Sigmund Rascher

Sigmund Rascher
Nascimento 12 de fevereiro de 1909
Munique
Morte 26 de abril de 1945 (36 anos)
Campo de concentração de Dachau
Cidadania Alemanha
Alma mater Universidade de Freiburg
Ocupação médico, torturador
Causa da morte fuzilamento

Sigmund Rascher (12 de fevereiro de 1909 - 26 de abril de 1945) foi um médico alemão das SS . Ele realizou experimentos mortais em humanos para entender os efeitos sobre alta altitude, congelamento e coagulação de sangue estando sob o patrocínio do líder das SS Heinrich Himmler, a quem sua esposa Karoline "Nini" Diehl teve conexões diretas. Quando as investigações policiais descobriram que o casal enganava o público sobre sua fertilidade sobrenatural por "contratar" e sequestrar bebês, ela e Rascher foram presos em abril de 1944. Ele foi acusado de irregularidades financeiras , assassinato de seu ex- assistente de laboratório e fraude científica. Foram enviados para Dachau antes de serem executados. Após sua morte, os julgamentos de Nuremberg acabaram por julgar suas experiências como desumanas e criminosas.[1].

Referências

  1. Annas, George J; Michael A. Grodin (1995). The Nazi doctors and the Nuremberg Code: human rights in human experimentation. EUA: Oxford University Press. pp. 71–73. ISBN 0195101065 
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.