Abrir menu principal

Santa Helena, Ascensão e Tristão da Cunha

Saint Helena, Ascension and Tristan da Cunha
Santa Helena, Ascensão e Tristão da Cunha
Bandeira de Santa Helena, Ascensão e Tristão da Cunha
Brasão de armas de Santa Helena, Ascensão e Tristão da Cunha
Bandeira do Reino Unido Brasão de armas do Reino Unido
Lema: Loyal and Unshakeable (inglês: "Leal e Inabalável" - em Santa Helena)
Our faith is our strength (inglês: "A nossa fé é a nossa força" - em Tristão da Cunha)
Hino nacional: God Save the Queen (inglês: "Deus Salve a Rainha")
Gentílico: de Santa Helena, Ascensão e Tristão da Cunha; santa-helenense

Localização Santa Helena, Ascensão e Tristão da Cunha

Localização de Santa Helena, Ascensão e Tristão da Cunha no oceano Atlântico (em vermelho).
Capital Jamestown
15°55′28″S 5°43′5″O
Língua oficial Inglês
Governo Território Britânico Ultramarino
 - Monarca Isabel II
 - Governador de Santa Helena, Ascensão e Tristão da Cunha Philip Rushbrook
 - Administrador da Ilha de Ascensão Justine Allan
 - Administrador de Tristão da Cunha Sean Burns
História  
 - Concedido foral a Santa Helena 1657 
 - Encerra a Companhia das Índias Orientais 22 de abril de 1834 
 - Junção de Ascensão 12 de setembro de 1922 
 - Junção de Tristão da Cunha 12 de janeiro de 1938 
 - Constituição actual 1 de setembro de 2009 
Área  
 - Total 420 km² (n/a.º)
 - Água (%) Desprezível
 Fronteira Oceano Atlântico
População  
 - Censo 2008 5661 hab. 
 - Urbana  (n/a.º)
 - Densidade 88 hab./km² hab./km² 
Moeda Libra de Santa Helena (em Tristão da Cunha, Libra esterlina) (SHP)
Fuso horário UTC+0
Cód. ISO SHN / SH
Cód. Internet .sh e .ac
Cód. telef. +290 (em Ascensão, +247)

Mapa Santa Helena, Ascensão e Tristão da Cunha

Santa Helena, Ascensão e Tristão da Cunha[1] é um território britânico ultramarino e um território ultramarino da União Europeia, sendo constituído pelas ilhas de Santa Helena, Ascensão, Gough (ou Gonçalo Álvares) e pelo grupo de Tristão da Cunha. Está localizado no centro do oceano Atlântico Sul, a meio caminho entre a América do Sul e a África. Até 1 de setembro de 2009, quando entrou em vigor uma nova constituição que deu igualdade de estatuto dentro do território entre as três ilhas, o território era conhecido por Santa Helena e Dependências, sendo informalmente chamado apenas Santa Helena.[2]

O território é conhecido em todo o mundo por abrigar a estratégica Base Aérea da Ilha de Ascensão, além de ter sido o local do exílio de Napoleão Bonaparte, que esteve aprisionado na ilha de Santa Helena durante os seus últimos cinco anos de vida (de 1815 a 1821).

Já o arquipélago de Tristão da Cunha é notoriamente conhecido por ser a região habitada mais remota da Terra.

Divisões administrativasEditar

Administrativamente, o território está dividido em três áreas, cada uma governada por um conselho. O governador do território preside ao Conselho Legislativo de Santa Helena, enquanto é representado por administradores em Ascensão e em Tristão da Cunha, que por sua vez presidem aos conselhos de cada uma das ilhas.

Área
Administrativa
Área
km²
População Centro administrativo Código ISO
  Santa Helena 122 4 255 Jamestown SH
  Ascensão 88 1 122 Georgetown AC
  Tristão da Cunha 207 284 Edimburgo dos Sete Mares TA
Total 420 5 661 Jamestown SH

HistóriaEditar

 
A Longwood House, onde Napoleão Bonaparte residiu durante boa parte do seu exílio em Santa Helena.

