Abrir menu principal
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Vespasiano Corrêa.

Serafina Corrêa[nota 1] é um município brasileiro do estado do Rio Grande do Sul.

Município de Serafina Corrêa
"Capital Nacional do Talian"
Bandeira de Serafina Corrêa
Brasão de Serafina Corrêa
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 25 de julho
Fundação 22 de julho de 1960 (59 anos)
Gentílico serafina coreiense
Prefeito(a) Maria Amélia Arroque Gheller (PMDB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Serafina Corrêa
Localização de Serafina Corrêa no Rio Grande do Sul
Serafina Corrêa está localizado em: Brasil
Serafina Corrêa
Localização de Serafina Corrêa no Brasil
28° 42' 43" S 51° 56' 06" O28° 42' 43" S 51° 56' 06" O
Unidade federativa Rio Grande do Sul
Mesorregião Nordeste Rio-grandense IBGE/2008 [1]
Microrregião Guaporé IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Guaporé, União da Serra, Montauri, Casca, Nova Araçá e Nova Bassano
Distância até a capital 215 km
Características geográficas
Área 163,287 km² [2]
População 17 198 hab. IBGE/2018[3]
Densidade 105,32 hab./km²
Altitude 509 m
Clima subtropical Cfa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,832 muito alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 327 413,224 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 22 757,57 IBGE/2008[5]
Página oficial
Prefeitura www.serafinacorrea.rs.gov.br

As línguas oficiais do município são o português e a variante da língua vêneta chamada Talian.[6][7][8]

HistóriaEditar

Entre as 22 linhas da colônia de Guaporé, encontrava-se a linha 11, que anos mais tarde se tornou o município de Serafina Corrêa. Esta teve como seus primeiros moradores José Franciosi, Orestes Assoni, Antônio Marin, João Variani, Achyles Cervieri, Anibal Fornari, Francisco Pan, famílias Soccol, Corso e Martineli . Esses pioneiros traziam em si um grande ideal e o desejo de fazer desta terra sua nova pátria.

Em 03/05/1911, de acordo com o ato 40, o Engenheiro Lucano Conedera, Intendente de Guaporé, usou das atribuições que lhe conferiu a Lei Orgânica do município e criou o distrito com a numeração cinco, tendo sede o povoado Dona Fifina Corrêa, com as seguinte divisões: ao norte, pelos fundos da linha Carlos Gomes (linha 16) com a General Osório (linha 9); ao sul, pelos fundos da linha Moreira César (linha 9) com a Marechal Floriano (linha 8) a leste pelo rio Carreiro e oeste pelo rio Guaporé. Porém em 09/06/1924, através do ato 39, o Coronel Agilberto Atílio Maia, Intendente de Guaporé, extinguiu o quinto distrito com a sede no povoado Dona Fifina Corrêa por motivos econômicos.

Devido a importância comercial e industrial que vinha se desenvolvendo no povoado Dona Fifina, em 07/01/1925 pelo ato 17, criou-se novamente o distrito, desta vez número oito, com sede no mesmo povoado. Mas em 17/10/1929, o coronel Agilberto extinguiu pela segunda vez, pelo ato 63. Em menos de um ano, 07/08/1930, criou-se o nono distrito de Guaporé com sede no mesmo local, o povoado Dona Fifina Corrêa. O Decreto Estadual nº 7.199 de 31/03/1938, elevou o povoado Dona Fifina à categoria de vila.

O desejo da emancipação deu origem a uma Comissão, que era composta pelo Presidente Pedro Soccol; Vice-presidente Guerino Antônio Massolini; 1º secretário Antônio Rotta, 2º secretário Nelson Assoni, 1º Tesoureiro José Modelski, 2º Secretário Armando Canton. Chegou-se a provar que Serafina representava 48% da arrecadação de Guaporé, daí as dificuldades da emancipação. Feito o processo, como determina a lei, foi encaminhado o mesmo à Assembleia Legislativa; aprovado pela Comissão de Constituição, foi à votação. Com a minoria, o projeto foi derrotado. Em cada votação batalhavam para coletar assinaturas de deputados, o suficiente para não ser arquivado, caso contrário teriam que começar desde o início.

O projeto era sempre derrotado, até que apareceu o pedido de emancipação de Nova Palma. Como a maioria da Comissão de Constituição da Assembleia Legislativa era do PDS, só aprovaria o pedido de Nova Palma, se aprovassem o de Serafina Corrêa.

Então, em 22/07/1960, pela lei nº 3.932, criou-se o município de Serafina Corrêa, constituído também pelos territórios de Montauri, parte de Vila Oeste, pertencentes ao município de Guaporé, e parte do distrito de Evangelista, pertencente ao município de Casca. Segundo o Art. 3º a Câmara seria composta de sete membros e de acordo com Art. 4º os mandatos do primeiro prefeito, vice-prefeito e vereadores extinguir-se-iam em 31 de dezembro de 1963.

CuriosidadesEditar

1916: Instalam-se bicos de luz à querosene; em 13 de janeiro é fundado o tiro de guerra 224, sendo presidente Pedro Zambenedetti e o instrutor o 2º Sargento Virgílio Cardoso, com tropa de 160 soldados.

1925: Nomeado Sr. Osvaldo Ribeiro para subintendente.

1926: Faz-se presente a agência do correio, sendo agente Vitório Rotta.

1930: 17 de novembro é determinado a assumir as funções de subintendente, o Sr. Edgar Feijó;

1942: Construído o novo prédio do Grupo Escolar Carneiro de Campos (atual Pré-Escolar Castelinho do Saber); Construída a subprefeitura (atual APAE);

1960: Inauguração do Ginásio Nossa Senhora do Rosário (atual Escola Rainha D`Paz) em 28 de fevereiro.

1962: Restos mortais do Pe. Luiz Pedrazzani são levados à Igreja Matriz em 31 de maio.

1965: Neve no município de Serafina Corrêa, 20 de agosto.

1966: Inauguração do Clube Familiar Serafinense (atual Salão Paulo VI), em 30 de outubro.

1987: Realiza-se a primeira Romaria, com Pe. Giovanni Simonetto, em 29 de maio.

1988: Desmembra-se Montauri pela Lei estadual n° 8.607 de 09 de maio; Lei Estadual 926 de 16 setembro cria o Distrito de Silva Jardim.

Ingrid Regina Castro

Responsável pelo Arquivo Histórico Municipal de Serafina Corrêa

Fontes:

Arquivo Histórico Municipal de Serafina Corrêa

COFCEWICZ, Geraldo. ZAMBENEDETTI, Dino. Serafina Corrêa: História e Estórias. D.C. Luzzatto Editora.;1988. 185 p.

MAESTRI, Mário. Breve História do Rio Grande do Sul: da Pré-história aos dias atuais. UPF Editora; 2010. 461 p.

GeografiaEditar

Localiza-se a uma latitude 28º42'42" sul e a uma longitude 51º56'06" oeste, estando a uma altitude de 509 metros. Sua população estimada em 2018 é de 17.198 habitantes.

Notas

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010 
  3. codmun=432040 «Censo Populacional 2018» Verifique valor |url= (ajuda). Censo Populacional 2018. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 2018. Consultado em 11 de dezembro de 2018 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010 
  6. «Vereadores aprovam o talian como língua co-oficial do município.». Consultado em 21 de agosto de 2011. Cópia arquivada em 21 de agosto de 2011 
  7. Placas em Talian - Serafina Correa
  8. Perímetro urbano de Serafina Correa é sinalizado na lingua talian

Ligações externasEditar

Ver tambémEditar