Rom (von Neuss) - Ökumenisches Heiligenlexikon
  2. Nove em referência a uma interpretação latina do nome de Neuss, Novesia, de novem, "nove".
  3. a b c d e f g h San Quirino - Santiebeati.it
  4. Kleidung - Filzkappe - Diu Minnezît
  5. ed. De Rossi-Duchesne, 52
  6. Giovanni Battista de Rossi, "Roma sotterranea", I, 180-1
  7. a b Sts. Quirinus - Catholic Encyclopedia
  8. Dufourcq, loc. cit., 175.
  9. Quentin, "Les martyrologes historiques", 490.
  10. a b QUIRINUS von Neuss
  11. marschaelle
  12. «Die Kapelle». Consultado em 10 de abril de 2010. Arquivado do original em 11 de fevereiro de 2012 
  13. Lot Detail Arquivado em 17 de julho de 2011, no Wayback Machine. - Old World Auctions

BibliografiaEditar

  • Bader, Walter. St Quirinus zu Neuss. 1955
  • Dufourc, Albert. Étude sur les Gesta martyrum romains, Volume 83, Edição 1. Bibliothèque des écoles françaises d'Athènes et de Rome. A. Fontemoing, 1900
  • Quentin, Henri. Les martyrologes historiques du moyen age: étude sur la formation du Martyrologe Romain. Paris: Librair̀ie Victor Lecoffre, 1908
  • Tauch. Max. Quirinus von Neuss. 2000, ISBN 3-8790-9692-9
  • Wessels, Helmut. Neuss und St. Quirin zu Fuß. 2004, ISBN 3-761-61801-8, Engl. ISBN 3-761-61956-1)
  • Wimmer, Erich. Qurinus von Neuss. in Lexikon für Theologie und Kirche (LThK) Bd. 8

Ligações externasEditar