Abrir menu principal
Simone Morgado
Deputada federal pelo Pará
Período 1 de fevereiro de 2015
31 de janeiro de 2019
Dados pessoais
Nascimento 6 de abril de 1967 (52 anos)
Belém, Pará
Alma mater Centro de Estudos Superiores do Estado do Pará
Cônjuge Jader Barbalho
Partido PMDB
Profissão Política

Simone Maria Morgado Ferreira (Belém, 6 de abril de 1967) é uma economista e política brasileira, filiada ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) e atual deputada federal pelo Pará. Foi vereadora de Bragança (2005–2007) e deputada estadual do Pará (2007–2015).[1]

É formada em economia pelo Centro de Estudos Superiores do Estado do Pará - CESEP (1982-1987).[1]

Enquanto deputada federal, apoiou Dilma Rousseff, assim como seu marido, o senador Jader Barbalho. Em 17 de abril de 2016, votou contra admissibilidade do processo de impeachment da presidente Dilma.[2] Já durante o Governo Michel Temer, votou a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos.[2] Em abril de 2017 foi contrária à Reforma Trabalhista.[2][3]

Votações contra a investigação de Michel TemerEditar

Em agosto de 2017 votou contra o processo em que se pedia abertura de investigação do presidente Michel Temer, ajudando a arquivar a denúncia do Ministério Público Federal.[2][4]

Na sessão do dia 25 de outubro de 2017, mais uma vez, votou contra o prosseguimento da investigação do então presidente Michel Temer, acusado pelos crimes de obstrução de Justiça e organização criminosa. O resultado da votação livrou Michel Temer de uma investigação por parte do Supremo Tribunal Federal (STF). [5]

Referências

  1. a b Biografia de Simone Morgado (PMDB)
  2. a b c d G1 (2 de agosto de 2017). «Veja como deputados votaram no impeachment de Dilma, na PEC 241, na reforma trabalhista e na denúncia contra Temer». Consultado em 11 de outubro de 2017 
  3. Redação (27 de abril de 2017). «Reforma trabalhista: como votaram os deputados». Consultado em 18 de setembro de 2017 
  4. Carta Capital (3 de agosto de 2017). «Como votou cada deputado sobre a denúncia contra Temer». Consultado em 18 de setembro de 2017 
  5. G1. «Votação da rejeição da 2ª denúncia contra Temer». G1. Consultado em 30 de março de 2018