Geologicamente, todas de origem vulcânica, as ilhas de Santa Helena, Ascensão e Tristão da Cunha foram todas antigas colónias separadas pertencentes à coroa inglesa, apesar de terem sido todas descobertas por diferentes navegadores portugueses entre 1502 e 1504. Os portugueses acharam-nas desabitadas, com abundância de árvores e água potável. Importaram gado, árvores de fruta e vegetais e construíram uma capela e uma ou duas casas. Apesar de não terem uma população permanente, as ilhas foram-se tornando crucialmente importantes para a recolha de comida e água, e como ponto de encontro para os navios regressados da Ásia.

O inglês Francis Drake, muito provavelmente terá colocado a ilha na volta final da sua circum-navegação do mundo (1577–1580).[3] Seguir-se-iam novas visitas de exploradores ingleses, e a partir do ponto em que a localização de Santa Helena se tornou bem definida nos mapas, barcos de guerra ingleses começaram a utilizar o local para emboscadas aos navios portugueses vindos da Índia. Ao desenvolverem comércio no Extremo Oriente, também os neerlandeses começaram a frequentar a ilha.

A República das Províncias Unidas inicialmente reivindicou Santa Helena em 1633, não se instalando no entanto na ilha. A revindicação inglesa data da suposta visita por parte de Francis Drake. Em 1657, Oliver Cromwell autoriza a Companhia Inglesa das Índias Orientais a governar Santa Helena,[4] e no ano seguinte a mesma companhia decide fortificar a ilha e colonizá-la com plantadores. O primeiro governador, o capitão John Dutton, chegou em 1659, e é com base nesta data que Santa Helena afirma ser a segunda mais antiga (restante) colónia britânicas (depois da Bermuda). Um forte foi construído e foram construídas casas. Após a restauração da monarquia inglesa em 1660, a Companhia das Índias Orientais recebeu um Decreto Real dando-lhe o direito exclusivo de fortificação e colonização da ilha. O forte seria renomeado James Fort e a cidade Jamestown, em honra do Duque de Iorque e herdeiro aparante, mas tarde Jaime II de Inglaterra.

 
Panorama da ilha de Ascensão.

Em manobras geopolíticas subsequentes, as outras ilhas eventualmente passaram para o recém-criado Reino Unido, enquanto o Império Britânico se transformava numa potência colonial mundial. A ilha mais importante e a primeira a ser colonizada, Santa Helena, havia sido governada pela Companhia das Índias Orientais desde 1659, e tornar-se-ia uma colónia da coroa a 28 de agosto de 1833. A desabitada ilha da Ascensão foi ocupada por militares da Royal Navy a 22 de outubro de 1815, quando a sua localização na nas águas calmas equatoriais se tornou menos importante relativamente à sua importância estratégica como uma estação de abastecimento de carvão centralmente posicionada. Por razões semelhantes Tristão da Cunha foi anexada como dependência da Colónia do Cabo (África do Sul Britânica) a 14 de agosto de 1816 no final das Guerras Napoleónicas.

A união entre estas colónias começou a tomar forma a 12 de setembro de 1922, quando Ascensão se tornou dependência de Santa Helena por carta-patente. Pouco povoada, Tristão da Cunha, ainda hoje pouco mais do que um posto avançado com uma população de menos de 300 pessoas, seguiu-se a 12 de janeiro de 1938. Estes três grupos de ilhas partilhariam esta relação constitucional até 1 de setembro de 2009, quando as dependências foram elevadas a um estatuto de igualdade com Santa Helena e o nome do território mudou de "Santa Helena e Dependências" para "Santa Helena, Ascensão e Tristão da Cunha".

Durante os anos da batalha do Atlântico da Segunda Guerra Mundial e nos anos seguintes de combate contra a ameaça dos U-Boats no Atlântico, as ilhas de Santa Helena e Ascensão foram utilizadas como "bases de apoio" pelas forças aliadas.

Ver tambémEditar

GaleriaEditar

Referências

  1. The St Helena, Ascension and Tristan da Cunha Constitution Order 2009, see "EXPLANATORY NOTE"
  2. «Cópia arquivada». Consultado em 14 de março de 2010. Arquivado do original em 12 de dezembro de 2011 
  3. Drake and St Helena, privately published by Robin Castell in 2005
  4. History: St. Helena homepage

Ligações externasEditar