Abrir menu principal

Wikipédia β

Sérgio Wágner Valentin

Sérgio Wagner Valentin, mais conhecido como Sérgio ou Sérgio Valentin (Chavantes, 22 de maio de 1945), é um ex-futebolista brasileiro, que atuava como goleiro. Ele também foi técnico de futebol. Atualmente é comentarista esportivo.

Sérgio Valentim
Informações pessoais
Nome completo Sérgio Wágner Valentim
Data de nasc. 22 de maio de 1945 (72 anos)
Local de nasc. Chavantes (SP), Brasil
Nacionalidade brasileira
Informações profissionais
Equipa atual Aposentado
Posição Treinador (ex-Goleiro)
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1965-1966
1966
1967
1968
1969-1974
1974
1975-1976
1977
1979
Brasil São José-SP
Brasil São Paulo
Brasil Taubaté
Brasil Paulista
Brasil São Paulo
Brasil Ferroviária
Brasil Corinthians
Brasil Coritiba
Brasil São José-SP
00?? 00(0)
00?? 00(0)
00?? 00(0)
00?? 00(0)
0202 00(0)
00?? 00(0)
0061 00(0)
00?? 00(0)
00?? 00(0)
Seleção nacional
1972 Brasil Brasil 00 100(0)
Times/Equipas que treinou
1990-1991
19??
1999
2000-2001
2001
Brasil Grêmio Santanense
Brasil Jacareí
Brasil Taubaté
Brasil São José-SP
Brasil Taubaté





CarreiraEditar

Sérgio começou no futebol nas categorias de base do Rhodosá, de onde seguiu para o São José. Foi profissionalizado em 1964, mesmo ano em que a agremiação se tornou profissional, disputando o Campeonato Paulista da Terceira Divisão. Ele foi um dos destaques do clube, que se sagrou campeão ao superar na final a Associação Bancária de Esportes, atual Fernandópolis. Em 1965, novo título conquistado, ao ser campeão da Segunda Divisão (na época, o terceiro nível do futebol estadual).[1]

O bom desempenho no clube joseense levou-o a ser contratado pelo São Paulo em 1966, numa tentativa da diretoria de reforçar o elenco para sair do longo jejum sem títulos. Naquele ano, atuou no campeonato de aspirantes e, com o empréstimo de Gilberto, foi promovido a terceiro goleiro do time principal, atrás de Fábio e Suli. O então técnico são-paulino, Aymoré Moreira, considerava que o arqueiro tinha potencial para ser ídolo do clube, se não fosse "atacado pela 'máscara'".[2] Porém, acabou sendo emprestado para o Taubaté, em 1967, e para o Paulista de Jundiaí, em 1968.

Retornou ao São Paulo em 1969 e foi bicampeão paulista, em 1970 e 1971. Jogou 202 partidas e sofreu 147 gols.[3]

Apelidado pela torcida são-paulina de "São Sérgio", pelas defesas difíceis que fez em jogos decisivos,[4] acabou convocado pelo técnico Zagallo para a Seleção Brasileira que disputou a Taça Independência, em 1972, reunindo selecionados de todo mundo no Brasil. O selecionado nacional foi campeão ao superar a Portugal na final. Sérgio atuou apenas em uma partida, em um amistoso contra a Seleção Gaúcha em 17 de julho.[1]

Em 1975, Sérgio foi contratado pelo Corinthians, mas não teve o mesmo sucesso. Num dos primeiros jogos, contra a Portuguesa, quebrou o braço e demorou a se recuperar. Ficou no Corinthians até 1976, quando perdeu a vaga para Tobias.[4] Sem uma boa passagem pelo time corintiano, foi negociado com o Coritiba em 1977. O goleiro foi envolvido numa negociação que levou o goleiro Jairo do Nascimento, ídolo do "Coxa", para o clube paulista. Sérgio foi titular da equipe paranaense na campanha do vice-campeonato paranaense de 1977.[5]

Sérgio encerrou a carreira em 1979, quando defendeu o São José, clube que o projetara para o futebol, fazendo parte do elenco que disputou o Campeonato Paulista da Divisão Intermediária.[6]

TécnicoEditar

Sérgio Valentin teve sua primeira oportunidade como técnico em 1990, no Grêmio Santanense, de São José dos Campos. Ele comandou a equipe no Campeonato Paulista da Terceira Divisão (Atual Série A-3) naquele ano e em 1991.[7] Também teve uma passagem no comando técnico do Jacareí.

Já em 1999 foi preparador de goleiros do Taubaté durante a Série A-3. Com a saída do técnico Édson Boaro do clube, foi efetivado na função.[8] Levou o clube ao quadrangular semifinal da competição, sem conseguir acesso, e à semifinal da então recém-criada Copa Estado de São Paulo, mas foi demitido ao término do torneio.[9]

No final de 2000, foi anunciado pelo presidente do São José, José Luiz de Almeida, como novo técnico para a disputa do Campeonato Paulista da Série A2,[10] mas no início de janeiro de 2001, antes do começo da competição, foi demitido, após divergências com a diretoria sobre seu vínculo empregatício com o clube.[11]

Em março de 2001, o Taubaté contratou-o para a sequência do Campeonato Paulista da Série A-3, após a saída de Paulo Cézar Catanoce.[12] Porém, discordâncias com a diretoria levaram a pedir demissão no fim daquele mês.[13]

Referências

  1. a b Alberto Simões. «Sérgio Valentim». Museu dos Esportes SJC. Consultado em 16 de setembro de 2015 
  2. «Aimoré [sic] já conta com Tenente mas Dias poderá ficar fora». Diário Popular (26 208): 14, segundo caderno. 18 de agosto de 1966 
  3. Michel Serra (14 de dezembro de 2014). «Ranking histórico: Clube dos 100». São Paulo FC.net. Consultado em 16 de setembro de 2015 
  4. a b «Sérgio Valentim». Terceiro Tempo. Consultado em 16 de setembro de 2015 
  5. Revista Placar (Milton Ivan). Pág. 60. 25-03-1977
  6. Revista Placar (Maurício Cardoso). Pág. 22. 24-08-1979
  7. Revista Placar. Pág. 35. 06-07-1990
  8. Folha de S. Paulo (Folha Vale). Pág. 7. 02-06-1999
  9. ValeParaibano. Pág. 15. 27-11-1999
  10. Folha de S. Paulo (Folha Vale). Pág. 8. 05-12-2000
  11. Folha de S. Paulo (Folha Vale). Pág. 8. 09-01-2001
  12. Folha de S. Paulo (Folha Vale). Pág. 6. 06-03-2001
  13. Folha de S. Paulo (Folha Vale). Pág. 7. 31-03-2001